Foto: Getty Images

Futebol em Tóquio 2020: quem sucede ao Brasil?

Quando e onde decorrem os jogos do torneio Olímpico de futebol em Tóquio 2020?  Que estrelas podemos ver? Clique para ler.
David Childs & Gonçalo Moreira

O futebol é um de 33 esportes que vão acontecer nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, no verão de 2021.

Mas quais as seleções que vão competir? Quem são os jogadores a observar? Quando acontecerá a prova e onde será jogada? Alguma vez quis saber mais sobre a história Olímpica desse esporte?

Aqui tem o nosso guia com o essencial a saber acerca do futebol Olímpico.

Neymar e Marta em Tóquio 2020?

A seleção feminina do Brasil procura nas Olimpíadas ultrapassar o trauma de duas eliminações consecutivas nas oitavas de final das duas últimas Copas do Mundo da FIFA, a mais recente contra a França, em 2019.

Será a última chance de a geração de ouro do futebol feminino brasileiro continuar um trajeto que já valeu duas medalhas de prata (Atenas 2004 e Pequim 2008) pelo que Tóquio 2020 será especial para jogadoras icónicas como Formiga (Paris Saint-Germain), que participará pela sétima vez nos Jogos Olímpicos.

Neymar e Marta em Tóquio 2020? Se no caso do craque do PSG ainda não sabemos se repetirá a presença Olímpica, para Marta (Orlando Pride) a confirmação será uma mera formalidade, já que a melhor do mundo para a FIFA em seis ocasiões e autora de 8 gols em torneios Olímpicos faz parte dos planos da técnica Pia Sundhage.

A nova geração reúne talentos da Série A1 do Campeonato Brasileiro, conquistado na passada temporada pelo Corinthians, mas maioritariamente por representantes da diáspora canarinha que vai dos Estados Unidos às melhores Ligas europeias. Debinha, Andressa e Kathellen estão preparadas para guiar o Brasil ao ouro e repetir o feito da seleção masculina no Rio 2016.

A oposição deverá vir da todo-poderosa seleção dos Estados Unidos. A campeã do mundo da FIFA e levará ao torneio nipônico uma constelação de estrelas com destaque para Megan Rapinoe que deverá participar pela terceira vez nas Olímpiadas. A goleadora Alex Morgan foi das poucas atletas beneficiadas pela alteração de datas, já que após dar à luz em maio de 2020 seria um nome difícil de vislumbrar na convocatória caso a competição se tivesse disputado em 2020.

A Grã-Bretanha obteve o bilhete Olímpico pela performance da Inglaterra no Campeonato do Mundo da em 2019, quando finalizaram entre as três melhores equipes europeias, precisamente as que se apuraram nas três vagas atribuídas à UEFA. Lucy Bronze, melhor jogadora de 2020 para a FIFA, estará quase com toda a certeza na lista de 18 jogadoras, que pode incluir atletas de Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales.

Pode esperar muitos gols em Tóquio. Algumas das melhores atacantes do mundo, como a australiana Sam Kerr, Vivianne Miedema dos Países Baixos ou a recordista mundial de gols ao serviço de uma seleção nacional, a canadense Christine Sinclair, devem todas participar.

Megan Rapinoe celebrates after scoring the opening goal of the final from the penalty spot

Devido à natureza da competição do futebol masculino em relação ao torneio Olímpico, é difícil identificar as estrelas por não sabermos quem vai estar presente.

Historicamente disputado após grandes competições continentais (como é o caso de 2021 com o UEFA EURO e a Copa América) e sendo considerada uma competição sub23, é frequente conhecermos as convocações bem perto do início dos Jogos. O próprio adiamento dos Jogos levou à alteração dos regulamentos da FIFA, que em Tóquio autorizará a participação de jogadores sub24 anos (nascidos a partir de 01/01/1997), além dos habituais três jogadores adicionais sem limite de idade.

No Brasil a expetativa é defender o ouro do Rio 2016 e para a missão têm sido associados à convocação nomes importantes: o principal é o do artilheiro da última Olimpíada com 4 gols, Neymar (Paris Saint-Germain), mas também os craques Gerson (Flamengo), Gabriel Martinelli (Arsenal), Bruno Guimarães (Lyon), Reinier (Borussia Dortmund) ou Rodrygo (Real Madrid) estão entre os selecionáveis.

Para trás ficou uma noite histórica vivida a 20 de agosto num lotado Maracanã onde a seleção brasileira, pentacampeã mundial e nove vezes campeã da Copa América, conseguiu finalmente conquistar o único troféu importante que faltava à nação: o ouro Olímpico! No Rio 2016 o país-sede dos Jogos empatou 1 a 1 com a Alemanha no tempo regulamentar, mas garantiu a vitória na disputa por pênaltis com um 5 a 4 e o goleiro Weverton como herói nacional após defender o pênalti do germânico Nils Petersen.

Nem todas as estrelas em Tóquio vestirão a camisa canarinha. O campeão de 2018 do Campeonato do Mundo da FIFA Kylian Mbappé esteve nos pré-convocados da França na lista anunciada antes da paragem do calendário esportivo provocado pela pandemia de COVID-19. Também o lendário capitão do Real Madrid e da Espanha, Sérgio Ramos, tem sido relacionado com uma das vagas disponíveis na La Roja.

Para o Japão, o prometedor Takefusa Kubo, jogador do Real Madrid, é o homem a seguir. O internacional japonês, que faz 20 anos em junho, deverá marcar presença em Tóquio após impressionar na La Liga onde marcou um golaço que garantiu a permanência do Getafe, isto após ter iniciado a temporada também por empréstimo no Villarreal.

Formato do torneio de futebol Olímpico nos Jogos de Tóquio 2020

A competição feminina consta de 12 seleções nacionais, divididas em três grupos de quatro. De cada grupo, as primeiras duas equipes se classificam automaticamente para as quartas de final, e as duas vagas restantes irão para os dois melhores terceiros classificados da fase de grupos. As equipes derrotadas nas semifinais vão discutir a medalha de bronze na véspera do encontro de atribuição da medalha de ouro, que decorre na sexta-feira 6 de agosto.

Haverá 16 equipes a competir na fase de grupos da prova masculina, divididas em quatro grupos de quatro, num formato “round-robin”. As duas primeiras de cada grupo se classificam para a fase a eliminar do torneio, que começa nas quartas de final. Daí em diante segue a mesma estrutura da competição feminina, com a disputa pela medalha de ouro a decorrer no sábado 7 de agosto.

Reedição da final do Rio 2016 no Grupo D

Torneio masculino:

A última das 16 vagas entre os homens ficou decidida em março de 2021 com o México, medalha de ouro de Londres 2012, e as Honduras apurados no Pré-Olímpico da CONCACAF organizado em Guadalajara, México.

O anfitrião do evento derrotou o Canadá por 2-0 para reservar a passagem para Tóquio enquanto as Honduras atingiram a quarta presença consecutiva nos Jogos após uma vitória por 2-1 sobre os EUA.

O Brasil vai defender o título em Tóquio após conseguir o apuramento via CONMEBOL juntamente com a Argentina. Haverá reedição da final do Rio 2016 no Grupo D já que os campeões Olímpicos encontram os finalistas vencidos, a Alemanha, que espera melhorar a performance no Japão.

O encontro de abertura do torneio masculino vai colocar frente a frente México e França no dia 22 de julho de 2021 no Tokyo Stadium com o país-sede Japão a defrontar a África do Sul mais tarde nesse dia.

Grupos dos homens em Tóquio 2020

Grupo A: Japão, África do Sul, México, França.

Grupo B: Nova Zelândia, República da Coreia, Honduras, Romênia.

Grupo C: Egito, Espanha, Argentina, Austrália.

Grupo D: Brasil, Alemanha, Costa do Marfim, Arábia Saudita.

EUA começam a campanha com cheirinho a vingança

Torneio feminino:

Os EUA começam a campanha com cheirinho a vingança defrontando a seleção que as eliminou no Rio 2016: a Suécia.

As campeãs do mundo foram levadas à decisão por pênaltis nas quartas de final no Rio, ficando pelo caminho o sonho do quarto ouro consecutivo e falhando o objetivo de atingir a final Olímpica pela primeira vez.

A última vaga na competição de 12 equipes foi para o Chile que empatou 0-0 com Camarões avançando graças a um resultado agregado de 2-1 em Antalya, Turquia, para assim atingir o torneio Olímpico feminino pela primeira vez.

Também a 13 de abril, dois gols de Wang Shuang – incluindo o único gol marcado na prorrogação – viu a China, que chegou às quartas de final no Rio 2016, bater a República da Coreia com um resultado agregado de 4-3 em Suzhou.

A Alemanha, ouro no Rio, falhou o apuramento após perder contra a Suécia nas quartas de final do Mundial FIFA de 2019.

As anfitriãs Japão abrem a participação defrontando o Canadá.

Grupos das mulheres em Tóquio 2020

Grupo E: Japão, Canadá, Grã-Bretanha, Chile.

Grupo F: RP China, Brasil, Zâmbia, Países Baixos.

Grupo G: Suécia, EUA, Austrália, Nova Zelândia.

Calendário do futebol Olímpico dos Jogos de Tóquio 2020 em 2021

A Cerimônia de Abertura de Tóquio 2020 acontece na sexta-feira 23 de julho, mas o futebol começa dois dias antes, na quarta-feira 21 de julho. Logo no primeiro dia de ação teremos seis encontros a decorrer no Sapporo Dome, Miyagi Stadium e Tokyo Stadium, respetivamente.

O torneio masculino inicia no dia seguinte, quinta-feira dia 22, nos mesmos estádios, além do International Stadium em Yokohama para acomodar os dois jogos adicionais.

Esta programação diária de jogos (partidas das mulheres seguidas pelas dos homens) será mantida ao longo dos Jogos.

As quartas de final da competição feminina decorrem na sexta-feira 30 de julho com a equivalente masculina a ter lugar no dia seguinte (sábado 31 de julho). Os finalistas serão confirmados a 2 e 3 de agosto com os jogos pela medalha de ouro da prova feminina agendados para 6ª feira, 6 de agosto, no estádio Olímpico. A final masculina será jogada em Yokohama no dia seguinte.

Locais de competição do futebol Olímpico nos Jogos de Tóquio 2020

A maioria dos jogos vai acontecer em Tóquio e nas cidades vizinhas de Yokohama, Saitama, Kashima e um pouco mais a Norte, Sendai. Sapporo, na ilha japonesa de Hokkaido, também receberá encontros durante Tóquio 2020.

Fãs de todo o mundo terão um sentimento familiar em relação a muitos dos estádios utilizados durante os Jogos, já que muitos foram construídos para o Campeonato do Mundo da FIFA em 2002 que o Japão organizou em conjunto com a República da Coreia. O estádio da final dessa competição, International Stadium em Yokohama, recebe o jogo pela medalha de ouro do torneio masculino no sábado, 7 de agosto.

Breve história do futebol nas Olimpíadas

Desde 1900, o futebol masculino está presente nos Jogos Olímpicos de Verão com uma exceção: Los Angeles 1932. O domínio do Uruguai na década de 1920, quando ganharam o ouro em 1924 e 1928, levaria a que organizassem o primeiro Campeonato do Mundo da FIFA, em 1930. Até hoje La Celeste usa quatro estrelas na camisa – duas pelos sucessos nos Mundiais de 1930 e 1950, e duas pelas duas medalhas Olímpicas de ouro.

Desde então, o Mundial da FIFA cresceu tornando-se o principal torneio do futebol masculino e os Jogos Olímpicos evoluíram para uma competição sub23 (com a possibilidade de inclusão de três jogadores acima dessa idade). A prova continua a ser de grande prestigio no calendário futebolístico, tal como ficou demonstrado pela alegria de Neymar quando liderou o Brasil ao primeiro ouro nos Jogos e logo em casa, no Rio 2016.

A história das mulheres nos Jogos é um pouco diferente. Parte do programa Olímpico desde 1996, a modalidade cresceu incrivelmente nos últimos 25 anos.

A competição, onde participam seleções na máxima força, tem sido dominada pelos Estados Unidos, que ganharam quatro das seis medalhas. Há cinco anos, no Brasil, as americanas sofreram uma derrota surpreendente perante a Suécia nas quartas de final que as deixou sem semifinais pela primeira vez e obviamente sem a possibilidade de discutirem as medalhas.

A Alemanha ficou com o ouro no Rio 2016, mas não se qualificaram para Tóquio 2020.