Pedro Pichardo domina e é campeão mundial no salto triplo

Com a marca de 17,95m obtida logo na primeira tentativa, atleta conquista título inédito em sua carreira, o sétimo em Mundiais de Atletismo para Portugal. No revezamento masculino 4x100m, quarteto brasileiro fica em sétimo lugar.

Virgilio Franceschi Neto
Foto: 2022 Getty Images

Sábado, 23 de julho. Um dia para entrar na história. Pedro Pichardo fez 17,95m logo em sua primeira oportunidade e conquistou o título no salto triplo do Campeonato Mundial de Atletismo 2022. Uma conquista que faltava ao currículo do atual campeão Olímpico.

Com o título de Pichardo, esta é a 22ª medalha para Portugal em Mundiais de Atletismo, a sétima de ouro e a segunda dourada no salto triplo (Nelson Évora foi campeão mundial em 2007).

"É uma emoção muito grande. Depois dos Jogos Olímpicos, em que fui campeão, tinha esse título em dívida comigo mesmo", afirmou Pichardo.

"Quero agradecer meu pai, minha família e meu país, Portugal, que me deu a chance de continuar competindo no mais alto nível", comentou.

ENTREVISTA EXCLUSIVA - Pedro Pichardo: 'Estamos a trabalhar para passar os 18,30m'

Pedro Pichardo durante a final do salto triplo no Campeonato Mundial de Atletismo 2022.
Foto: Getty Images

Um ouro moldado de imediato

Primeiro colocado na fase classificatória com 17,16m, Pichardo mostrou logo no início o quão longe podia chegar. Marcou 17,95m que impressionou todo o estádio e deixou os adversários atônitos.

RELEMBRE: Pedro Pichardo está na final do salto triplo

Disputariam a prata, porque o ouro seria dele.

Não foi de outro jeito. Aproveitou o momento e as palmas dos torcedores presentes em Hayward Field para administrar a liderança. Talvez pudesse sim em um dos saltos quebrar o recorde mundial, de 18,29m, que pertence a Jonathan Edwards e que dura desde 1995.

O recorde não aconteceu, mas o título de melhor do mundo no salto triplo, sim. Uma conquista que Pichardo ainda não tinha na carreira. A prata foi para Hugues Fabrice Zango (BUR), com 17,55m. O bronze ficou com ZHU Yaming (CHN), com 17,31m. Posições invertidas em relação a Tóquio 2020, quando o chinês foi prata e o burkinabé, bronze.

"No segundo salto eu continuei a tentar passar os 18 metros, também não saiu e tentei até que acabou a prova. Mas o mais importante e objetivo principal era ganhar a medalha de ouro e isso me deixa feliz", revelou Pedro Pichardo para o site da Federação Portuguesa de Atletismo. "Já fui campeão Olímpico, agora mundial, campeão europeu em pista coberta, ganhei duas etapas de Liga Diamante, mas isso não chega. Ainda preciso ser campeão europeu, ganhar mais troféus e, acima de tudo, melhorar as minhas marcas e continuar a perseguir o recorde mundial", acrescentou.

Em seu segundo Mundial por Portugal, a medalha de ouro. Há três anos, ficou em quarto lugar em Doha. Nascido em Cuba, naturalizou-se português em 2018. Fixou residência em Lisboa, onde vive com a família e é treinado pelo seu pai, Jorge Pichardo e é atleta do Sport Lisboa e Benfica.

Esta foi a quinta medalha de Portugal no salto triplo em Mundiais de Atletismo. Todas as quatro anteriores foram obtidas por Nelson Évora. Além do ouro em Osaka 2007, foi prata em Berlim 2009, e bronze nas edições de Beijing 2015 e Londres 2017.

Outro português na prova, Tiago Pereira terminou em 10º lugar, com 16,69m. O brasileiro Almir dos Santos ficou em sétimo, com 16,87m.

Brasil em sétimo lugar no revezamento 4x100m

Na prova que encerrou o penúltimo dia de competições do Campeonato Mundial de Atletismo 2022, o quarteto brasileiro do revezamento 4x100m terminou na sétima posição.

RELEMBRE: Mundial de Atletismo: Thiago Braz e revezamento brasileiro dos 4x100m avançam às finais

Rodrigo do Nascimento, Felipe Bardi, Derick Silva e Erik Cardoso fizeram o melhor tempo do time na temporada, com 38s25. No classificatório tinham feito 38s41.

A medalha de ouro foi para o Canadá, que terminou com 37s48. A prata foi para a equipe dos Estados Unidos, com 37s55. O bronze ficou com a Grã Bretanha, que fez o tempo de 37s83.

Rodrigo do Nascimento, que começou o revezamento, disse para o Sportv: "Sabíamos que ia ser muito complicado. Tudo pode acontecer. O revezamento é apaixonante, mas tudo pode acontecer."

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual