Alison dos Santos quer desafiar favoritos pelo título no Mundial de Atletismo

Depois de uma grande ascensão no último ciclo Olímpico, o corredor brasileiro se sente pronto para enfrentar o recordista mundial Karsten Warholm e o americano Rai Benjamin. Saiba como acompanhar o medalhista Olímpico de bronze em Oregon, nos EUA.

Sheila Vieira
Foto: 2021 Getty Images

Lutar pelo ouro nos 400m com barreiras masculino parecia um sonho um pouco distante para Alison dos Santos após Tóquio 2020. O brasileiro conquistou a medalha de bronze aos 21 anos, mas Karsten Warholm quebrou o recorde mundial na mesma prova, o primeiro e único a completá-la em menos de 46 segundos.

Porém, em 2022, Alison mostrou que está pronto para dar o próximo passo. O brasileiro é o dono do melhor tempo do mundo, 46s80, e venceu quatro corridas na Liga Diamante. Em uma delas, derrotou pela primeira vez o americano Rai Benjamin, medalhista de prata em Tóquio.

Alison, Warholm e Benjamin devem se reencontrar no Campeonato Mundial de Atletismo, que acontece de 15 a 24 de julho, em Eugene, Oregon, nos EUA, para mais um capítulo histórico da prova mais disputada do atletismo atual.

Alison dos Santos comemora a conquista dos 400m com barreiras na etapa de Doha da Liga Diamante 2022.
Foto: 2022 Getty Images

Warholm vira incógnita após lesão

O status de Warholm ainda é um mistério. Em sua primeira prova no ano, no início de junho, em Rabat, no Marrocos, o norueguês sentiu a perna logo no início da prova e não completou. Segundo a imprensa do país, o recordista mundial irá aos EUA para tentar o terceiro título mundial consecutivo.

"Na minha opinião, a diferença dele [Warholm] é psicológica. Você tem que ser meio doido pra entrar na pista e correr 400 com barreira em 45 segundos (risos). Se você dividir o tempo entre as barreiras, vai achar impossível alguém fazer isso. Tem que ser muito forte desde o início da prova. Se você começar assim, vai conseguir terminar? Você começa a colocar barreiras para você mesmo, se limitando. Ele não liga se vai chegar na linha ou não, ele vai. Ele quer muito. Para fazer o que ele faz, precisa ter um psicológico muito grande", disse Alison ao Olympics.com em junho.

Benjamin é dono do segundo melhor tempo de 2022, 47s04 na seletiva americana. Era o melhor do ano até Alison correr abaixo de 47 em Estocolmo.

"Os meus 200 metros finais são mais fortes que os deles. Por isso estamos tentando ser mais rápidos no começo. O Benjamin é mais cadenciado, o forte dele é o miolo da prova. Cada um tem o seu estilo e todos são competitivos lado a lado", afirmou o brasileiro.

MAIS | Darlan Romani busca feito incrível ao ar livre

Nova estratégia de passadas

Alison tem colocado em prática um novo padrão de prova para desafiar os seus adversários.

"Em 2021, a gente já estava sentindo que precisava colocar mais intervalos com 12 passadas, porque eu me sentia sufocado nas barreiras. Queria ser mais rápido, mas faltava espaço. Agora começamos a fazer testes. Faço 20 passadas até a primeira barreira, isso não mudou. Da primeira para a segunda, faço 13. E da segunda à sexta, faço 12. Depois volto a 13 até o final. Nos testes, estamos mais rápidos do que em Tóquio. Essa solução é para ser mais rápido no início, para ser mais competitivo contra o Warholm e o Benjamin nos 200 metros finais", explicou.

A única certeza é que os 400m com barreiras prometem deixar o público mais uma vez sem fôlego.

"O que estamos fazendo, no masculino e no feminino, é fora do comum. Vai demorar para acontecer de novo. Três atletas quebrarem o recorde Olímpico na final, e isso aconteceu no feminino também, é fazer história. É a prova mais forte do atletismo mundial, porque não é só um atleta com bons resultados. São mais que três com resultados absurdos", opinou o brasileiro.

Mesmo se o ouro não vier em Oregon, o atleta de 22 anos ainda tem muitas oportunidades de se tornar o melhor do mundo.

"Como eu evoluí rápido no atletismo, fui jogado no mundo dos leões, passei perrengues. Mas como a gente quer fazer história, quer ser campeão Olímpico, campeão mundial e recordista mundial, a gente tem que desenvolver essa maturidade."

Karsten Warholm e Alison dos Santos reagem após a final em Tóquio 2020.
Foto: 2021 Getty Images

Alison dos Santos no Mundial de Atletismo, 400m com barreiras - datas e horários

  • Eliminatórias - 16 de julho - 17:20 (horário de Brasília)
  • Semifinais - 17 de julho - 22:03 (horário de Brasília)
  • Final - 19 de julho - 23:50 (horário de Brasília)

O Mundial de Atletismo tem transmissão no Brasil nos canais Sportv.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual