Seleção brasileira masculina Olímpica é convocada: confira a lista e alguns craques para ficar de olho

O treinador André Jardine divulgou a lista dos 22 futebolistas para Tóquio 2020

Virgílio Franceschi Neto
Foto: 2016 Getty Images

Já quase 5 anos se passaram daquele pênalti batido por Neymar que deu a medalha de ouro para o Brasil, contra a Alemanha, diante de um Maracanã lotado. Depois de algumas medalhas de prata e de bronze, o ouro demorou para chegar, entretanto, o cenário e a ocasião foram perfeitos.

O elenco, que vem sendo elaborado desde 2019, garantiu vaga para os Jogos de Tóquio 2020 em 2021 no torneio Pré-Olímpico realizado na Colômbia, em janeiro de 2020, com uma campanha invicta e que teve Matheus Cunha como artilheiro com 5 gols.

Recentemente, dois amistosos foram realizados em Belgrado, como preparação para os Jogos Olímpicos. Derrota para a seleção principal de Cabo Verde por 2 a 1 no dia 5 de junho, e vitória sobre a sub-24 da Sérvia por 3 a 0, no dia 8.

Inicialmente na lista, Gabriel Magalhães foi cortado no dia 6 de julho em função de uma lesão no joelho direito. O substituto foi anunciado no dia 8: o zagueiro vascaíno Ricardo Graça. Com 22 jogadores, 3 deles nascidos antes de 1997, eis a relação da seleção masculina de futebol convocada pelo treinador André Jardine, em busca do bicampeonato Olímpico:

Goleiros

Brenno - Grêmio FBPA

Santos - Athletico Paranaense

Lucão - CR Vasco da Gama

Laterais

Dani Alves - São Paulo FC

Gabriel Menino - SE Palmeiras

Arana - Atlético Mineiro

Abner - Athletico Paranaense

Zagueiros

Bruno Fuchs - CSKA (futebol russo)

Diego Carlos - Sevilla FC (Espanha)

Nino - Fluminense FC

Ricardo Graça - CR Vasco da Gama

Meio-campistas

Bruno Guimarães - Lyon (França)

Claudinho - RB Bragantino

Douglas Luiz - Aston Villa (Inglaterra)

Matheus Henrique - Grêmio FBPA

Reinier - Borussia Dortmund (Alemanha)

Atacantes

Antony - AFC Ajax (Países Baixos)

Malcom - FC Zenit (ROC)

Martinelli - Arsenal FC (Inglaterra)

Matheus Cunha - Hertha Berlim (Alemanha)

Paulinho - Bayer Leverkusen (Alemanha)

Richarlison - Everton FC (Inglaterra)

O atacante Richarlison foi convocado para o lugar de Pedro, do Flamengo. O clube carioca recorreu ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para evitar a ida dele ao Japão, que faria o atleta perder os compromissos com o rubro-negro. O Flamengo obteve liminar favorável, uma vez que a agenda do futebol dos Jogos Olímpicos, ao contrário da Copa América, não é considerada data FIFA.

Já o meio-campista Gerson não foi liberado pelo Olympique de Marselha (França), equipe que o comprou recentemente, e por isso não disputará os Jogos. Para o seu lugar foi chamado Douglas Augusto, do PAOK (Grécia), que também foi cortado recentemente por conta de um estiramento na coxa esquerda. Para o lugar dele foi novamente convocado Malcom, que havia antes sido chamado, mas sem a autorização do clube a comissão técnica optou por substituí-lo. Entretanto desta vez houve a liberação e o atacante disputará os Jogos. Ademais, o treinador André Jardine chamou o atacante Martinelli, do inglês Arsenal.

Além dessas mudanças, a FIFA (Federação Internacional de Futebol) permitiu às seleções a convocação de mais quatro futebolistas para os Jogos de Tóquio 2020 em 2021. Pelo Brasil foram chamados: Reinier (Borussia Dortmund), Bruno Fuchs (CSKA), Abner (Athletico Paranaense) e o goleiro Lucão (CR Vasco da Gama).

Alguns craques para ficar de olho

Matheus Cunha comemora gol da seleção Olímpica do Brasil sobre o Chile em amistoso no Pacaembu
Foto: ale@alexandreschneider.com

Matheus Cunha

Artilheiro do torneio Pré-Olímpico com 5 gols, o atacante do Hertha Berlim é grande revelação do futebol do Brasil, tendo feito um excelente ano de 2020 pelo clube e pela seleção. Na última temporada pelo Hertha, participou diretamente de 16 gols, 8 marcados e 8 assistências.

Também em 2020 foi convocado para a seleção principal no lugar de Gabriel Jesus, para dois jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA 2022, contra Bolívia e Peru. Pela seleção Olímpica, foram 16 gols em 18 jogos. Ficou de fora dos amistosos de junho porque se recuperava de uma lesão no tornozelo, e não esconde a ansiedade de representar o país nos Jogos Olímpicos.

Vestir a amarelinha é um dos maiores orgulhos e prazeres que tenho.

Matheus Cunha, para o site globoesporte.com

Bruno Guimarães

Capitão da equipe nos amistosos contra Cabo Verde e Sérvia, o atacante foi peça fundamental no Pré-Olímpico de 2020 - em que também foi o capitão -, na Colômbia. Nos últimos anos tem se destacado bastante em seu clube, o Lyon (FRA). O bom desempenho tem feito Bruno estar no radar de muitos grandes clubes da Europa.

Para vestir essa camisa, tem que ter personalidade, porque quando você entra em campo, você honra as cinco Copas do Mundo, honra a população do Brasil, que é apaixonada por futebol. Estou feliz, quero poder treinar, quero jogar, ajudar meus companheiros, entrar em campo.

Bruno Guimarães, para o site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

Arana

O lateral revelado pelo Corinthians foi presença constante nas convocações da seleção Olímpica. Relacionado para os recentes amistosos de junho, o atleta, atualmente no Atlético Mineiro, foi o autor do primeiro gol - um golaço, por sinal - do Brasil sobre a Sérvia, em Belgrado no último dia 8.

A boa atuação nestas partidas e pelo seu clube, fizeram-no estar entre os 18 relacionados por André Jardine.

Tenho certeza que, independente de quem for representar o Brasil em Tóquio, vai dar conta do recado porque temos grandes jogadores. É um sonho que eu tenho, trabalho muito, minha família também está muito ansiosa. Agora deixo nas mãos de Deus, na mão do professor. Ele sabe quem pode levar e que pode contar comigo também, se eu for ele pode ter certeza que darei meu máximo para representar meu país. Esse é o meu objetivo, estar nessa convocação final.

Arana, após a vitória do Brasil sobre a Sérvia, para o site da CBF

Antony

O atacante do Ajax, de Amsterdã (Países Baixos), foi o autor do primeiro gol desta seleção Olímpica no ciclo de preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 em 2021. Na ocasião, empate em 1 a 1 contra o Japão pelo Torneio de Toulon, em 2019.

De lá pra cá, muita coisa mudou. Pela seleção Olímpica, foi muito importante para a classificação para os Jogos. Pelo Ajax, o paulista de Osasco celebra o bom momento, uma vez que o futebol neerlandês, com uma cultura ofensiva, rapidez, eficiência e tática, em que o gol é o mais importante, se encaixa mais ao seu estilo de jogo.

Defender meu país sempre será uma grande honra e sei que a comissão técnica da seleção me leva em consideração. Tudo tem seu tempo e vou lutar para disputar os Jogos de Tóquio e também para estrear na seleção principal. Esse é o meu objetivo.

Antony, para o jornal espanhol "As"

O Brasil no torneio Olímpico do futebol masculino

No torneio Olímpico do futebol masculino, são 16 equipes divididas em 4 grupos, o Brasil está no D, ao lado da atual vice-campeã Olímpica, a Alemanha, além da Costa do Marfim e da Arábia Saudita.

É justamente contra os alemães que os brasileiros farão a estreia na competição, dia 22 de julho (quinta-feira), às 8h30 (horário de Brasília), no estádio de Yokohama. É a reedição da final Olímpica de 2016, curiosamente em um lugar que envolve tanto o Brasil quanto a Alemanha na história da modalidade: o jogo será no estádio onde os dois países disputaram a decisão da Copa do Mundo FIFA 2002. Na ocasião, vitória do Brasil por 2 a 0 com os dois gols marcados por Ronaldo.

O Brasil voltará a campo no dia 25 de julho (domingo) às 5h30 (horário de Brasília) contra a Costa do Marfim, também em Yokohama. O terceiro e último confronto na fase de grupos será contra a Arábia Saudita, dia 28 de julho (quarta-feira), às 5h30 (horário de Brasília), em Saitama, no mesmo estádio onde o Brasil superou a Turquia por 1 a 0 na semi-final da Copa do Mundo FIFA 2002.

Seleção brasileira durante o hino antes da final Olímpica nos Jogos Rio 2016
Foto: 2016 Getty Images

Jogos da seleção masculina de futebol durante a fase de grupos do torneio Olímpico

  • Brasil x Alemanha - 22 de julho (quinta-feira) - Estádio de Yokohama - 8h30 (horário de Brasília)
  • Brasil x Costa do Marfim - 25 de julho (domingo) - Estádio de Yokohama - 5h30 (horário de Brasília)
  • Brasil x Arábia Saudita - 28 de julho (quarta-feira) - Estádio de Saitama - 5h (horário de Brasília)