Alison dos Santos e Thiago Braz agradecidos por trajetória rumo ao bronze de Tóquio 2020

Os brasileiros de bronze no atletismo em Tóquio 2020 preparam o regresso. Alison dos Santos deve correr na Liga de Diamante de Bruxelas, já Thiago Braz não definiu data ou competição para voltar. Darlan Romani compete em Eugene no dia 21 de agosto.

Gonçalo Moreira
Foto: Wander Roberto/COB

O atletismo se prepara para o regresso após Tóquio 2020, onde tivemos prestações esportivas incríveis, histórias de superação e momentos de verdadeiro espírito Olímpico.

Alison dos Santos congrega tudo isso. Sua história de superação pessoal é conhecida, mas a trajetória esportiva do jovem fenômeno do Pinheiros ficou no coração da torcida brasileira.

O Piu, como é conhecido, tem apenas 21 anos de idade, mas é um talento consolidado. Melhor atleta Pan-Americano e 7º na estreia em um Mundial sênior, medalha de bronze no Mundial sub-20 de 2018 e ouro no Campeonato do Mundo no revezamento misto sub-18 em 2017. O ápice, até agora, aconteceu em 2021, cravando seis vezes o recorde sul-americano nos 400m com barreiras (46,72s) rumo à medalha de bronze em Tóquio 2020, apenas batido por Karsten Warholm, bicampeão mundial e campeão Olímpico, e pelo norte-americano Rai Benjamin, que tem sido o grande rival do norueguês.

“A dureza do atletismo é que é um esporte individual. Você vai treinar, descansar, se alimentar, competir. Sou eu que respondo por tudo. Tenho um coach, o Moreno, que a gente trabalha bastante. Tenho psicólogos também, pessoas que estão sempre presentes para eu estar tranquilo para competir.”

Alison dos Santos ao programa Bem Amigos.

O futuro promete para o paulista de São Joaquim da Barra. Que marcas poderá superar? Conseguirá bater o campeão Olímpico Warholm? Eventualmente melhorar o bronze em Paris 2024? Tendo em conta que desde Barcelona 1992 até aos Jogos de Tóquio 2020 o recorde mundial dos 400m com barreiras passou dos 46,78s de Kevin Young para os 45,94s de Karsten Warholm, a margem para continuar evoluindo é grande.

A ação será retomada com um calendário intenso de competições da Liga de Diamante, onde Alison dos Santos não estará envolvido até final do mês de agosto já que os 400m com barreiras não estão no programa em Eugene, Lausanne ou Paris. O provável regresso deverá acontecer em Bruxelas, na Bélgica, durante a penúltima rodada da Liga de Diamante, onde o Piu já ganhou na atual temporada conquistando o meeting de Estocolmo.

Confira a agenda dos eventos da Liga de Diamante até final da temporada:

  • Dia 21 de agosto: etapa de Eugene (EUA)
  • Dia 26 de agosto: etapa de Lausanne (Suíça)
  • Dia 28 de agosto: etapa de Paris (França)
  • Dia 3 de setembro: etapa de Bruxelas (Bélgica)
  • Dias 8 e 9 de setembro: etapa final em Zurique (Suíça)

Thiago Braz no meeting de Paris?

No Hayward Field de Eugene (EUA), a Liga de Diamante regressa com destaque para o sprint masculino, onde o campeão Olímpico dos 200m Andre De Grasse mede forças com o vice-campeão Kenny Bednarek. Nos 5000m a medalhada com o ouro Sifan Hassan volta a encontrar as etíopes que a acompanharam no pódio Olímpico, Hellen Obiri e Gudaf Tsegay, enquanto no salto triplo o português Pedro Pablo Pichardo testará o estatuto de campeão em Tóquio frente a Fabrice Zango (prata nos Jogos).

Darlan Romani também viaja para os EUA após ser 4º em Tóquio 2020 no arremesso do peso. Pela frente terá os medalhistas olímpicos Ryan Crouser, Joe Kovacs e Tomas Walsh. O atleta de Concórdia (SC) foi recentemente notícia pelo êxito de um crowdfunding que ultrapassou 300 mil reais e que permite não só preparar a transição do atual ciclo Olímpico para o que agora se inicia para Paris 2024, mas sobretudo contribuir para vários projetos sociais apoiados por Darlan Romani.

Na Europa, as estrelas do sprint feminino vão encontrar-se em Lausanne no primeiro teste para a rainha de Tóquio 2020, Elaine Thompson-Herah, ouro nos 100m e nos 200m. Dias mais tarde, o meeting de Paris vai reunir 30 atletas medalhados em Tóquio 2020, entre eles as estrelas do salto com vara como o campeão Olímpico e recordista mundial Armand Mondo Duplantis, que nunca venceu um evento da Liga de Diamante. Estará Thiago Braz no meeting de Paris? Por agora, o medalha de bronze em Tóquio 2020 e ouro na Rio 2016, voltou aos treinamentos ainda sem comunicar publicamente em que evento vai regressar à competição, mas tendo em conta que a maioria dos craques da vara competem na capital francesa, diz a lógica que o brasileiro poderia também participar.

A Liga de Diamante 2021 encerra em Zurique, com dois de competição.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual