Tudo que você precisa saber sobre a temporada 2021/2022 da Copa do Mundo FIS de esqui alpino

Após permanecer na Europa durante a última temporada, impactada pelo COVID-19, o 'circo branco' retorna à América do Norte com homens e mulheres disputando o mesmo número de provas técnicas e de velocidade.

Alessandro Poggi
Foto: 2021 Getty Images

A Copa do Mundo FIS de Esqui Alpino 2021/2022 começa na geleira Rettenbach em Soelden, na Áustria, como de costume desde 2000, com provas do slalom gigante para homens e mulheres nos dias 23 e 24 de outubro.

Depois de ter calendários desbalanceados nos últimos anos, o novo calendário de esqui tem o mesmo número de eventos para homens e mulheres na velocidade (downhill e super-G) e nas técnicas (slalom gigante e slalom), 18 para cada, além do paralelo e do evento para equipes. Pela segunda temporada consecutiva, não haverá eventos combinados.

Com uma distribuição mais igual de disciplinas, a batalha pelos desejados globos de cristal deve ser mais aberta do que nunca: Petra Vlhova da Eslováquia tentará defender seu título geral feminino contra outras campeãs, como Mikaela Shiffrin e Lara Gut-Behrami, enquanto o atual campeão da Copa Alexis Pinturault da França lidera o line-up masculino junto à revelação suíça Marco Odermatt e o veloz austríaco Vincent Kriechmayr.

Após um ano long das montanhas norte-americanas, o 'circo branco' tem paradas programadas para Lake Louise, Canadá (23-38 de novembro no masculino e 30/11 a 5/12 no feminino); Killington, EUA (27 e 28/11 no feminino); e Beaver Creek EUA (1 a 5/12 no masculino).

A competição do esqui alpino nos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 está programada para 6 a 19 de fevereiro de 2022, nas novas pistas de Yanqing, no novo Centro Nacional de Esqui Alpino da China.

Depois da pausa Olímpica, a temporada da Copa do Mundo retorna no fim de fevereiro e as provas continuam até as finais em Courchevel e Meribel, na França, em março. O resort francês sediará o Campeonato Mundial de 2023.

Confira o guia de tudo que você precisa saber antes da nova temporada.

Mikaela Shiffrin (USA) em ação no Campeonato Mundial em Cortina, em fevereiro de 2021.
Foto: 2021 Getty Images

Shiffrin e Gut-Behrami lideram busca a coroa de Vlhova

Na última temporada, Petra Vlhova se tornou a primeira eslovaca na história a vencer o título geral feminino.

A especialista em slalom prevaleceu por apenas 160 pontos diante da veterana Lara Gut-Behrami, aproveitando um calendário que teve diversos cancelamentos por tempo ruim e no final teve mais provas técnicas do que de velocidade (17 a 13).

Neste ano, a disputa feminina terá nove eventos em quatro disciplinas, abrindo mais oportunidades para Gut-Behrami e outras velocistas, como a campeã Olímpica de downhill Sofia Goggia e a medalista de ouro em Cortina 2021 Corinne Suter.

Depois de superar a trágica perda de seu pai e lidando com problemas nas costas durante a última temporada, a bicampeã Olímpica Mikaela Shiffrin espera lutar pelo grande Globo de Cristal novamente: tricampeã geral da Copa do mundo, Shiffrin encontrou sua melhor forma no último mundial na Itália, onde ganhou quatro medalhas e terminou a temporada com seis pódios em seis provas.

A versátil suíça Michelle Gisin e a bicampeã mundial Katharina Liensberger também podem ser consideradas candidatas aos globos, assim como as italianas Marta Bassino and Federica Brignone.

Marco Odermatt (SUI) disputa a etapa de Saalbach (Áustria) da Copa do Mundo em março de 2021.
Foto: 2021 Getty Images

Pinturault, Odermatt e Kilde são os principais candidatos no masculino

O atual campeão geral masculino Alexis Pinturault também encara uma defesa de título difícil.

O francês ainda é um dos principais esquiadores versáteis no circuito masculino, mas o calendário de 2021/22 tem 11 downhills (incluindo três dobradinhas desafiadoras em Lake Louise, Wengen e Kitzbuhel) e mais slalom do que seu evento favorito (10 a 8).

Com 18 eventos de velocidade, os especialistas em downhill Dominik Paris e grandes esquiadores como Matthias Mayer e Vincent Kriechmayr têm chances de lutar pelo título geral. Um calendário mais balanceado também ajudaria atletas consistentes em mais disciplinas, como o vice-campeão Marco Odermatt e o ex-campeão do Globo de Cristal Aleksander Aamodt Kilde.

Outro homem em que devemos ficar de olho é Marco Schwarz: no último ano o austríaco teve sua melhor temporada fazendo sete pódios no slalom (com duas vitórias), garantindo o globo na disciplina. O bicampeão Olímpico nos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno de 2012 em Innsbruck terminou em terceiro há um ano e seu ouro no combinado no mundial em Cortina prova que ele pode coletar pontos também nas provas de velocidade.

Lucas Braathen (NOR) comemora a vitória no slalom gigante na Copa do Mundo em Soelden, Áustria, em outubro de 2020. 
Foto: 2020 Getty Images

Revelações do esqui: Robinson, Braathen e McGrath

Ainda há vários jovens atletas em ascensão.

Alice Robinson, de 19 anos, está competindo em sua quarta temporada na elite: a esquiadora neozelandesa, que trabalha com o ex-técnico de Lindsay Vonn, Chris Kinght, espera encontrar mais consistência depois de terminar a última campanha com sua terceira vitória no slalom gigante nas finais da Copa do Mundo em Lenzerheide.

A Noruega pode provavelmente ter os melhores jovens: na última temporada, em Soelden, Lucas Braathen, de 21 anos, se tornou o primeiro esquiador nascido neste milênio a ganhar uma prova da Copa do Mundo, enquanto seu amigo Atle Lie McGrath chegou perto de derrubar Pinturault em Gran Risa em dezembro, terminando em segundo no slalom gigante em Alta Badia.

Alex Vinatzer, de 22, espera continuar sua evolução depois de fazer o segundo pódio da carreira no slalom em Madonna do Campiglio em dezembro, enquanto o americano Ben Ritchie tentará dar sequência ao seu título mundial juvenil em Bansko, Bulgária, que veio após um décimo terceiro lugar no slalom no mundial em Cortina.

Meta Hrovat, 23, da Eslovênia, já fez um nome para si mesmo depois de conquistar quatro pódios da Copa do Mundo. Ela pode melhorar ainda mais com o novo técnico Livio Magoni, que levou Vlhova ao seu título histórico da última temporada. Depois de um início de carreira prejudicado por uma lesão séria de ligamento no joelho, a bicampeã mundial juvenil Camille Rast (SUI) redescobriu sua forma no final da última temporada com um top 10 no slalom em Cortina e o título nacional no slalom gigante.

Torcedores em Killington na Copa do Mundo em 2019.
Foto: 2019 Getty Images

Calendário da Copa do Mundo FIS de Esqui Alpino 2021/22 - Feminino

Sujeito a mudanças. Informações de 8 de outubro, de acordo com o Calendário da FIS.

23 de outubro 2021: Soelden (Áustria): Slalom gigante

13 de novembro 2021: Lech/Zuhers (Áustria): Slalom paralelo

20-21 de novembro 2021: Levi (Finlândia): Slalom (x2)

27-28 de novembro 2021: Killington (EUA): Slalom gigante, Slalom

3-4-5 de dezembro 2021: Lake Louise (Canadá): Downhill (x2), Super G

11-12 de dezembro 2021: St. Moritz (Suíça): Super G (x2)

18-19 de dezembro 2021: Val d'Isere (França): Downhill, Super G

21 de dezembro 2021: Courchevel (França): Slalom gigante

28-29 de dezembro 2021: Linz (Áustria): Slalom gigante, Slalom

4 de janeiro 2022: Zagreb (Croácia): Slalom

8-9 de janeiro 2022: Maribor (Eslovênia): Slalom gigante, Slalom

11 de janeiro 2022: Flachau (Áustria): Slalom

15-16 de janeiro 2022: Zauchensee (Áustria): Donwhill, Super G

21-22 de janeiro 2022: Cortina d'Ampezzo (Itália): Downhill, Super G

25 de janeiro 2022: Kronplatz/Plan de Corones (Itália): Slalom gigante

29-30 de janeiro 2022: Garmisch Partenkirchen (Alemanha): Downhill, Super G

26-27 de fevereiro 2022: Crans-Montana (Suíça): Downhill (x2)

5-6 de março 2022: Lenzerheide (Suíça): Super G, Slalom gigante

11-12 de março 2022: Are (Suécia): Slalom gigante, Slalom

16-17-18-19-20 de março 2022: Courchevel/Meribel (França): Downhill, Super G, Paralelo Equipes, Slalom, Slalom Gigante

Total de eventos: 38

Velocidade - 18 Downhill: 9; Super G: 9;

Técnicos - 18 Slalom gigante: 9; Slalom: 9;

Paralelo: 1

Evento de Equipes: 1

Calendário da Copa do Mundo FIS de Esqui Alpino 2021/22 - Masculino

Sujeito a mudanças. Informações de 8 de outubro, de acordo com o Calendário da FIS.

24 de outubro 2021: Soelden (Áustria): Slalom gigante

14 de novembro 2021: Lech/Zuers (Áustria): Slalom paralelo

26-27-28 de novembro 2021: Lake Louise (Canadá): Downhill (x2), Super G

3-4-5 de dezembro 2021: Beaver Creek (EUA): Super G, Downhill, Super G

11-12 de dezembro 2021: Val d'Isere (França): Slalom gigante, Slalom

17-18 de dezembro 2021: Val Gardena/Groeden (Itália): Super G, Downhill

19-20 de dezembro 2021: Alta Badia (Italia): Slalom gigante (x2)

22 de dezembro 2021: Madonna di Campiglio (Itália): Slalom

28-29 de dezembro 2021: Bormio (Itália): Downhill, Super G

5 de janeiro 2022: Zagreb (Croácia): Slalom

8-9 de janeiro 2022: Adelboden (Suíça): Slalom gigante, Slalom

14-15-16 de janeiro 2022: Wengen (Suíça): Downhill (X2), Slalom

21-22-23 de janeiro 2022: Kitzbuhel (Áustria): Downhill (x2), Slalom

25 de janeiro 2022: Schladming (Áustria): Slalom

26-27 de fevereiro 2022: Garmisch Partenkirchen (Alemanha): Slalom (x2)

5-6 de março 2021: Kvitfjell (Noruega): Downhill, Super G

12-13 de março 2021: Kranjska Gora (Eslovênia): Slalom gigante (x2)

16-17-18-19-20 de março 2022: Courchevel/Meribel (França): Downhill, Super G, Paralelo Equipes, Slalom, Slalom gigante

Total de eventos: 38

Velocidade - 18: Downhill: 11; Super G: 7;

Técnicos - 18: Slalom gigante: 8; Slalom: 10;

Paralelo: 1

Evento de equipes: 1

The course at the National Alpine Ski Center in Yanqing district where alpine events for the Beijing 2022 Winter Olympics will be held.
Foto: 2020 Getty Images

Beijing 2022 - Calendário do esqui alpino

6 de fevereiro: Downhill masculino (atual campeão Olímpico Aksel Lund Svindal)

7 de fevereiro: Slalom gigante feminino (atual campeã Olímpica Mikaela Shiffrin)

8 de fevereiro: Super G masculino (atual campeão Olímpico Matthias Mayer)

9 de fevereiro: Slalom feminino (atual campeã Olímpica Frida Hansdotter)

10 de fevereiro: Combinado masculino (atual campeão Olímpico Marcel Hirscher)

11 de fevereiro: Super G feminino (atual campeã Olímpica Ester Ledecka)

13 de fevereiro: Slalom gigante masculino (atual campeão Olímpico Marcel Hirscher)

15 de fevereiro: Downhill feminino (atual campeã Olímpica Sofia Goggia)

16 de fevereiro: Slalom masculino (atual campeão Olímpico Andre Myhrer)

17 de fevereiro: Combinado feminino (atual campeã Olímpica Michelle Gisin)

19 de fevereiro: Evento de equipes (atual campeã Olímpica Suíça)

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual