Tênis em Tóquio 2020 terá Osaka, Djokovic e dupla brasileira improvisada

Osaka e Djokovic são os destaques de Tóquio 2020. Brasil perde Bruno Soares por apendicite e Marcelo Melo fará dupla Marcelo Demoliner. Confira os atletas que vão representar o Brasil em todos os torneios do tênis Olímpico.

Sheila Vieira

A Federação Internacional de Tênis divulgou nesta quinta-feira a lista dos tenistas que estarão em Tóquio 2020, que será disputado em 2021. A estrela japonesa Naomi Osaka e o número 1 do mundo Novak Djokovic são os principais nomes da disputa, que começa em 24 de julho e termina em 1 de agosto. Andy Murray (GBR) tentará o tricampeonato Olímpico em simples.

Por outro lado, a competição também terá ausências importantes. O espanhol Rafael Nadal e a americana Serena Williams, ambos medalhistas de ouro, decidiram não disputar os Jogos Olímpicos desta vez. Lesionados, Simona Halep (ROM) e Juan Martin del Potro (ARG) também não viajam ao Japão. O suíço Roger Federer também optou por não viajar para o Japão após se ressentir de problemas físicos durante o torneio de Wimbledon.

Confira a lista completa dos tenistas em Tóquio 2020

Estreia Olímpica para Menezes e Monteiro

O Brasil terá seis representantes em Tóquio 2020. Em simples, João Menezes foi o primeiro a se classificar ao ganhar o Pan-Americano de 2019. Atualmente, ele ocupa a 210ª colocação no ranking mundial. O cearense Thiago Monteiro também está assegurado, com a 81ª posição no ranking. Ambos farão sua estreia Olímpica em Tóquio. Nas duplas masculinas, Marcelo Melo perdeu o companheiro Bruno Soares por apendicite, mas tentará novamente a medalha Olímpica ao lado de Marcelo Demoliner, que conquistou uma vaga inesperada e deveria jogar a chave de duplas com Monteiro. Portugal terá dois representantes: João Sousa e Pedro Sousa, nas chaves de simples e duplas.

“Estou muito feliz por essa conquista, é mais um sonho realizado na minha carreira. É algo que eu almejava desde criança e, principalmente, quando comecei a viver de tênis. Sempre assisti aos Jogos e torci muito pelo Brasil, então ser um atleta olímpico é uma honra muito grande para mim.”

- Thiago Monteiro em comunicado à imprensa

O tênis em Tóquio 2020 terá cinco chaves: simples (masculino e feminino), duplas (masculino e feminino) e duplas mistas.

Dupla Bruno Soares e Marcelo Melo fica neutralizada por uma apendicite

Dois dos nomes mais vencedores da história do tênis brasileiro, Marcelo Melo e Bruno Soares partiram para Tóquio 2020 com sonhos e a expectativa de conquistarem o título Olímpico. Conterrâneos e contemporâneos no tênis de Belo Horizonte desde a infância, Melo e Soares jogaram juntos por três temporadas (2010 a 2012) e também se reencontraram diversas vezes em confrontos da Copa Davis.

Na chegada a Tóquio os planos tiveram que ser alterados. Bruno Soares passou mal durante a viagem para o Japão e foi reencaminhado para os serviços médicos da Vila Olímpica. O diagnóstico ditou o afastamento do atleta. A dupla Bruno Soares e Marcelo Melo fica neutralizada por uma apendicite. O imprevisto obriga o experiente duplista a fazer equipe com outro especialista, Marcelo Demoliner, que iria jogar com Thiago Monteiro.

Nas duas últimas edições dos Jogos, Melo e Soares alcançaram as quartas de final. A dupla protagonizou um dos grandes momentos do tênis Olímpico em Londres 2012, vencendo um jogo de 4h12 de duração (algo raro em jogos de melhor de três sets), por 1/6, 6/4 e 24/22 contra os tchecos Radek Stepanek e Tomas Berdych.

Ex-número 1 do mundo nas duplas, Melo conquistou 35 títulos no circuito, incluindo Roland Garros (2015, com o croata Ivan Dodig) e Wimbledon (2017, com o polonês Lukasz Kubot). Já Soares tem 34 troféus na ATP, seis deles de Grand Slam. Três nas duplas masculinas (Australian Open e US Open 2016 com o britânico Jamie Murray e US Open 2020 com o croata Mate Pavic) e três nas mistas (Australian Open 2016 - com a russa Elena Vesnina, e US Open 2012 - com a russa Ekaterina Makarova - e 2014, com a indiana Sania Mirza).

O Brasil vê suas chances de medalha menos óbvias, mas está na briga. Por agora perde também uma dupla no torneio masculino, mas fica na expectativa de que um abandono por parte de outra nação possa representar que Thiago Monteiro possa unir forças com João Menezes e os dois tenham oportunidade de competir como equipe em Tóquio 2020. Os dois jogadores têm pelo menos a garantia de que vão competir em simples como previamente estava definido.

Luisa Stefani e Laura Pigossi carimbam o passaporte na última chamada

No quadro feminino de duplas, a 23ª no ranking da WTA, Luisa Stefani, viu sua classificação para Tóquio 2020 se confirmar após não conseguir a vaga de forma direta por não ter uma parceira brasileira com ranking suficiente para a classificação. A paulista de 23 anos de idade, recebeu a notícia da Federação Internacional de Tênis na sexta-feira, dia 16, de que finalmente poderia jogar com sua companheira Laura Pigossi, de 26 anos.

Desistências de outras duplas motivaram a reorganização do quadro do torneio e assim o Brasil ganha mais duas atletas nos Jogos Olímpicos.

Em mais uma prova de que o tênis Olímpico é imprevisível, Luisa Stefani e Laura Pigossi carimbam o passaporte na última chamada.