Nathan Chen desiste de participação no Mundial de patinação artística

Americano poderia buscar o quarto título consecutivo. O japonês Hanyu Yuzuru também é desfalque, e nomes como Kagiyama Yuma e Uno Shoma têm chance de ouro.

Daniel Perissé
Foto: 2022 Getty Images

Um mês depois de finalmente vencer o título individual masculino da patinação artística em Beijing 2022, o patinador americano Nathan Chen desistiu da busca pelo quarto título seguido no Mundial de patinação artística, que acontece em Montpellier, na França, entre os dias 21 e 27 de março.

Chen poderia ser o primeiro patinador a conquistar quatro mundiais consecutivos desde seu compatriota Scott Hamilton, que conseguiu a façanha entre os anos de 1981 e 1984. Ele poderia ser o oitavo a obtê-lo em toda a história do esporte.

Além disso, o americano abriu mão da chance de igualar a marca do japonês Hanyu Yuzuru, que foi campeão dos Jogos de Inverno em Sochi 2014 e venceu o Mundial naquele mesmo ano.

Apenas outros dois patinadores foram capazes de fazer o mesmo: Alexei Yagudin (2002) e Viktor Petrenko (1992) ganharam os respectivos Jogos e Mundiais na mesma temporada.

Ouro e glória em Pequim

Chen chegou aos Jogos Beijing 2022 marcado pelo decepcionante quinto lugar em PyeongChang 2018, após um programa curto com falhas que lhe custou a presença no pódio. Quatro anos depois, o patinador de Salt Lake City chegou decidido a escrever seu nome na história dos vencedores Olímpicos.

E ele começou brilhando já no programa curto, primeira parte da prova, conseguindo um novo recorde mundial, com 113,97 pontos.

No dia do programa longo, ao som de "Rocketman", de Elton John, o atleta de 22 anos subiu a um nível mais alto que os demais rivais e selou a conquista com uma nota de 218,63 e um total de 332,60 somando as duas apresentações.

"Nunca imaginei que poderia chegar tão longe na minha carreira. Claro que sempre sonhava em disputar os Jogos Olímpicos e em ganhar, mas pensava que era difícil, não sabia que poderia fazer acontecer", revelou Chen.

Foi a terceira medalha Olímpica de Chen, mas o primeiro ouro - ele tem um bronze e uma prata, ambos na prova por equipes, em 2018 e 2022, respectivamente.

Mesmo sem Hanyu Yuzuru, Japão ainda vem forte

Outra grande ausência neste Mundial será a de Hanyu Yuzuru. Campeão Olímpico em Sochi 2014 e Pyeongchang 2018, ele ainda não se recuperou de uma lesão no tornozelo direito, sofrida durante um treinamento ainda em Pequim, competição em que acabou ficando na quarta posição.

Entretanto, seus compatriotas Kagiyama Yuma e Uno Shoma, respectivamente prata e bronze em Beijing 2022, estão inscritos e prometem brigar pelo primeiro título.

Com exceção de Chen e Hanyu, todos os sete primeiros colocados em Pequim voltam ao gelo em Montpellier.

Oitavo colocado, Evgeni Semenenko ficará fora por conta de um comunicado feito mês passado pela ISU (União Internacional de Patinação, em inglês) no qual anunciou que "nenhum patinador pertencente aos membros da ISU na Rússia e Belarus será convidado ou terá a participação permitida em eventos de patinação artística internacionais", incluindo a disputa do Mundial.

Kagiyama Yuma (esq.) e Uno Shoma (dir.) foram prata e bronze na patinação individual masculina em Pequim
Foto: 2022 Getty Images

Estrelas de Beijing 2022 voltam ao gelo

Além da disputa pelo ouro no individual masculino, o Mundial de patinação artística contará com outros patinadores que se destacaram nos últimos Jogos de Inverno.

A torcida da casa deposita sua esperança na dupla Gabriella Papadakis e Guillaume Cizeron, que ganhou a dança no gelo em Beijing 2022. Eles tentam seu quinto título mundial, agora diante de sua torcida.

No evento por pares, os campeões Sui Wenjing e Han Cong optaram por não disputar a competição. Sem a presença da equipe da Rússia, esta será a disputa que ficará mais em aberto. No feminino, destaque para a japonesa Sakamoto Kaori, bronze em Pequim e que tenta ser a primeira patinadora de seu país a conquistar o evento desde Asada Mao em 2014.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual