Chen bate recorde do programa curto da patinação artística, Hanyu é oitavo e mexicano Carillo está na decisão

Americano conquista melhor marca em programas curtos na patinação artística com apresentação sem erros. Bicampeão Olímpico japonês errou no primeiro salto e vê chances de pódio ficarem mais difíceis. Final será no dia 10 em Pequim (noite do dia 9 em Brasília).

Sheila Vieira
Foto: 2022 Getty Images

O programa curto do individual masculino da patinação artística em Beijing 2022 teve recorde mundial de Nathan Chen, dos EUA, nesta terça-feira, 8 de fevereiro.

Tricampeão mundial, mas ainda em busca de sua primeira medalha Olímpica individual, Chen fez uma apresentação sem erros no programa curto e atingiu 113.97 de nota, superando a marca anterior, que era do japonês Hanyu Yuzuru (111.82).

Chen enterrou de vez o fantasma de PyeongChang 2018, quando cometeu diversos erros no programa curto e ficou em 17º. Mesmo sendo o melhor no programa longo na ocasião, ele terminou na quinta colocação. Desta vez, os ventos parecem estar mais favoráveis ao atleta de 22 anos.

"Diria que é bem perto do meu melhor. Claro que há sempre algo que você pode melhorar, sempre há algo para fazer melhor, mas no geral estou bem feliz", disse Chen.

Atual bicampeão Olímpico, Hanyu terminou na oitava colocação com a nota 95.15. Em seu primeiro salto, ele deveria executar um Salchow quádruplo, mas refugou e acabou fazendo um salto simples. O resto do programa correu bem, mas as chances do tricampeonato diminuíram, já que os dois programas (curto e longo) contam para a decisão do ouro.

Chen comentou a apresentação de Hanyu: "Você não pode descartar nenhum desses atletas. A competição não é um programa. O que aconteceu no programa curto não é indicativo do que vai acontecer no programa longo".

Sofrendo com uma persistente lesão nos ligamentos do tornozelo, Hanyu disputou apenas um torneio nos últimos meses, o Campeonato Japonês, saindo com o título. O japonês de 27 anos tenta ser o primeiro tricampeão Olímpico no individual masculino desde 1928 e vinha prometendo um Axel quádruplo (jamais executado em competições). Talvez esta arma seja necessária para tentar recuperar o prejuízo.

"Não senti nada ruim até eu decolar. Quando saltei, entrei em um buraco, talvez causado pelo toe [loop, tipo de salto] de outro patinador, um flip ou algo assim", comentou Hanyu. "Usei outro local no aquecimento e me senti bem. Só me movi um pouco durante a competição e entrei nesse buraco. Foi um acidente, mas tudo bem".

"Tenho mais uma chance. Tenho muito tempo com a música e muitos saltos, então posso dar o meu melhor", afirmou o japonês sobre a chance de dar a volta por cima no programa longo.

Já os outros japoneses, Kagiyama Yuma e Uno Shoma, foram bem e terminaram nas segunda e terceira posições, respectivamente.

O programa longo será em 10 de fevereiro, quinta-feira, às 9:30 locais (22:30 do dia 9 em Brasília), com transmissão dos canais Globo/Sportv e do Olympics.com.

Confira os resultados finais do programa curto do masculino.

Mexicano Donovan Carillo se classifica para programa longo

A América Latina terá um representante no programa longo do individual masculino: o mexicano Donovan Carillo, de 22 anos, que teve a nota 79.69 e terminou na 19ª colocação.

Vindo de uma família sem muitos recursos, Carillo treinava em rinques de gelo em shopping centers no início de sua carreira. Hoje, ele se tornou o primeiro patinador artístico mexicano nos Jogos Olímpicos em 30 anos.

"Ser o primeiro mexicano depois de 30 anos e ter a oportunidade de representar meu país nos Jogos Olímpicos é algo que me deixa muito agradecido e motivado. Espero que durante meu caminho nesses Jogos mais meninos e meninas do meu país se inspirem e vejam minha história como uma motivação para que eles também busquem seus sonhos, que se atrevam a tentar a patinação artística porque talvez possam encontrar sua paixão nela como eu encontrei", afirmou Carillo ao Olympics.com.

Carillo já havia mostrado potencial no último ano ao ficar em 20 no Campeonato Mundial.

"Estrear nestes Jogos Olímpicos é um sonho que se realizou para mim. No geral o programa foi sólido, me sinto muito feliz com o resultado. Claro que houve alguns detalhes e não quero deixar de vê-los. Quero aprender com eles para melhorar e fazer um programa longo mais consistente", acrescentou o mexicano.

MAIS | Donovan Carillo e um sonho de família

NOTÍCIAS DA PATINAÇÃO ARTÍSTICA POR E-MAIL.

Receba notícias de patinação artística, vídeos, destaques dos Jogos Olímpicos de Inverno e muito mais.