#StrongerTogether Hoefflin e Gremaud: uma amizade no pódio

Cada ascensão, cada queda, cada vitória - estamos juntos #StrongerTogether. Nos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018, Sarah Hoefflin e Mathilde Gremaud dividiram o pódio na pista de esqui. Alimentadas por sua amizade, as duas esquiadoras esperam fazê-lo novamente em Beijing 2022. Elas até sonham com uma grande vitória suíça de esqui estilo livre com a ajuda de Giulia Tanno.

Nicolas Kohlhuber
Foto: 2018 Getty Images

A mensagem da campanha #StrongerTogether 2022 pode ser resumida por este lema: “Cada ascensão, cada queda, cada vitória, estamos juntos”.

Quando acreditamos uns nos outros, podemos fazer o inacreditável acontecer. A crença nos outros inspira a nós crermos em nós mesmos; dar aquele salto, acertar aquela manobra, ir até o final. Através de cada ascensão, cada queda, cada vitória, estamos juntos.

Sarah Hoefflin e Mathilde Gremaud são a personificação do espírito #StrongerTogether. Há quatro anos, as duas atletas suíças dividiram o pódio no evento Esqui slopestyle em PyeongChang 2018, com Hoefflin ganhando o ouro e Gremaud a prata.

A forte ligação entre os duas esquiadoras teve um papel significativo no resultado e acrescentou outra dimensão à essa ocasião especial.

Embora Hoefflin tenha terminado com 3,40 pontos à frente de Gremaud, as esquiadoras comemoraram a conquista uma da outra.

"Quando penso nisso, se eu tivesse que escolher alguém para terminar antes de mim, teria escolhido Sarah. Foi muito legal", disse Gremaud ao Olympics.com.

Ambas as esquiadoras admitiram que tinham maiores ambições para PyeongChang: um pódio suíço com a ajuda de Giulia Tanno. Mas a equipe suíça não teve a oportunidade. Tanno se machucou duas semanas antes dos Jogos Olímpicos de Inverno e não chegou a PyeongChang 2018.

"O grande sonho era que nós três estivéssemos no pódio. Era a única coisa que eu queria: estar juntas neste pódio. Eu não me importava com o ranking, não importava se eu tivesse que terminar primeiro ou terceiro", disse Hoefflin.

Uma equipe de "muito bons amigos"

Uma varredura no pódio teria sido uma recompensa para uma equipe suíça que se assemelha a uma família. Na equipe de esqui estilo livre, os atletas se consideram "muito boas amigas".

As esquiadoras aprendem umas com as outras e neste ambiente compartilham muito tempo e conselhos umas com as outras.

"Estamos tão perto, é realmente especial. Isso nos ajuda muito. Estamos progredindo muito graças ao nosso espírito de equipe", disse Hoefflin.

"Cada uma tem seu próprio caminho, mas estamos sempre juntas", disse Gremaud.

A camaradagem ajuda as atletas a alcançarem o seu melhor, não só em termos de esqui, mas também tem um impacto positivo no seu cotidiano.

"Estou aprendendo muitas coisas com ela (Gremaud). E não só no esqui estilo livre, mas também no dia a dia. Ela sabe muitas coisas, é super inteligente, então temos conversas muito interessantes. É incrível tê-la no time", disse Hoefflin sobre sua compatriota, que é nove anos mais nova que ela.

LEIA : Cinco coisas a saber sobre o esqui estilo livre em Beijing 2022

Duas amigas que compartilham mais do que um pódio Olímpico

Hoefflin, que começou no esqui estilo livre aos 20 anos, e a jovem prodígio Gremaud são de gerações diferentes. No entanto, o esporte e a paixão pelo esqui as uniram. E agora, elas são boas amigas. O sentimento de amizade é mais forte do que sua rivalidade na competição. As duas esquiadoras apreciam, elogiam e incentivam uma a outra para serem melhores.

"Ela é uma amiga muito boa", disse Hoefflin. "Ela é uma inspiração, ela é realmente incrível", confessou Gremaud.

Ambas alcançaram 12 pódios na Copa do Mundo, dos quais compartilharam quatro. Compartilhar um pódio com uma amiga próxima nos Jogos Olímpicos de Inverno ou em qualquer evento internacional torna o momento ainda mais memorável.

"Não apenas nos Jogos, mas é sempre melhor dividir o pódio com um amigo próximo. É muito inspirador", disse Gremaud.

Embora as duas esquiadoras muitas vezes se enfrentassem na competição, as atletas suíças são consideradas mais amigas do que rivais, o que não mudou ao longo do tempo. A meta Olímpica para Beijing 2022 também não mudou.

Elas esperam replicar o que seus compatriotas Jolanda Neff, Sina Frei e Linda Indergand fizeram no mountain bike em Tóquio 2020: dividindo o pódio com Tanno para um 1º, 2º, 3º lugar suíço.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual