Rafael Pereira faz seu melhor tempo e leva prata na Liga Diamante

Mineiro segue em ascensão nos 110m com barreiras a poucas semanas do Mundial e conquista segunda medalha seguida no circuito, agora em Paris. Thiago Braz fica fora do pódio do salto com vara, e português Pedro Pichardo é bronze no salto triplo.

Sheila Vieira
Foto: WAGNER CARMO/CBAt

O barreirista brasileiro Rafael Pereira continua crescendo na prova dos 110m com barreiras em 2022. Após disputar a Liga Diamante pela primeira vez em Oslo, em 16 de junho, levando a medalha de bronze, o mineiro agora ficou com a prata na etapa de Paris, em 18 de junho.

De quebra, Rafael fez a melhor marca da carreira, os mesmos 13s25 nas eliminatórias e na final, ficando apenas atrás do americano Devon Allen, com 13s16. Allen é o dono da melhor marca do ano, 12s84. O bronze ficou com o francês Just Kwaou-Mathey, 13s27.

A subida de rendimento de Rafael vem na hora certa, a poucas semanas do Mundial de Atletismo, que começa em 15 de julho em Oregon, nos EUA. Em Tóquio 2020 em 2021, ele foi semifinalista. Neste ano, ele foi campeão do Campeonato Iberoamericano.

Thiago Braz também competiu em Paris no salto com vara, terminando na oitava colocação em 5,50m. O medalhista Olímpico de ouro e bronze também não ganhou medalha em Oslo, sua estreia na Liga Diamante este ano. Em 2022, ele foi prata no Mundial Indoor.

Portugal também subiu ao pódio em Paris, com o bronze de Pedro Pichardo no salto triplo. O campeão Olímpico em Tóquio 2020 atingiu 17,49m, abaixo dos cubanos Jordan Diaz (17,66m) e Andy Diaz (17,65m). O brasileiro Almir Júnior foi quinto colocado com 16,81m.

A portuguesa Liliana Cá foi a sexta no lançamento do disco na capital francesa, com a marca de 61,73m. A vencedora foi a americana Valarie Allman, com 68,68m.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual