Túnel do Tempo: Madge Syers, a primeira mulher a competir em um mundial de patinação artística

Você sabia que as mulheres não podiam competir na patinação artística até 1902? Uma brava e talentosa jovem quebrou o status quo. Descubra a história de Madge Syers, a primeira mulher a disputar um Campeonato Mundial de Patinação Artística.

Marina Dmukhovskaya
Foto: © 1908 / Comité International Olympique (CIO)

Florence Madelin "Madge" Cave nasceu na Inglaterra, no século 19. Uma de 15 crianças, Madge era a mais atlética de toda a família. Adorava nadar e andar a cavalo, entretanto, nada se comparava ao seu gosto pela patinação.

A jovem passou a fazer parte ao Clube de Patinação do Príncipe (Prince’s Skating Club) em Londres, instituição reservada apenas para os patinadores de elite da Grã-Bretanha. Foi através da modalidade que ela conheceu aquele que seria o seu marido, Edgar Syers, um entusiasta da patinação artística que tornou-se seu primeiro treinador. Anos depois o casal escreveu o livro: "A Arte da Patinação: estilo internacional" (The Art of Skating: International Style), que descreveu técnicas e métodos de execução de distintos elementos do esporte.

Syers patina para um ouro histórico

Na Inglaterra daqueles tempos a patinação era bastante popular entre homens e mulheres durante o inverno, entretanto apenas as competições internacionais masculinas existiam naquela altura. Syers decidiu quebrar com isso em 1902 ao se tornar a primeira mulher de sempre a disputar um Campeonato Mundial. Em um primeiro momento, os juízes quiseram bani-la de quaisquer competições, mas não havia regras que especificamente restringiam as mulheres de participar de torneios. Dessa forma, deixaram-na competir. Syers foi brilhante, terminando em segundo lugar, atrás de Ulrich Salchow e pavimentando o caminho para que a União Internacional de Patinação (sigla ISU em inglês) criasse o Campeonato Mundial feminino.

Em sua estreia em competições, Syers se apresentou de calças compridas, mas a fim de permitir aos juízes que vissem seu trabalho com as pernas, ela estabeleceu uma nova moda para os trajes da patinação para as mulheres: saias até a altura da canela.

A medalha de prata que Syers conquistou no Campeonato Mundial masculino foi apenas um pequeno gosto do que estava por vir. A pioneira partiu para competir no nacional britânico, onde superou o seu próprio marido. Ela também venceu dois dos recém-estabelecidos campeonatos mundiais para mulheres. Agora seu objetivo eram os Jogos Olímpicos.

Londres 1908 não apenas significou a estreia Olímpica de Syers, mas também pela primeira vez a patinação artística estava incluída no programa dos Jogos. As apresentações aconteceram no clube de Knightsbridge, no mesmo gelo em que ela deu seus primeiros passos. O torneio reuniu quatro disciplinas: pares mistos, individuais masculino e feminino e de figuras especiais masculino. Grandes favoritos, Madge e Edgar Syers foram bronze nos pares mistos. Mas o verdadeiro momento de glória de Madge ainda estava por vir. Depois de um desempenho impecável, ela conquistou o ouro no individual, tornando-se a primeira mulher a conquistar duas medalhas nos mesmos Jogos Olímpicos.

Depois de se aposentar da patinação artística, Madge Syers faleceu em decorrência de uma complicação cardíaca com apenas 35 anos de idade. No entanto, o seu legado permanece vivo até hoje. Ela será para sempre lembrada como inspiração por trás da criação da categoria feminina na patinação artística, um dos esportes mais populares dos Jogos Olímpicos de Inverno.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual