Ester Ledecka exclusivo: "Dentro de mim, ainda acho que sou metade snowboarder e metade esquiadora"

Depois de fazer história na República da Coreia quatro anos atrás, quando ganhou o ouro no esqui alpino e no snowboard, a multi-talentosa tcheca disputará novamente dois esportes em Beijing 2022: "Ainda posso fazer um triplo ou um quádruplo!"

Alessandro Poggi
Foto: 2018 Getty Images

Esquiadora alpina ou snowboarder? A bicampeã Olímpica Ester Ledecka ainda se considera uma 'ameaça dupla'.

"Dentro de mim, ainda acho que sou metade snowboarder e metade esquiadora", ela compartilhou em um evento com a mídia antes do início da temporada 2021/22.

Quatro anos atrás, em PyeongChang, a multi-talentosa estrela tcheca fez história ao se tornar a primeira mulher a ganhar medalhas de ouro em dois esportes diferentes no Jogos de Inverno.

Considerada uma 'zebra', ela venceu todos as especialistas em velocidade no alpino no super-G. Depois, como favorita absoluta, ela triunfou no slalom gigante paralelo sete dias depois.

Em Beijing 2022, Ester tentará competir nos dois esportes de novo, mas desta vez o evento do snowboard será antes (8 de fevereiro), apenas três dias antes de sua primeira prova no esqui (11 de fevereiro), seria o super-G, no qual ela é atual campeã.

Ester Ledecka durante treinamento na Suíça
Foto: 2021 Getty Images

Ledecka admite que ter o snowboard antes 'pode ser uma vantagem'.

“Só quero manter as coisas simples, estarei lá para me divertir" - Ester Ledecka ao Olympics.com

Combinar os dois esportes é o que ela quer fazer, pelo menos nesse momento, mas não pergunte a ela qual é o exato plano para a temporada.

"Depende de como eu estarei me sentindo naquele momento da temporada", ela explicou. "Se eu sentir que quero fazer snowboard, eu faço e ninguém vai me parar. E vice-versa!"

A atleta de 26 anos planeja continuar com seu progresso no esqui: nas duas últimas campanhas, ela conquistou cinco pódios na Copa do Mundo, com duas vitórias. Mas ela também quer melhorar sua carreira no snowboard, depois de uma temporada em que só competiu uma vez. Será possível uma vitória dupla na China? "Ainda posso fazer um triplo ou até um quádruplo", ela disse, sobre suas manobras. "Ainda há muito espaço para evolução".

Abaixo você encontra a transcrição da entrevista com Ledecka, que foi editada por clareza.

Ester Ledecka: Não fale dos Jogos de Inverno

Olympics.com: Como você está encarando esta temporada Olímpica?

Ester Ledecka: Nunca fui o tipo de pessoa que se concentra só nos Jogos Olímpicos. Isso não funciona para mais ninguém em geral (risos)... Mas eu acho também que há muitas provas importantes, então estou tentando o meu melhor para me preparar para todas. Claro, com certeza, há os Jogos, e estou animada para eles porque eu vi a montanha, o downhill, e parece incrível. Também tenho a chance de tentar o snowboard hill, que também é bem divertido de fazer.

O: É verdade que você baniu a sua equipe de usar o termo 'Jogos Olímpicos' antes de PyeongChang 2018?

EL: Sim... eu sinto que sou bem diferente nessa maneira de ver a temporada, que não tenho isso na mente todo dia, tipo, 'Ok, nós vamos para os Jogos Olímpicos'...

Vejo que não só os atletas ao redor, mas também muitos treinadores têm [os Jogos] na mente todos os dias. Não quero que vire uma espécie de 'pânico Olímpico'. Só quero que eles foquem em cada prova e não só em uma prova. Isso tem me ajudado a lembrar, toda vez que estou para largar, que não importa se são Jogos Olímpicos, prova da FIS ou outra coisa - eu darei o meu melhor.

Ester Ledecka comemora ouro no snowboard em PyeongChang 2018
Foto: 2018 Getty Images

Por isso que sou um pouco alérgica a alguém da minha equipe falar 'Ok... temos que fazer isso para estarmos prontos para os Jogos Olímpicos'.

A temporada é super longa e temos muitas, muitas provas, e, claro, muita coisa pode acontecer no meio do caminho. Mas preciso estar preparada para cada prova e dar 100%. É assim que funciona para mim. Se eles quiserem estar na minha equipe, deveria funcionar para eles também!

O: Como vocês se referem aos Jogos sem usar a palavra?

EL: Não sei como traduzir. É um tcheco... chamávamos de 'amistoso na Coreia' (risos). Há muitos amigos de outros países, de outros esportes. Então era como um 'amistoso na Coreia' e agora o 'amistoso na China'.

Ester Ledecka: esqui e snowboard mais uma vez

O: Você ainda planeja combinar snowboard e esqui alpino em Pequim? Qual será sua estratégia?

EL: Sim, apesar de não ter o calendário exato na minha mente. Acabei de saber que o snowboard é antes do esqui, então acho que é uma vantagem que posso usar a meu favor... espero que haja espaço suficiente entre snowboard e esqui. Não olhei!

Meus treinadores precisam saber o calendário e como lidar com ele. Eu quero manter as coisas simples. Estou aqui para me divertir... snowboard, esqui, e vamos ver!

O: Na última temporada, você participou de apenas uma prova de snowboard, quando ganhou a etapa da Copa do Mundo em Cortina d’Ampezzo. Por quê?

EL: Não era o plano original... eu tive alguns problemas nas costas. Não queria forçar demais e fiquei mais no esqui.

Mas acabou que eu treinei todo o verão, fiquei mais musculosa, o que estava faltando na temporada anterior. Então espero que isso me ajude a proteger minhas costas e proteger minha saúde no geral, para poder trocar de um esporte para o outro sem problemas.

Ester Ledecka treina na Suíça
Foto: 2020 Getty Images

O: Nas últimas temporadas, você disputou mais o esqui. Seu foco tem mudado para esse esporte?

EL: "Dentro de mim, ainda acho que sou metade snowboarder e metade esquiadora. É que queríamos ver se era possível eu ir bem no ranking geral de esqui. Então queríamos fazer mais eventos da Copa do Mundo de esqui para ver se eu chegava ao top 10 em algumas disciplinas ou todas. Não sabíamos se era possível e descobrimos que é.

O problema é que quando eu quero tentar, é mais difícil encaixar o snowboard, porque acontece ao mesmo tempo. Se eu quiser competir nos dois, tenho que cancelar algumas provas de esqui, e isso me faz perder muitos pontos no ranking geral.

Por exemplo, para lutar pelos globos de cristal [prêmios anuais da Copa do Mundo], eu preciso ser muito boa e preciso apresentar o melhor em cada prova nas disciplinas de velocidade.

Então depende de como as provas são colocadas no calendário.

Estou focada em chegar aos Jogos Olímpicos nos dois esportes de novo, curtir os Jogos e ver como a temporada se desenrola. Tive muitas questões sobre como vou agendar as provas, mas na maior parte do evento depende de como eu estou me sentindo naquele momento da temporada. Se eu sinto que quero fazer snowboard, eu vou fazer e ninguém vai me parar.

Ester Ledecka: top 10 do mundo no esqui

O: Na última temporada, você se consolidou no top 10 da Copa do Mundo de esqui. O que diz a respeito de globos de cristal e medalhas em eventos grandes?

EL: Acho que se alguém vir a minha carreira, passo a passo, ano a ano, vai ver que estou evoluindo. Não é que estou no topo e depois caio, como naquela prova na Coreia. Mas vendo desde o início, eu também melhorei naquela temporada. Só não estava no nível que poderia chegar ao pódio mais de uma vez.

Depois, na próxima temporada, dei um um passo a mais e assim em diante. Então acho que estou na direção certa, com certeza.

Mesmo que agora eu seja uma esquiadora muito melhor e tenho muito mais experiência, ainda não acho que posso ganhar todas as provas [no esqui].

Estou tentando chegar a isso, com certeza, ainda estou ganhando experiência em cada treino, cada volta.

O: Como é a sensação de ir aos Jogos Olímpicos e saber que as duas medalhas de ouro podem já ser o ponto alto da sua carreira?

EL: Bem, há duas coisas. A primeira, acho que ainda consigo fazer um triplo ou quádruplo. Ainda há bastante espaço para evolução. Segundo, é um sentimento incrível ir aos Jogos Olímpicos já como campeã Olímpica e ninguém pode tirar isso de mim.

Nem preciso terminar minha descida e ainda serei campeã Olímpica, o que é bem legal. Darei meu melhor para terminar e para ser a mais rápida. Darei meu melhor para terminar e me divertir. Mas é um bônus legal já ter isso no bolso.

O: Qual é seu mantra ou frase para este ano?

EL: Não sou muito de mantras, mas durante toda a minha vida estou tentando fazer o que gosto e quero curtir cada descida. Se isso acontecer nesta temporada e eu perder todas as provas, vou curtir, é o suficiente para mim.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual