O que aprendemos: Destaques da maratona aquática dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Do primeiro título Olímpico de Ana Marcela Cunha à conquista histórica de Florian Wellbrock, refletimos sobre os principais momentos da maratona aquática em Tóquio 2020, recapitulamos as medalhas, mostramos como assistir ao evento e o que esperamos em Paris 2024.

Foto: 2021 Getty Images

A maratona aquática não era para os fracos na Olimpíada de Tóquio 2020, em 2021.

Um sol escaldante, ventos fortes e muita umidade tornaram os extenuantes os 10 km de natação um desafio tanto mental quanto físico. Estratégia se tornou tudo, pois os organizadores anteciparam a hora da largada para as 06:30, horário do Japão, na esperança de vencer o calor.

As mudanças ajudaram, e a maratona foi emocionante até o final, com Ana Marcela Cunha e Florian Wellbrock conquistando merecidas vitórias após impressionantes resultados na velocidade.

A seguir, fazemos uma retrospectiva dos momentos mais marcantes da competição, recapitulamos quem conquistou as medalhas e destacamos em quem devemos prestar atenção em Paris 2024, que acontecerá em apenas três anos.

Os 5 melhores momentos de maratona aquática em Tóquio 2020 em 2021

Aqui estão alguns dos destaques dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que aconteceram em 2021.

1 - Terceira vez de sorte para Cunha

O alívio no rosto de Ana Marcela Cunha ao ganhar a medalha de ouro na maratona aquática feminina era visível.

A pentacampeã mundial finalmente ganhou o ouro Olímpico em sua terceira Olimpíada.

Em uma finalização emocionante, Cunha, de 29 anos, tocou a linha de chegada em 1 hora e 59 minutos e 30,8 segundos, apenas 0,9s à frente da atual campeã holandesa Sharon van Rouwendaal.

"Somos latinos, quentes, emocionais, então tive que ser muito fria mentalmente na maratona para me concentrar e eu tive que vencer sozinha ”, disse ela aos repórteres depois.

Cunha, que tingiu o cabelo com as cores nacionais brasileiras, amarelo e verde, tornou-se a primeira mulher de seu país a ganhar uma medalha de ouro na maratona aquática.

Cunha
Foto: 2021 Getty Images

2 - Wellbrock entrega em águas abertas

O alemão Florian Wellbrock foi para Tóquio 2020 na esperança de se tornar o primeiro homem a ganhar medalhas de ouro em uma maratona aquática e na natação nos mesmos Jogos.

Esse sonho terminou depois que ele terminou com o bronze nos 1500m no estilo livre na piscina, mas ele estava mais determinado do que nunca a conseguir ouro na maratona aquática masculina.

O jovem de 23 anos correu para uma liderança inicial e venceu pela maior margem da história da Maratona Aquática Olímpica, terminando em 1:48:33.

Embora ele não tenha alcançado o seu sonho, ele é agora um dos três atletas masculinos a ganhar medalha na natação e na maratona aquática em um dos Jogos Olímpicos, com o duas vezes medalhista de ouro da Tunísia, Oussama Mellouli, completando a façanha em 2012, e Gregorio Paltrinieri da Itália, sendo adicionado à lista em Tóquio, com seu bronze em águas abertas

Um pouco surreal, disse Wellbrock, de 23 anos. "Os primeiros sete [ quilômetros] desta corrida pareceram muito fáceis. Meus concorrentes tiveram que se esforçar muito para tentar me alcançar."

Wellbrock
Foto: 2021 Getty Images

3 - Algo estava estranho ...

A maratona aquática é única no sentido de que os competidores devem navegar em torno de fatores naturais, assim como seus rivais.

Peixes podiam ser vistos pulando sobre a cabeça dos nadadores enquanto cruzavam a água no Parque Marinho de Odaiba, com um deles atingindo o peito da medalha de bronze Kareena Lee.

"Ele deu um pulo e me atingiu (no peito). Eu não sabia o que era no começo e fiquei tipo 'uau'", disse a australiana Lee sobre o peixe.

4 - Os nadadores mantêm-se hidratados!

Os nadadores da maratona passam cerca de duas horas na água.

Como tal, manter-se hidratado é um dos fatores mais importantes das corrias, especialmente em condições de umidade.

Para tirar a água de maneira mais eficiente possível, os treinadores vão até a beira da água e entregam ao atleta uma garrafa d'água presa a um grande galho com a bandeira do seu país nela.

Muitos espectadores Olímpicos que estavam vendo essa técnica pela primeira vez, comentaram no Twitter para mostrar como ficaram impressionados com a simplicidade e engenhosidade dos dispositivos.

5 - Alice Dearing fazendo história

Em Tóquio 2020, Alice Dearing se tornou a primeira britânica negra, mulher e nadadora a competir nos Jogos Olímpicos.

A atleta de 24 anos nadou bem e se classificou para Tóquio, onde ela terminou em 19º lugar.

Mas as conquistas de Dearing transcendem para além das estatísticas. Ela é embaixadora para a Black Swimming Association, que trabalha para facilitar a participação de pessoas negras na natação no Reino Unido e em outros lugares.

“Eu realmente espero que faça uma diferença e que as pessoas olhem para isso e pensem que é possível ser feito e que é para todos,” ela disse. “Eu só quero que as pessoas saibam que está aberto e disponível para elas, independente da sua raça e das suas circunstâncias. Se você não sabe nadar, entre e aprenda a nadar. Se você quiser ir para a Olimpíada, dê o seu melhor - não deixa que ninguém te diga que não é para você. Vá atrás dos seus sonhos se é o que você quer fazer".

Ela prometeu retornar ao Jogos Olímpicos de Paris 2021, onde ela espera "fazer melhor" e colocar sua experiência olímpica em prática.

Uma última olhada nos principais momentos no Japão

Se você pensou que a natação era uma esporte de não-contato, pense novamente.

Hector Pardoe, da Grã-Bretanha, foi forçado a se retirar na ultima volta da natação masculina depois que um cotovelo perdido o acertou bem no olho.

Depois da corrida ele tuitou uma foto de seu rosto machucado e roxo, mas felizmente não teve nenhuma sequela permanente.

Longe de desanimá-lo, o jovem de 20 anos não vê a hora de voltar para a água.

“Isso não será um contratempo, será ainda mais motivação. Eu vou baixar minha cabeça e me focar e talvez voltarei à Paris e tentarei me desafiar a conquistar medalhas."

Olá Paris 2024

Com apenas 23 anos, o novo campeão Olímpico Florian Wellbrock com certeza irá se tornar cada vez melhor.

Ele provavelmente tentará de novo a conquistar seu objetivo de se tornar o primeiro homem a ganhar uma medalha de ouro em ambas a maratona aquática e na natação em uma Olimpíada, em Paris 2024.

O medalhista de prata da Hungria, Kristof Rasovszky, terá somente 27 anos na próxima Olimpíada e espera que ao se especializar em natação à distância, ele talvez consiga se sair melhor em Paris.

Wellbrock
Foto: 2021 Getty Images

Quando e onde assistir os replays da maratona aquática em Tóquio no Olympics.com agora

Nós te ajudamos. Fique ligado aqui.

Quando irão os melhores nadadores da maratona competir em seguida?

A FINA/CNSG Marathon Swim World Series 2021 continua em 28 de agosto na Macedônia, antes de mudar para a Taipé Chinesa em setembro, para Hong Kong em outubro e para Israel em dezembro.

A próxima grande maratona aquática irá acontecer nos Campeonatos Mundiais Aquáticos de 2022, de 13 a 29 de maio, em Fukuoka, Japão.

Lista Completa de Medalhas da Maratona Aquática em Tóquio 2020 em 2021

Maratona Aquática Feminino

Ouro - Ana Marcela Cunha (BRA)

Prata - Sharon van Rouwendaal (NED)

Bronze - Kareena Lee (AUS)

Maratona Aquática Masculino

Ouro - Florian Wellbrock (GER)

Prata - Kristof Rasovszky (HUN)

Bronze - Gregorio Paltrinieri (ITA)

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual