Bruno Fratus: cinco fatos sobre a estrela da natação brasileira em Tóquio 2020

Prestes a disputar os Jogos Olímpicos pela terceira vez, o nadador é treinado pela esposa, lidou com depressão após a Rio 2016 e tem marcas importantes na prova dos 50m livre.

Sheila Vieira
Foto: 2019 Getty Images

Aos 32 anos, Bruno Fratus chega a Tóquio 2020, que será disputado em 2021, como o principal nome da natação brasileira. Ele é um dos candidatos ao pódio nos 50m livre, ao lado do americano Caeleb Dressel (o grande favorito), de Vladimir Morozov (ROC) e do britânico Benjamin Proud. Vamos ver se você sabe esses cinco fatos sobre Fratus:

Fratus é o atleta que mais nadou abaixo de 22s nos 50m livre na história

Na elite da prova há quase uma década, Fratus já completou a prova 88 vezes abaixo de 22 segundos, com folga o velocista que mais atingiu a marca. O segundo é o americano Nathan Adrian, com 65 vezes, que está fora da prova em Tóquio após ficar ‘apenas’ em terceiro na seletiva americana.

Ficou a dois centésimos do bronze de Cielo em Londres 2012

No auge da rivalidade brasileira entre Fratus e César Cielo Filho, o campeão de Beijing 2008 levou a medalha de bronze em Londres 2012 por apenas dois centésimos: Cielo fez 21s59 e Fratus, com 21s61, ficou em quarto lugar.

É treinado pela esposa, a ex-nadadora Olímpica Michelle Lenhardt

“Ela tem sido vital. Acho que uma vez que você tem alguém que realmente ama e que pode confiar 100%, mesmo não concordando sempre, estamos brigando pela mesma coisa. Ela tem esse instinto competitivo. Ela é alguém que se motiva pela competição e pelo caos e alguém que sempre busca atacar as competições”

- Bruno Fratus ao Olympics.com em 2020

Tem quatro medalhas em Mundiais

A medalha Olímpica ainda não veio, mas Fratus já conquistou quatro em Campeonatos Mundiais em piscina longa. Em 2015, em Kazan, ele foi bronze nos 50m livre. Dois anos depois, em Budapeste, conquistou a prata na mesma prova e também no revezamento 4x100 livre. Em 2019, Fratus repetiu a prata na prova individual em Gwangju.

Lutou contra depressão após a Rio 2016

Fratus não escondeu a decepção com o sexto lugar nos 50m livre na Rio 2016.

“É muito difícil quando você vai para os Jogos pela primeira vez com um bom ranking mundial e você estraga tudo na frente do seu público.”

- disse Fratus ao Olympics.com em 2020.

Criticado pelo resultado e por uma resposta que deu a uma repórter na época, Fratus teve que lutar contra a depressão.

“Eu fui deixado de lado por muita gente que eu achava que ia me apoiar numa situação como aquela, e eu me senti muito, muito sozinho por um momento. É fácil apoiar alguém quando ele está indo bem, mas quando a pessoa cai, é aí que você vê quem são seus verdadeiros fãs e amigos”.

- Fratus ao Olympics.com em 2020

Um novo capítulo da história de Fratus nos Jogos Olímpicos está por começar em Tóquio 2020, em 2021. A prova dos 50m livre será disputada entre 30 de julho e 1 de agosto.