Os esportes de demonstração mais inusitados dos Jogos Olímpicos de Inverno

Você não vai vê-los no programa de Beijing 2022, mas esses esportes de demonstração de inverno certamente deixaram sua marca na história Olímpica.

Sheila Vieira, Virgilio Franchesci Neto
Bandy

Vários dos esportes mais populares que estarão em Beijing 2022 começaram suas jornadas Olímpicas como esportes de demonstração. Modalidades como curling e patinação de velocidade em pista curta passaram no teste e se estabeleceram no programa Olímpico, enquanto outras não sobreviveram ao teste do tempo ou só mantiveram a popularidade fora dos Jogos.

Confira cinco dos esportes de demonstração mais inusitados que estiveram nos Jogos de Inverno:

Balé de esqui

Muitos fãs da patinação artística ficariam surpresos ao saber que o esporte costumava ter um 'parente distante' na neve! O balé de esqui foi um dos eventos pioneiros do esqui estilo livre, junto ao moguls e o aerials.

O esporte foi demonstrado em Calgary 1988 e Albertville 1992. Os bailarinos de esqui apresentavam uma sequência de saltos e movimentos de dança em uma pista de esqui ao ar livre - com acompanhamento musical - e os árbitros os avaliavam de acordo com seu nível técnico e artístico. Os figurinos extravagantes e a trilha sonora popular demonstravam perfeitamente o espírito rebelde do esqui estilo livre.

No entanto, o balé de esqui não permaneceu no programa Olímpico. No começo do século 21, o esporte se tornou uma anedota dos esportes de inverno, bem divertida, por sinal.

Corrida de trenó de cães

Cachorros nos Jogos Olímpicos? Teve! Em Lake Placid 1932, a corrida de trenó de cães foi um esporte Olímpico de demonstração. Trenós puxados por cães foram inicialmente um sistema de transporte no Alasca, antes que as pessoas percebessem que também seria possível transformar isso em um esporte.

Leionhard Seppala e seus cães siberianos no Polo Ártico em 1920.

Na competição em Lake Placid, cada trenó era guiado por um grupo de seis cães (com um atleta no trenó) por 40km, com o trenó atingindo velocidades de 30 km/h. Se um cão se machucasse, seria carregado pelo atleta no trenó até o final. Medalhista de ouro, Emile St. Godard é o único atleta da modalidade no Hall da Fama dos Esportes do Canadá.

Se você acha que 40km/h é muita coisa, a Iditarod Trail Sled Dog Race, que é anual no Alasca, tem 1.700km de distância!

Musher Thomas Bohlmann comanda seus cães durante um campeonato de trenó de cães em Hasselfelde, Alemanha.
Foto: 2010 Getty Images

Patrulha militar

Se o biatlo é um esporte Olímpico consolidado, ele deve muito seu 'pai, a patrulha militar, que foi parte do programa Olímpico oficial nos primeiros Jogos de Inverno em Chamonix 1924. Em outras três edições (1928, 1936 e 1948), a disciplina foi só um esporte de demonstração.

A Suíça vence o ouro na patrulha militar nos primeiros Jogos Olímpicos de Inverno, Chamonix 1924.
Foto: IOC

A patrulha militar é uma combinação de esqui cross-country com tiro de rifle (soa familiar?), mas é um esporte coletivo, com quatro atletas, incluindo um oficial, em cada patrulha.

Os atletas esquiavam por 25km juntos, todos vestindo uniforme militar e mochilas de 24kg. Os tiros aconteciam apenas no fim da competição.

O biatlo substituiu a patrulha militar em Squaw Valley 1960 e ainda está no programa. Felizmente, os biatletas de hoje não precisam carregar uma mochila com o peso de uma criança de cinco anos!

Patrulha militar nos Jogos Olímpicos de 1948
Foto: © 1948 / Comité International Olympique (CIO)

Skijoring a cavalo

Um dos esportes mais estranhos e incríveis da história Olímpica é o skijoring a cavalo, em que um esquiador é puxado por cavalos em uma pista. A competição pode ser disputada em uma pista oval ou ter obstáculos.

Atletas praticam o Skijoring como esporte de demonstração nos Jogos de 1928 em St Moritz, Suíça.

Demonstrado nos Jogos de Inverno de St Moritz 1928, o esporte teve os anfitriões suíços dominando o pódio.

Hoje, a participação dos cavalos nos Jogos Olímpicos se limita ao hipismo e ao pentatlo moderno nos Jogos de Verão.

Bandy

Um híbrido de hóquei e futebol, o bandy - também conhecido como banty ou hóquei russo - foi um esporte de demonstração em Oslo 1952. Extremamente popular na Rússia e na Escandinávia, é considerado por muitos o precursor do hóquei moderno.

As principais semelhanças com o hóquei no gelo são o fato de que os jogadores patinam no gelo e vestem equipamento similar, mas o bandy tem um bastão curvo. Os goleiros não usam bastão e só podem defender a bola com as mãos. Aliás, a principal diferença é que no bandy se usa uma bola, não um puck. Os times podem ter até 11 jogadores e as partidas consistem de dois tempos de 45 minutos - caso a influência do futebol não estivesse clara o suficiente!

O futebol e o bandy também compartilham a regra do impedimento e a proibição de jogar atrás dos gols.

Em Oslo, a Suécia, a Noruega e a Finlândia formaram o pódio. Por mais que a jornada Olímpica do bandy tenha terminado lá, a modalidade ainda é um dos esportes de inverno mais praticados no mundo.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual