Recordes Olímpicos a serem quebrados em Beijing 2022 

Entre os milhares de atletas que irão competir em Beijing 2022 estão várias estrelas dos Jogos Olímpicos de Inverno que buscam estender suas performances recordes. Desde Ester Ledecka até Shaun White, aqui está uma seleção dos atletas que querem fazer história de 4 a 20 de fevereiro.

Foto: 2018 Getty Images

Hanyu Yuzuru (Japão): Patinação Artística

O atleta japonês se tornou apenas o quarto patinador artístico masculino a ganhar duas medalhas de ouro Olímpicas consecutivas em PyeongChang 2018. Em Pequim, ele tentará se tornar o primeiro homem, desde Gillis Grafström, da Suécia, em 1928, a conquistar um terceiro título consecutivo. Hanyu foi o primeiro patinador masculino asiático a ganhar o ouro Olímpico e o mais jovem campeão de patinação masculina desde 1948.

Hanyu Yuzuru do Japão em PyeongChang 2018.
Foto: 2018 Jean Catuffe

Ester Ledecka (República Tcheca), Esqui Alpino/Snowboard

Ledecka se tornou a primeira mulher, e a terceira atleta, a ganhar medalhas de ouro em dois esportes diferentes nos Jogos Olímpicos de Inverno em PyeongChang 2018. A estrela da República Tcheca entrou no livro dos recordes quando liderou o Super-G antes de levar ouro no Slalom Gigante Paralelo no Snowboard – aliás, essa foi a primeira vez que alguém ganhou ouro duplo nos mesmos Jogos de Inverno usando dois tipos diferentes de equipamentos. Em Pequim, ela pode se tornar a primeira atleta a ganhar ouro em diferentes esportes pela segunda vez.

A medalhista de ouro Ester Ledecka da República Tcheca fala com a mídia durante uma conferência de imprensa no dia dezesseis dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018 no Centro de Imprensa, em 25 de fevereiro de 2018, em Pyeongchang-gun, Coreia do Sul.
Foto: 2018 Getty Images

Suécia, Curling

A equipe sueca feminina de Curling é a mais bem sucedida na história dos Jogos Olímpicos de Inverno desde que o evento foi introduzido em Nagano, 1998. As suecas conquistaram cinco medalhas (três de ouro), sendo o Canadá o segundo mais condecorado com dois títulos. Se eles defenderem seu título de PyeongChang 2018, a Suécia continuaria a abrir novos caminhos com outro recorde de medalhas.

Ganhadoras da medalha de ouro, Sofia Mabergs, Agnes Knochenhauer, Sara McManus e Anna Hasselborg da Suécia celebram após o jogo pela medalha de ouro no Feminino entre Suécia e Coreia no dia dezesseis dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018, no Centro Gangneung de Curling, em 25 de fevereiro de 2018, em Gangneung, Coreia do Sul.
Foto: 2018 Getty Images

Charlotte Kalla (Suécia), Esqui Cross-country

Kalla se tornou a primeira atleta a ganhar três medalhas consecutivas nos 10km livres quando conquistou a prata em PyeongChang 2018 e almeja mais conquistas em Pequim. Bjørn Dæhlie ganhou dois títulos consecutivos durante os três Jogos em que o evento foi disputado por homens, enquanto Marit Bjorgen ganhou prata em Turim 2006 e bronze em 2010 e 2018, mas Kalla pode abrir caminhos para conquistar novas medalhas somando ao seu ouro em Vancouver 2010 e às medalhas de prata nas duas edições seguintes.

Charlotte Kalla, da Suécia, esquia durante o Esqui Cross-country Feminino Livre de 10km no dia seis dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018, no Centro Cross-Country de Alpensia, em 15 de fevereiro de 2018, em Pyeongchang-gun, Coreia do Sul. 
Foto: 2018 Getty Images

Shaun White (EUA), Snowboard

White cimentou seu legado em PyeongChang 2018, quando se tornou o único atleta a ganhar três títulos olímpicos de Snowboard. O americano já havia conquistado o ouro em Turim 2006 e Vancouver 2010 e agora buscará somar um quarto título em Pequim. A companheira de equipe dos EUA, Jamie Anderson, é a segunda na classificação de medalhas de todos os tempos com dois ouros e uma medalha de prata no Slopestyle Feminino e no Big Air.

Shaun White of USA
Foto: 2018 Getty Images

Natalie Geisenberger (Alemanha), Luge

A alemã é a atleta feminina de Luge mais condecorada da história olímpica, com cinco medalhas – quatro delas de ouro – em três Jogos de Inverno. Geisenberger ganhou o bronze no Individual em Vancouver 2010 antes de ganhar o ouro no Individual e no Revezamento por Equipes em Sochi e PyeongChang. Ela pode estender ainda mais seu legado em Pequim.

Natalie Geisenberger, da Alemanha, comemora a conquista da medalha de ouro durante o Individual Feminino de Luge no quarto dia dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018.
Foto: 2018 Getty Images

Sven Kramer (Países Baixos), Patinação de Velocidade

Kramer é o Patinador de Velocidade masculino mais condecorado da história, com nove medalhas – quatro delas de ouro – em quatro Jogos Olímpicos de Inverno. Em Pyeongchang 2018, o atleta holandês superou os grandiosos Ivar Ballangrud e Clas Thunberg para liderar sua entrada nos livros de história. Ele também se tornou o único Patinador de Velocidade masculino a vencer o mesmo evento três vezes quando triunfou nos 5.000m para somar aos títulos de Vancouver 2010 e Sochi 2014.

Sven Kramer, da Holanda, reage após seu recorde olímpico que o faria ganhar a medalha de ouro durante o evento masculino de Patinação de Velocidade 5000m no segundo dia dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018.
Foto: 2018 Getty Images

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual