Naomi Osaka acende a pira Olímpica e Tóquio 2020 começa depois de uma emblemática Cerimônia de Abertura

Atletas de todo o mundo preencheram o Estádio Nacional de esperança e expectativa com a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 que dá início a 16 dias de excelência no esporte

Foto: 2021 Getty Images

É oficial. Os Jogos da XXXII Olimpíada estão abertos, finalmente.

Os fogos de artifício lançados pela noite sobre o Estádio Nacional marcam a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 e foram vistos muito além da capital do Japão.

Com o título 'Unidos pela Emoção', a cerimônia recebeu atletas de 206 nações para os Jogos Olímpicos em Tóquio - a segunda vez que a cidade japonesa é sede do maior evento esportivo do mundo.

Refletindo em temas-chave dos Jogos Tóquio 2020, a Cerimônia de Abertura celebrou a inspiração e a comunhão, bem como as contribuições do Japão para o mundo.

"Hoje é um momento de esperança", disse o Presidente do COI, Thomas Bach. "Sim, é muito diferente de tudo o que nós todos imaginamos. Mas vamos desfrutar este momento porque finalmente estamos todos juntos aqui."

HASHIMOTO Seiko, presidente da Tóquio 2020, ofereceu uma sincera gratidão aos atletas participantes e que foi "encorajada pelos compromissos feitos por eles apesar de todas as dificuldades que enfrentaram."

"Vocês sempre acreditaram em vocês mesmos e realizaram esforços tremendos naquilo que vocês fazem", ela acrescentou. "Vocês guardarão estes momentos para sempre."

"Agora é hora de mostrar o poder do esporte e de atletas como vocês. Eu acredito que toda esta força trará esperança para as pessoas e vai unir o mundo."

"O mundo está esperando vocês!"

Pela primeira vez na história um presidente do COI e do OCOG (Comitê Organizador Local) são ambos medalhistas Olímpicos.

Depois dos discursos deles, os Jogos da XXXII Olimpíada foram oficialmente abertos por Sua Majestade o Imperador Naruhito.

A bandeira Olímpica é hasteada ao lado da bandeira japonesa na Cerimônia de Abertura de Tóquio 2020.
Foto: 2021 Getty Images

Bandeiras hasteadas no Estádio Olímpico

Depois de um ano de incertezas, a bandeira nacional japonesa foi levada para dentro do estádio pelo bicampeão Olímpico MIYAKE Yoshinobu e pela campeã Olímpica da maratona TAKAHASHI Naoko. A eles se juntaram a medalhista no curling dos Jogos Olímpicos da Juventude, TABATA Momoha, o campeão da escalada nos Jogos Olímpicos da Juventude, DOHI Keita, o percussionista SAKAI Hibiki e a socorrista ASABA Mizuki.

A bandeira foi hasteada por membros da Força de Auto-Defesa do Japão, enquanto que a renomada cantora MISIA cantou o hino nacional do país, o Kimi Ga Yo.

Foi solicitado a todos ao redor do mundo para lembrarem-se das pessoas afetadas pela pandemia do coronavírus e os atletas Olímpicos já falecidos, incluindo os membros da delegação israelense que perderam suas vidas nos Jogos de Munique 1972.

Artistas performam uma rotina em frente aos anéis Olímpicos no Estádio Olímpico durante a Cerimônia de Abertura de Tóquio 2020.

Formação do símbolo Olímpico

Ao som dos Mestres Carpinteiros, um grupo de dançarinos começou a desempenhar o "woodworking" (trabalho em madeira). Ao passo que o ritmo das ferramentas se tornavam mais musicais, mais dançarinos e acrobatas se juntavam à peça.

Anéis gigantes de madeira foram trazidos e iluminados por lanternas de papel. Com o puxão de uma corda, os anéis se transformaram no símbolo Olímpico, ao mesmo tempo em que foram lançados fogos de artifício nas cores dos cinco anéis.

Fogos de artifício disparam durante a Cerimônia de Abertura de Tóquio 2020.
Foto: 2021 Getty Images

Juntos, mais fortes

Como na tradição, a Grécia, casa dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, entrou primeiro no estádio e assim começou o desfile das delegações.

Em segundo lugar, a Equipe Olímpica de Refugiados do COI, liderada pela nadadora Yusra Mardini e pelo maratonista Tachlowini Gabriyesos, antes dos Comitês Olímpicos Nacionais restantes, com seus trajes locais, que entraram no estádio ao som de uma orquestra que reuniu a trilha sonora de vários jogos eletrônicos japoneses, incluindo Dragon Quest e Sonic. Os atletas do país anfitrião receberam boas-vindas calorosas ao serem os últimos a entrarem no estádio.

Com as delegações todas no estádio, atletas, juízes e treinadores tomaram o Juramento Olímpico.

Originalmente escrito por Pierre de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos Modernos, o Juramento Olímpico foi atualizado para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 com os tomadores a expressarem compromisso com a inclusão, igualdade e não discriminação.

Há um novo lema, também. Não apenas "Mais rápido, mais alto e mais forte", mas a partir de agora é preciso incluir a palavra "juntos".

Na sequência um grupo de crianças colocaram caixas no chão que formaram o emblema de Tóquio 2020 e no céu, em cima, um display de drones desenhou o mesmo emblema.

Um display de drones é visto no topo do estádio durante a Cerimônia de Abertura.
Foto: 2021 Getty Images

Apenas imagine

Quando John Lennon e Yoko Ono escreveram a canção Imagine em 1971, eles provavelmente não sabiam do impacto que isso teria atualmente.

A canção sugere um mundo em que todos são iguais, vivendo em pacífica harmonia. Emocionante, a Cerimônia de Abertura enfatizou que não importa quanto diferentes somos, somos mais fortes juntos.

Feita pelo reconhecido compositor Hans Zimmer, e com luzes que deram um efeito especial no estádio, a canção para Tóquio 2020 foi entoada através de uma emocionante montagem de vídeo dos Jogos Olímpicos com as estrelas da música John Legend e Keith Urban, ao lado do coral juvenil Suginami, Alejandro Sanz, Angélique Kidjo, Mike Knobloch e os bateristas do TAIKOPROJECT.

A bandeira Olímpica foi levada para dentro do estádio por KENTO Momota, japonês campeão mundial de badminton; pelo campeão Olímpico do triatlo, o marroquino Mehdi Essadiq; pela campeã Olímpica do judô, a argentina Paula Pareto; pela campeã mundial de tiro, a australiana Elena Galiabovitch; por Cyrille Fagat Tchatchet II, campeão em levantamento de peso da Equipe Olímpica de Refugiados, e pela campeã mundial e medalhista Olímpica de prata pela Itália no vôlei, Paola Ogechi Egonu.

Coros escolares em Tóquio e Fukushima, cenários do Grande terremoto que abalou o leste do Japão em 2011, juntaram-se à Orquestra Metropolitana de Tóquio para tocarem o Hino Olímpico, ao passo que a bandeira Olímpica era hasteada com pombas, formadas por projeções e recortes em formato de confete, que pareciam voar em torno do Estádio Naiconal.

A soltura dos pombos foi acompanhada pela versão da escocesa Susan Boyle de Wings To Fly, que foi lançada originalmente em 1971 por um grupo folclórico japonês.

Assim que as luzes voltaram, lugares icônicos de Tóquio foram iluminados em uma sequência de alta tecnologia, incluindo a arena Kokugikan, onde o boxe nos Jogos será realizado, bem como o famoso cruzamento no bairro de Shibuya e o Monte Takao.

Vista geral de dentro do estádio enquanto Naomi Osaka acende a pira Olímpica.
Foto: 2021 Getty Images

Ao som do bolero de Maurice Ravel, as pessoas carregando a tocha trouxeram a chama ao estádio enquanto artistas seguraram girassóis, marcando um caminho para a pira Olímpica que estava baseada no topo do símbolo sagrado do Japão, o Monte Fuji.

A honra de portar a chama foi passada de estudantes das prefeituras atingidas durante o Grande Terremoto de 2011 do Japão para a grande estrela do tênis Naomi Osaka.

Então aconteceu o disparo sensacional de fogos de artifício, que iluminaram o estádio e os atletas. No espírito de Unidos pela Emoção, esses homens e mulheres, nos próximos dias, trarão esperança e darão coragem ao mundo pelo poder do esporte.

Em fotos: Cerimônia de Abertura, Jogos Olímpicos Tóquio 2020