Foto: 2016 FIE

Cinco coisas para saber sobre a Esgrima Olímpica na Tóquio 2020

Quem são os esgrimistas em destaque? Quando e onde acontecerá a competição da Esgrima nos Jogos de 2021? Qual a história da esgrima nas Olimpíadas? Descubra aqui.
Alessandro Poggi

A Esgrima é um dos 33 esportes dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 em 2021.

Mas quem são os favoritos? Quando acontecerão as competições? E onde?

Confire aqui o seu guia do Olympic Channel com as principais coisas para saber sobre a Esgrima Olímpica.

Os melhores esgrimistas de Tóquio 2020

A Itália, França e Hungria são tradicionalmente os mais bem sucedidos países nos Jogos Olímpicos. Os italianos tem a maior soma total de medalhas (125 medalhas), seguidos pelos esgrimistas franceses (118 medalhas). Todas essas nações devem conquistar medalhas nos Jogos de 2021.

O atual campeão Olímpico Daniele Garozzo lidera uma equipe masculina muito forte no florete (Alessio Foconi, Andrea Cassara), que provavelmente irá disputar os eventos individuais e por equipe contra os EUA, que conta com o medalhista de prata da Rio 2016 Alexander Massialas, e França, com o atual campeão mundial Enzo Lefort.

A Hungria pretende continuar sua bem sucedida tradição no sabre com o bicampeão Olímpico Aron Szilagyi como o nome mais representativo.

Os esgrimistas russos se apoiam nos bons resultados da Rio 2016 e do campeonato mundial de 2019, quando ganharam mais títulos que qualquer outro país.

Inna Deriglazova é a principal estrela da equipe ROC, graças às suas duas medalhas Olímpicas, incluindo um ouro no florete individual e dois mundiais consecutivos.

Outra atleta para ficar de olho é a ucraniana Olga Kharlan, que busca seu primeiro ouro Olímpico no sabre individual após sua conquista Olímpica por equipes em Beijing e três medalhas na Londres e na Rio.

Uma nova leva de jovens esgrimistas da Ásia também estão afoitos para mostrar seu progresso.

Entre eles, Oh Sanguk, vencedor de três títulos mundiais por equipe e um individual no sabre.

Vivian Kong fez história em Hong Kong ao vencer o primeiro título de Copa do Mundo do seu país em 2019 e, após garantir o bronze individual na espada no Mundial em Budapeste, ela espera poder compensar sua decepcionante estreia Olímpica nos Jogos Rio 2016.

Programação da Esgrima Olímpica na Tóquio 2020

A competição de esgrima nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 acontece de 24 de julho a 1º de agosto de 2021.

Esta é a programação para os eventos de medalha de ouro:

  • 24 de julho: final individual espada feminino, final individual de sabre masculino
  • 25 de julho: final individual florete feminino, final individual espada masculino
  • 26 de julho: final individual sabre feminino, final individual florete masculino
  • 27 de julho: final espada por equipe feminino
  • 28 de julho: final sabre por equipe masculino
  • 29 de julho: final florete por equipe feminino
  • 30 de julho: final espada por equipe masculino
  • 31 de julho: final sabre por equipe feminino
  • 1º de agosto: final florete por equipe masculino

A programação completa dos eventos de Tóquio 2020 pode ser encontrada aqui.

Sede da Esgrima Olímpica em Tóquio 2020

A esgrima nos Jogos da Tóquio 2020 em 2021 irá acontecer em uma sala no Makuhari Messe, um dos maiores centros de convenção do Japão.

O local tem capacidade para um público de 8.000 pessoas, e outras partes do centro irão receber as competições Olímpicas de taekwondo e luta livre.

O formato da competição de Esgrima em Tóquio 2020

O Jogos Tóquio 2020 serão os primeiros onde todos os 12 eventos do programa de esgrima serão competidos.

Homens e mulheres irão competir em seis eventos, divididos em competições por equipe e individuais, assim como com as três armas usadas: espada, sabre, e florete.

As competições individuais são agendadas em um formato de torneio eliminatório individual.

Eventos por equipe envolvem três membros (e um membro de reserva) competindo em um formato todos contra todos, com cada atleta de cada equipe enfrentando um outro atleta de cada vez.

A história da Esgrima Olímpica

A Esgrima esteve presente em cada edição dos Jogos Olímpicos modernos desde 1896, começando pelo florete e sabre individual masculino. O florete individual feminino foi adicionado aos Jogos de Paris 1924, a espada individual feminina entrou para o programa nas Olimpíadas de Atlanta 1996 e o sabre individual feminino foi adicionado ao programa de Atenas 2004.

Todos os doze eventos da esgrima (florete/espada/sabre, feminino/masculino, individual/equipe) acontecerão nos Jogos de Tóquio em 2021.

O húngaro Aladar Gerevich detém o recorde do maior número de medalhas Olímpicas de ouro: dez.

O italiano Edoardo Mangiarotti é o atleta com o maior número de medalhas Olímpicas na história da esgrima (treze, incluindo seis ouros).

A italiana Valentina Vezzali é a mulher com o maior número de medalhas Olímpicas (nove, incluindo seis ouros) e está em um clube exclusivo de quatro atletas que venceram cinco medalhas no mesmo evento individual (florete) em um Jogos Olímpicos.

Você tem acesso às últimas notícias de Tóquio 2020 no site do Olympic Channel, apps para celular ou dispositivos para televisão e nas nossas mídias sociais.