Alerta de medalha: quarto ouro para Johannes Thingnes Boe no biatlo em Beijing 2022, agora nos 15km largada em massa

Norueguês liderou praticamente toda a prova e chegou a mais uma vitória. Sueco Ponsiluoma é prata, e Vetle Sjaastad Christiansen, também da Noruega, é bronze.

Daniel Perissé
Foto: 1 Getty Images

O norueguês Johannes Thingnes Boe chegou à impressionante marca de quatro ouros em Beijing 2022 ao vencer a prova de 15km largada em massa do biatlo, nesta sexta-feira.

A prata ficou com Martin Ponsiluoma, da Suécia, e o bronze foi para Vetle Sjaastad Christiansen, também da Noruega.

O tempo final do norueguês foi de 38min14s4, enquanto o sueco chegou a 40s3. Christiansen veio mais atrás, a 1min12s5.

"Vinha bastante cansado desde os dois últimos dias após o revezamento. Foi tudo uma questão de não relaxar, de não pensar em coisas ruins e focar na energia boa. Mantive a cabeça erguida, concentrado para mais uma corrida e forcei muito para chegar lá," comentou Boe.

Duelo com francês não aconteceu

Uma das principais atrações da prova seria o duelo entre Boe e o francês Quentin Fillon Maillet pelo maior número de medalhas em provas do biatlo nestes Jogos de Inverno. Ao final, ambos ficaram com cinco e o norueguês levou ampla vantagem nos ouros: quatro a dois.

O francês até começou bem a prova, liderando após a marca de 0,9km. Porém, Boe já assumiu a ponta logo no quilômetro seguinte, mantendo-se lá até os 3km e a primeira parada de tiro - nela, ambos erraram um alvo.

Entre os 3 e 4,9km, eles perderam protagonismo para o sueco Sebastian Samuelson e o canadense Scott Gow, que se revezaram na frente.

Da metade para o fim, só deu Boe

E o domínio absoluto de Johannes Thingnes Boe se deu a partir da segunda parada de tiro. Depois de acertar o alvo cinco vezes - contra quatro de Fillon Maillet -, o norueguês começou a imprimir um ritmo forte, com médias de 3 segundos para o segundo colocado até a chegada à terceira parada de tiro.

"O momento decisivo foi a segunda parada de tiro deitado, quando atirei sem erros e saí na frente. E aí abri a vantagem que queria e nunca mais olhei para trás a partir daí," afirmou o norueguês.

Nem mesmo um erro atirando o tirou da ponta folgada. Neste momento, ele já era acompanhado por Ponsiluoma, mas com seis segundos de vantagem. O francês estava em terceiro, com 15s9 atrás.

Na altura para a quarta e última parada de tiro, o norueguês estava com 27 segundos de vantagem para Fillon Maillet. A diferença deve ter abalado o francês, que errou três alvos. Boe, por sua vez, cometeu dois erros, mas nem assim sua liderança estava ameaçada.

"Foi uma batalha muito difícil. Na última parada de tiro, vi Johannes errar duas vezes e sabia que era o caminho perfeito rumo ao ouro. Sei que sou forte atirando em pé, mas naquele momento eu senti as emoções fluírem, as pernas se mexeram e executar os tiros foi muito complicado," explicou Fillon Maillet.

Um quilômetro rumo ao quarto ouro

Com 13,9km de prova, o pódio estava definido.

Boe estava com ampla vantagem para o sueco, de mais de 30 segundos, e foi tranquilo para o trecho final da prova, junto à arquibancada do Centro de Biatlo em Zhangjiakou.

A vantagem era tanta - assim como a alegria por conquistar o quarto ouro nestes Jogos e entrar de vez na história do esporte - que Boe até mandou beijos em direção à câmera que o acompanhava nos metros prévios à linha de chegada.

"Na minha cabeça, eu pensava: 'cinco medalhas em seis provas, quatro ouros'. Também era a medalha de número 15 da Noruega nestes Jogos Olímpicos. Ninguém nunca fez isso antes, então é um grande dia para o meu país também," ressaltou.

Rei do biatlo em Beijing 2022

Com a vitória na prova que encerrou o programa do biatlo, Boe acabou com quatro ouros: além da de hoje, ganhou no sprint individual 10km masculino e nos revezamentos 4x7,5km masculino e 4x6km misto. Além disso, ganhou um bronze nos 20km individual masculino.

"Significa muito (ganhar as quatro medalhas). Você não consegue prever como serão os Jogos Olímpicos. Meus últimos anos como biatleta têm sido fantásticos, mas são os Jogos que importam e estou muito feliz por ter feito meu melhor biatlo justamente neles, nem antes ou depois. Estou muito aliviado," explicou.

Os resultados na República Popular da China só confirmam a evolução e o domínio do norueguês no esporte. Em PyeongChang 2018, ele tinha ficado com três medalhas, um ouro e duas pratas. Ano passado, foi campeão mundial nos revezamentos masculino e misto.

Fillon Maillet, que fechou a prova em quarto, divide agora com Boe o recorde de medalhas para um mesmo biatleta em uma única edição dos Jogos: cinco. Porém, ele foi o primeiro a alcançar a marca, com ouro no 20km individual e perseguição 12,5km masculino; e prata nos 10km sprint masculino e nos revezamentos 4x7,5km masculino e 4x6km misto.

Se tivesse ido ao pódio, o francês teria obtido uma medalha em todas as provas da programação de biatlo em Pequim 2022.

"Estou um pouco triste porque queria seis medalhas em seis provas. Mas estou orgulhoso com relação a esses Jogos. Dois ouros, três pratas. Nunca esperei isso. É um sonho para mim," afirmou.

A programação do biatlo nestes Jogos você confere aqui.

O BIATLO COMEÇA AQUI!

Receba notícias de biatlo, vídeos, destaques dos Jogos Olímpicos de Inverno e muito mais.