Thomas Walsh e Mikaela Shiffrin, uma amizade verdadeira

Dois amigos de infância que se apoiaram em momentos duríssimos, Walsh e Shiffrin construíram uma amizade baseada no amor pelo esqui alpino. Saiba mais sobre um dos destaques dos Jogos Paralímpicos de Inverno Beijing 2022.

Ed Knowles and Scott Bregman
Esqui Alpino Paralímpico
Foto: 2017 Getty Images

O esqui alpino é parte fundamental da vida do atleta Paralímpico americano Thomas Walsh. Porém, há quase 12 anos, a sua relação com o esporte foi desafiada.

"Estava passando por quimioterapia, radiação, cirurgias e tudo e, no meio de tudo isso, me disseram que eu nunca mais esquiaria", ele disse ao Olympics.com

Agora, ele tem duas medalhas no Mundial de Para Esqui Alpino e será um dos candidatos ao pódio nos Jogos Paralímpicos de Inverno Beijing 2022. Walsh também ganhou um globo de cristal no slalom.

Depois de tudo que passou, o americano é grato pelas oportunidades que o esporte lhe deu.

"Amo tanto o esporte, ainda amo e nunca deixarei de ver o valor de um dia esquiando. Realmente salvou a minha vida... é o que nasci para fazer e o que vou continuar a fazer pelo máximo de tempo que conseguir".

Thomas Walsh compete nos Jogos Paralímpicos de Inverno PyeongChang 2018.
Foto: 2018 Getty Images

Walsh tinha 14 anos quando foi diagnosticado com uma forma de câncer chamado sarcoma de Ewing. Ele cresce tipicamente em torno dos ossos. Nesse período, sua amiga de infância Mikaela Shiffrin o apoiou. A bicampeã Olímpica até prometeu ir a sua formatura com ele depois de sua recuperação.

"Como ele lutou com isso desde então tem sido muito inspirador", disse Shiffrin ao Olympics.com em 2018. "Foi quase um milagre que ele sobreviveu e, de certa forma, não foi nem um pouco um milagre sabendo quem ele é. Esse é o tipo de coisa que eu esperaria dele".

Thomas Walsh e Mikaela Shiffrin: laços de família

Descendo pelas montanhas, com cinco ou seis anos de idade, Walsh e Shiffrin eram ótimo entretenimento para qualquer um que lhes assistia em Vail, no Colorado. As duas famílias eram muito envolvidas na cena do esqui no famoso resort. Ambos progrediram para ser grandes talentos na adolescência, quando Shiffrin recebeu a notícia de que a vida de Walsh estava ameaçada. Ela ficou chocada.

"Foi um terremoto, a coisa mais inesperada que eu já vivi por outra pessoa", disse Shiffrin ao site Team USA. "Foi inacreditável".

Seu pai, Jeff, foi um dos anestesistas de Walsh.

"Ele foi uma parte crucial do meu tratamento e da minha possibilidade de sobreviver", Walsh disse ao Team USA. "Ele estava na sala de cirurgia durante minha maior operação. Ele tirou tempo extra para garantir que eu estava bem e recebesse o tratamento de que eu precisava".

O pai de Shiffrin inesperadamente faleceu em fevereiro de 2020. Foi um momento muito triste para Mikaela. Então foi a vez de Walsh estar ao seu lado, morando a apenas 10 minutos de onde ela estava.

O laço ainda continua. "Estamos na estrada em lugares diferentes, fusos horários diferentes, países e continentes diferentes. Mas como eu adoro esquiar e sei que ela também ama, estamos sempre assistindo ao outro e torcendo pelo outro, mandando mensagens positivas", ele disse.

Thomas Walsh: sua carreira no Para esqui alpino até agora

A carreira de Thomas Walsh no Para esqui alpino inclui duas medalhas em campeonatos mundiais e o Globo de Cristal do slalom em 2019. Apesar de tantos troféus, seu momento favorito foi uma ocasião mais privada.

Durante seu tratamento, ele colocou os esquis e foi à montanha. Ele não tinha muito propósito. Ele só queria fazer alguma coisa.

"Foi o momento mais importante de poder provar para mim mesmo que eu conseguia esquiar naquele momento. Mas eu não tinha ideia de quando voltaria a competir. Não tinha ideia que chegaria ao time nacional ou competiria nos Jogos Paralímpicos, que ganharia medalhas no Mundial e um Globo de Cristal. Aquele foi o primeiro passo".

Thomas Walsh compete no super-G masculino em PyeongChang 2018
Foto: 2018 Getty Images

Thomas Walsh em busca da medalha em Beijing 2022

Walsh sofreu algumas lesões e problemas mentais desde PyeongChang 2018, mas acredita que tem uma boa chance de ir bem nos Jogos Paralímpicos em Pequim.

"Eu nunca fui realmente alguém orientado por resultados... mas acredito que tenho uma chance de pódio e quero estar no nível do topo. Por isso estamos todos aqui. É o que todo mundo quer...

"Sei que estou chegando a esses Jogos com mais experiência, mais entendimento de como o ambiente será e sabendo que entenderei mais a pressão".

Thomas Walsh: Estou grato por estar vivo

Tendo em vista o que Walsh já conquistou, seu senso de perspectiva de competição é bem maduro. Seus objetivos e ambições são equilibrados com muita ponderação.

"Estou mais grato por estar vivo, acima de tudo. Sou grato pela oportunidade de acordar de manhã. De andar, colocar meus esquis, curtir o mundo e as oportunidades que me foram dadas...

"Todos podem competir nos esportes. Pode parecer diferente, mas estamos fazendo exatamente a mesma coisa".

GOSTA DE ESQUI ALPINO? TUDO ISSO PARA VOCÊ.

Receba notícias de esqui alpino, vídeos, destaques dos Jogos Olímpicos de Inverno e muito mais.