'É muito diferente do que eu esperava', diz Bruno Fratus após ficar fora da final no Mundial

Medalhista Olímpico de bronze, que fez o melhor tempo das eliminatórias, ficou em oitavo na semifinal, empatado Maxime Grousset, e o francês levou a melhor no desempate. Revezamento 4x200m livre masculino do Brasil fica em quarto lugar.

Sheila Vieira
Foto: 2022 Getty Images

O pódio dos 50m livre masculino de Tóquio 2020 está fora da final da prova no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos 2022, em Budapeste. O brasileiro Bruno Fratus, bronze nas Olimpíadas, não conseguiu avançar após uma derrota no desempate.

O medalhista de ouro em Tóquio, Caeleb Dressel, abandonou a competição por razões médicas. Já o francês Florent Manaudou parou nas semifinais.

Fratus começou o dia liderando as eliminatórias, com 21s71. Na semifinal, ele ficou na quarta colocação em sua bateria, com 21s83, empatado no oitavo lugar geral com o francês Maxime Grousset. Portanto, os dois tiveram que disputar um desempate no final da sessão em Budapeste para decidir quem ocuparia a última raia disponível na disputa por medalhas.

O brasileiro fez seu melhor tempo do dia no desempate, 21s62, mas Grousset o superou com 21s59.

"É difícil. É muito diferente do que eu esperava. Esse centésimo 21 que todo mundo falava acabou sendo meio amargo", disse Fratus ao Sportv. O nado do desempate foi a centésima vez que o brasileiro nadou abaixo de 22 segundos na carreira.

"Esporte de alto rendimento é isso. Às vezes você ganha, às vezes você perde", comentou Fratus, que foi medalhista nesta prova em três Mundiais seguidos. "Estou desde 2017 subindo em pódio de Mundial, de Pan, de Olimpíada", lamentou. "Mas é isso aí, voltar para casa, treinar, ano que vem tem Mundial, depois Olimpíada".

Revezamento 4x200 entre os melhores

Como esperado, o revezamento 4x200m livre masculino do Brasil fez uma forte prova e alcançou o quarto lugar, com 7min04s69, novo recorde sul-americano. O time foi formado pelo medalhista Olímpico Fernando Scheffer, junto a Vinicius Assunção, Murilo Sartori e Breno Correia.

Este foi o melhor resultado do Brasil na história deste revezamento. O país tem mais tradição nos 4x100m livre.

O ouro ficou com os EUA (Drew Kibler, Carson Foster, Trenton Julian e Kieran Smith) com 7min00s24, a prata com a Austrália (Elijah Winnington, Zac Incerti, Samuel Jack Short e Mack Horton) com 7min03s50 e o bronze com os britânicos (James Guy, Jacob Whittle, Joe Richard Litchfield e Tom Dean). Tom Dean foi muito acima dos outros nadadores da prova, o único a fazer 1min43s em sua parcial.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual