Stephanie Balduccini é destaque da natação nos Jogos Sul-Americanos da Juventude

Nadadora brasileira foi ao pódio por 11 vezes e tornou-se a maior medalhista da competição. Natação foi responsável por 44 medalhas, mas o Brasil também foi ouro no tênis de mesa, vôlei de praia e rugby sevens. Veja como o Brasil está se saindo na competição que termina em 8 de maio.

Virgílio Franceschi Neto
Foto: Beto Noval/COB

A terceira edição dos Jogos Sul-Americanos da Juventude está em andamento e reúne 2500 atletas de 15 países da região na cidade de Rosário, província de Santa Fé, Argentina. As competições duram até o próximo dia 8 de maio (domingo).

O Brasil está sendo representado por 230 jovens atletas de até 18 anos de idade em 26 modalidades diferentes. No primeiro fim de semana dos Jogos o país foi muitas vezes ao pódio, sendo em 22 ocasiões apenas no domingo (1º de maio) em oito esportes.

RELEMBRE: Rebeca Andrade faz preleção para Time Brasil dos Jogos Sul-Americanos da Juventude

A natação do país encerrou sua participação com 44 medalhas obtidas, com destaque para Stephanie Balduccini, maior medalhista, com 11: oito de ouro, uma de prata e duas de bronze. O Brasil também foi ouro no tênis de mesa, vôlei de praia e com as meninas do rugby sevens.

O Olympics.com conta mais sobre estas conquistas dos país nos primeiros dias dos Jogos Sul-Americanos da Juventude.

Stephanie Balduccini oito vezes de ouro

Integrante da delegação do Brasil em Tóquio 2020, a paulista de 17 anos de idade já tinha feito bem bonito nos Jogos Pan-Americanos Juvenis em Cáli (Colômbia), em 2021, com sete medalhas de ouro conquistadas em sete provas. Mais recentemente, no Troféu Brasil de Natação, no Rio de Janeiro, obteve três índices (200m livre, 4x100m livre e 4x200m livre) para o mundial adulto que será realizado em Budapeste, na Hungria, entre os meses de junho e julho.

Em Rosário, nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, não foi diferente. Subiu no topo do pódio em oito ocasiões, quatro vezes em provas individuais (50m livre, 200m livre, 200m medley e 400m livre) e quatro em revezamentos. Das 13 provas que participou, fez medalha em 11. Além das oito de ouro, faturou uma de prata e duas de bronze.

"Vim com a expectativa de 13 medalhas, infelizmente não consegui, mas a gente aprende com tudo isso. É muito difícil colocar metas muito altas e conseguir alcança-las mas, ao mesmo tempo, elas só me forçam a tentar dar o meu máximo. Foi uma competição extremamente difícil, mas eu sei que eu dei o meu melhor. Estou muito feliz com o meu resultado e com as minhas medalhas", refletiu Stephanie Balduccini sobre o seu desempenho para o site do Comitê Olímpico do Brasil.

Ao todo a natação do Brasil fechou a participação com 44 medalhas conquistadas nos quatro dias de competição da modalidade, sendo metade delas de ouro.

Delegação brasileira da natação com as medalhas conquistadas nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Rosário (Argentina), em abril de 2022.
Foto: Beto Noval/COB

Brasil vence no vôlei de praia

A dupla brasileira composta pelo pernambucano Henrique e pelo sergipano Pedro conquistou o ouro após a vitória na decisão sobre os chilenos Martín e Maximiliano por 2 sets a 0, com parciais de 21-16 e 21-13.

“Esse é o principal título das nossas carreiras. É de uma importância enorme para a gente tanto para esse momento quanto para o nosso futuro. É um sentimento inexplicável de felicidade tremenda”, disse Pedro para o site do COB.

Desde janeiro eles treinam em Maringá, no Paraná, com vistas ao Mundial sub-18 que será realizado em setembro. “Esse título de Rosário veio para nos dar mais motivação para continuarmos buscando mais ainda”, completou o sergipano.

Brasileiros dominam no tênis de mesa

O tênis de mesa do Brasil teve um excelente desempenho impecável em Rosário, conquistando todas as medalhas de ouro em disputa, duas individuais (Giulia Takahashi e Leonardo Iizuka) e uma por equipes mistas.

“Tivemos um desempenho muito bom. (Henrique) Noguti, Leo, Giulia e Laura (Watanabe) vieram muito bem preparados e foi muito tranquilo conduzi-los a este resultado ao lado da Ligia Silva (também técnica da Seleção de base). É um torneio bem competitivo, com as delegações sendo apoiadas por seus Comitês Olímpicos. E conseguirmos ter essa força, mostrando que estamos no caminho certo, com essa geração conquistando bons resultados e tendo bons desempenhos”, disse Jorge Franck, um dos treinadores da Seleção de base, para o site da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM).

Seleção feminina de rugby sevens em ação na final dos Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Rosário, na Argentina, em abril de 2022.
Foto: Beto Noval/COB

Yarinhas são de ouro

As jogadoras da seleção brasileira feminina sub-18 de rugby sevens são conhecidas como "Yarinhas", em referência à guerreira representante dos povos originários do Brasil. O espírito de luta prevaleceu no campo do Hipódromo, onde elas terminaram a campanha no lugar mais alto do pódio, com seis vitórias em seis partidas, com 235 pontos a favor e apenas 22 sofridos. Na decisão, triunfo de virada sobre a Argentina. Depois de terminarem o primeiro tempo atrás no marcador por 10 a 0, na etapa derradeira elas deram a volta e fecharam a partida em 21 a 10.

Sobre a medalha de ouro e o jogo final, a jogadora paranaense do Maringá, Mariely Moreira, comentou para o site da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu): “Foi surreal, manter o controle emocional, reunir a força coletiva e com disciplina seguir as orientações técnicas para lutar até o final. O resultado foi esse ouro inédito para nosso país.”

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual