Mundial masculino de Vôlei 2022: prévia e programação das oitavas de final

A 20ª edição do evento acontece na Polônia e na Eslovênia e vai até o dia 11 de setembro. Fase oitavas de final começa no sábado, dia 3. Brasil terminou em primeiro no grupo B e agora vai enfrentar a República Islâmica do Irã, na terça-feira dia 6.

ZK Goh e Virgílio Franceschi Neto
Foto: FIVB

Após a fase de grupos, apenas 16 das melhores equipes continuam na caça ao título do Mundial masculino de Vôlei 2022.

Apenas um ano após o fim do torneio Olímpico do vôlei, a 20ª edição do Mundial vai para a fase eliminatória, com as oitavas de final de 3 a 6 de setembro.

Originalmente previsto para ser realizado na Rússia, o evento foi transferido para a Polônia e a Eslovênia, que se apresentaram como candidatas após o início da guerra na Ucrânia.

Uma das sedes, a Polônia é a atual bicampeã do mundo, tendo vencido em Katowice em 2014 e em Turim, na Itália, em 2018. Na primeira fase eles chegaram ao topo do grupo C com nove pontos em três jogos e continuam entre os favoritos para mais um Mundial desta vez diante da torcida.

Depois de um susto no início, o Brasil também ficou em primeiro no seu grupo. Tricampeões, os brasileiros estiveram nas últimas cinco decisões e sempre são candidatos ao título. Terão grande concorrência de italianos e sérvios, detentores das melhores campanhas na primeira fase, sem perderem um set sequer.

Descubra abaixo tudo o que você precisa saber sobre a fase eliminatória da competição, a partir de sábado dia 3 de setembro, com as oitavas de final.

Mundial masculino de Vôlei 2022: classificação final da fase de grupos e equipes para ficar de olho

Três cidades-sede nos dois países receberam as 24 equipes, que foram divididas em seis grupos para a fase inicial do torneio.

As duas melhores equipes de cada grupo, mais os quatro melhores times em terceiro lugar, avançaram para a fase eliminatória.

Isso substitui o formato antigo, que em 2018 teve grupos organizados em três fases do torneio antes da semifinal e da final.

A Arena Stozice em Ljubljana recebeu quatro grupos, B, D, E e F. Vai ser palco de quatro jogos das oitavas e dois das quartas de final.

Enquanto isso, a arena coberta Spodek, em Katowice (Polônia), teve jogos dos grupos A e C. Também receberá as semifinais e as partidas que valerão medalhas.

Uma dos maiores recintos cobertos da Polônia, a Arena Gliwice dará lugar aos outros quatro jogos das oitavas e dois das quartas de final.

Classificações finais dos grupos. Cada equipe jogou 3 partidas:

Grupo A (Katowice/Polônia)

  1. Sérvia. 9 pontos - classificada para as oitavas.
  2. Ucrânia. 6 pontos - classificada para as oitavas
  3. Tunísia. 3 pontos - classificada como a quarta melhor terceira colocada.
  4. Porto Rico. 0 ponto.

Grupo B (Ljubljana/Eslovênia)

  1. Brasil. 8 pontos - classificado para as oitavas.
  2. Japão. 6 pontos - classificado para as oitavas.
  3. Cuba. 4 pontos - classificada como a segunda melhor terceira colocada.
  4. Catar. 0 ponto.

Grupo C (Katowice/Polônia)

  1. Polônia (co-anfitriã). 9 pontos - classificada para as oitavas.
  2. Estados Unidos. 6 pontos - classificados para as oitavas.
  3. México. 2 pontos.
  4. Bulgária. 1 ponto.

Grupo D (Ljubljana/Eslovênia)

  1. França. 8 pontos - classificada para as oitavas.
  2. Eslovênia (co-anfitriã). 7 pontos - classificada para as oitavas.
  3. Alemanha. 3 pontos - classificada como terceira melhor terceira colcoada.
  4. Camarões. 0 ponto.

Grupo E (Ljubljana/Eslovênia)

  1. Itália. 9 pontos - classificada para as oitavas.
  2. Turquia. 6 pontos - classificada para as oitavas.
  3. Canadá. 3 pontos.
  4. República Popular da China. 0 ponto.

Grupo F (Ljubljana/Eslovênia)

  1. Países Baixos. 8 pontos - classificados para as oitavas.
  2. República Islâmica do Irã. 5 pontos - classificado para as oitavas.
  3. Argentina. 4 pontos - classificada como primeira melhor terceira colocada.
  4. Egito. 1 ponto.

Polônia vai em busca do tri

Atuais bicampeões mundiais, os poloneses contam com o fator casa para alcançarem o tricampeonato de maneira consecutiva. A primeira fase só não foi perfeita porque perderam um set para os Estados Unidos no último jogo.

O oposto Bartosz Kurek é um dos grandes destaques do time. Campeão da última edição em 2018, é o capitão, líder de um plantel que quer fazer bonito diante da torcida. "Nosso capitão anterior, Kubiak, é grande exemplo para mim e para todos do time, ainda pego muito da conduta dele e procuro implementar. Meus colegas são muito profissionais, eles me surpreendem todos os dias pela fome que têm para mais e tornarem-se melhores atletas. Eles sabem lidar com a pressão. É uma grande satisfação ser o capitão deles", disse Kurek para as redes da FIVB (Federação Internacional de Vôlei).

Itália e Sérvia terminaram com as melhores campanhas

A Itália quer, nesta edição do Mundial masculino de Vôlei, colocar fim a um jejum de mais de 20 anos. Campeã em três ocasiões (1990, 1994 e 1998), é uma das maiores escolas da modalidade. Tudo pode ser diferente neste ano, já que a equipe fez a melhor campanha da primeira fase, sem perder um set e sem sustos.

A Sérvia também não perdeu sets ainda. Três jogos e três vitórias. No entanto, diferente da Itália, tomou alguns sustos. Justamente nos primeiros sets contra os três adversários da primeira fase. Contra a Ucrânia, vitória por 28 a 26; um 26 a 24 em Porto Rico e, finalmente, 29 a 27 na Tunísia. Depois, deslanchou, é verdade. Os ponteiros Ivovic e Kovacevic são referências do time, mas será o primeiro set o calcanhar de Aquiles dos sérvios?

Brasil quer o tetra em sexta final consecutiva

A seleção brasileira terminou líder do grupo B, com três resultados positivos.

Na estreia, vitória apertada e de virada sobre Cuba por 3 a 2, depois de estarem perdendo por 2 sets a 0. Jogo em que a dupla Fernando Cachopa e Wallace foi determinante.

Relembre: Brasil vence Cuba de virada na estreia do Mundial masculino de Vôlei

Na sequência, dois 3 a 0 sobre o Japão e em cima do Catar. O time não podia dar ao luxo de perder mais sets para não cair na classificação geral. O treinador, Renan dal Zotto, sabia disso e comentou para as redes da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) após a vitória sobre os cataris: "Sabíamos que não poderíamos perder nenhum set. Queríamos dar condição de jogos para a maioria dos nossos atletas, pois ficaremos uns quatro dias pelo menos sem jogar."

Mais que quatro dias, na verdade. O Brasil voltará à quadra no dia 6 (terça-feira), contra a República Islâmica do Irã. A seleção sai da capital eslovena, Ljubljana, para atuar em Gilwice (Polônia).

Os brasileiros fizeram a terceira melhor campanha da primeira fase. No entanto, como o regulamento da competição coloca as anfitriões Polônia e Eslovênia, ambas classificadas, como cabeças de chave das oitavas, o Brail na classificação geral ficou em quinto.

Num formato em que o primeiro classificado joga contra o último, o segundo contra o penúltimo e assim por diante, a seleção brasileira vai jogar contra os iranianos, que ficaram na 12ª posição.

É tudo ou nada a partir de agora para o Brasil na caminhada para o tetracampeonato do Mundo. Caso chegue à decisão, será a sexta final consecutiva da seleção. Tricampeã em 2002, 2006 e 2010, foi vice em 2014 e 2018, justamente contra a Polônia.

A sorte está lançada e a fase eliminatória do Mundial masculino de vôlei é garantia de muita ação e emoção!

Mundial masculino de Vôlei: programação completa

Jogos pelo horário de Brasília (-4:00 em relação a Lisboa)

Sábado 3 de setembro

  • 12:30 – Eslovênia x Alemanha
  • 16:00 – Itália x Cuba

Domingo 4 de setembro

  • 12:30 – Estados Unidos x Turquia
  • 16:00 – Polônia x Tunísia

Segunda-feira 5 de setembro

  • 12:30 – Países Baixos x Ucrânia
  • 16:00 – França x Japão

Terça-feira 6 de setembro

  • 12:30 – Sérvia x Argentina
  • 16:00 – Brasil x República Islâmica do Irã

Quarta-feira 7 de setembro

  • 12:30 – Quartas de final, Ljubljana (Eslovênia)
  • 16:00 – Quartas de final, Ljubljana (Eslovênia)

Quinta-feira 8 de setembro

  • 12:30 – Quartas de final, Gilwice (Polônia)
  • 16:00 – Quartas de final, Gilwice (Polônia)

Sábado 10 de setembro

  • 13:00 – Semifinal, Katowice (Polônia)
  • 16:00 – Semifinal, Katowice (Polônia)

Domingo 11 de setembro

  • 13:00 – Jogo pelo terceiro lugar, Katowice (Polônia)
  • 16:00 – Final, Katowice (Polônia)

Onde assistir ao Mundial masculino de vôlei

O Mundial masculino de Vôlei está sendo transmitido para o Brasil através do Sportv2.

Para Portugal, pelos canais Sport TV.

Em outros países os fãs do vôlei poderão acompanhar pelo streaming da FIVB (Federação Internacional de Vôlei), a Volleyball TV.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual