Bicampeão Olímpico Hanyu Yuzuru encerra carreira na patinação artística aos 27 anos

O maior patinador artístico da história se aposenta após três Jogos Olímpicos, duas medalhas de ouro e uma tentativa histórica do Axel quádruplo. Ele continuará no esporte, mas fora das competições.

Shintaro Kano

O bicampeão Olímpico da patinação artística masculina Hanyu Yuzuru anunciou sua aposentadoria nesta terça-feira (19 de julho).

Hanyu fez o anúncio em uma aguardada coletiva de imprensa em Tóquio, sua primeira desde os Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022.

Não houve lágrimas, apenas sorrisos, enquanto um dos atletas mais populares do Japão encerrou uma carreira inigualável no esporte.

"Não estou triste. Não há tristeza. Quero continuar trabalhando. Mas não estou mais confinado ao campo das competições. Acho que posso levar a patinação artística a outros lugares, de outras formas", disse.

Hanyu disse que tomou sua decisão enquanto tratava uma lesão no tornozelo direito, sofrida antes do programa livre em Pequim.

"Posso dizer com certeza que não vou sentir falta da tensão de competir", afirmou. "Mas espero trabalhar duro da mesma forma para as pessoas continuarem torcendo por Hanyu como o conhecem".

"Depois dos Jogos de Pequim, quando cheguei em casa, não conseguia patinar por causa da dor no tornozelo. Pensei em muitas coisas, mas senti que não precisava estar neste palco para sempre."

Hanyu Yuzuru em Beijing 2022, sua última competição.
Foto: 2022 Getty Images

Jogos Olímpicos são 'prova de que vivi'

O japonês sai de cena reconhecido mundialmente como maior patinador artístico da história.

O atleta de 27 anos começou sua carreira aos quatro anos e terminou a mesma com um quarto lugar em Pequim, depois de tentar um inédito Axel quádruplo.

Hanyu não falava de seu futuro desde Pequim. No último mês, ele completou uma turnê pelo Japão, na qual não conversou com a imprensa.

Com a próxima temporada se aproximando, uma decisão precisava ser anunciada, o que aconteceu nesta terça.

Em sua carreira, Hanyu venceu tudo que era possível no gelo.

Além de suas medalhas de ouro, ele conquistou dois Mundiais, quatro finais de Grand Prix e seis títulos nacionais, incluindo o do ano passado, que o levou a Pequim.

Sua maior pontuação foi no Skate Canada de 2019, em que chegou a 322.59. Seu melhor programa curto valeu 112.82, com 212.99 no livre.

Depois de seu segundo título olímpico em PyeongChang 2018, tornando-se o primeiro homem em 66 anos a defender o ouro, Hanyu recebeu o Prêmio de Honra do Povo, a maior honraria dada a um civil no Japão.

Entre todos esses momentos, os Jogos Olímpicos ocupam um espaço especial em sua vida.

"Não preciso dizer que as Olimpíadas, para mim, depois de ganhar duas vezes seguidas, me colocaram onde estou hoje", disse. "É um lugar em que consegui prova que eu sonhei, que me esforcei. Provou que eu vivi."

Ainda busca o Axel quádruplo

Sobre seus planos para o futuro, Hanyu não deu detalhes, além de dizer que vai fazer shows.

"Há muitas coisas que estou pensando, discutindo e planejando, mas não posso dar detalhes", contou.

"Quero fazer um show que esteja de acordo com os tempos e que seja atrativo para alguém que nunca viu patinação artística."

Mas ele disse que sua busca pelo Axel quádruplo continua fora das competições.

"Quero continuar me desafiando. Quero acertar o Axel quádruplo em público."

Hanyu no pódio de Sochi 2014.
Foto: 2014 Getty Images

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual