Sangue novo: conheça os jovens atletas de Brasil e Portugal em Beijing 2022

Os brasileiros Sabrina Cass, Manex Silva e Eduarda Ribera e a portuguesa Vanina Guerillot serão atletas Olímpicos antes dos 20 anos de idade. Saiba mais sobre esse quarteto que promete dar trabalho nos próximos anos na neve.

Sheila Vieira
Foto: Joyce Ardies/COB

Um dos grandes sinais do desenvolvimento de uma nação no esporte é o surgimento cada vez mais frequente de jovens talentos, que chegam aos Jogos Olímpicos antes dos 20 anos. No caso de Brasil e Portugal em Beijing 2022, que começa em 4 de fevereiro, há motivos para comemorar. Os dois países contam com atletas que ainda têm muito a evoluir nos próximos anos. Veja quem são:

Sabrina Cass (Brasil), esqui estilo livre

Que tal ter uma campeã mundial juvenil na equipe? A esquiadora de estilo livre Sabrina Cass, 19, já está entre as 30 melhores do mundo no moguls, evento do esqui estilo livre em que os atletas descem uma montanha com morrinhos de neve e apresentam saltos.

Em 2019, ela venceu o Campeonato Mundial juvenil na Itália, mas ainda defendia os EUA na época. Sabrina nasceu em New Haven, é filha de mãe brasileira e decidiu começar a defender a bandeira verde e amarela em 2021. Ela será a segunda brasileira a representar o país no esqui estilo livre nos Jogos Olímpicos de Inverno, após Josi Santos em Sochi 2014 (aerials).

Sabrina fará a estreia do Brasil em Pequim, no dia 3, às 18:00 locais (7:00 em Brasília). “Eu ainda não acredito que estou aqui! Estou tentando viver cada momento e aproveitar toda essa experiência. É incrível!”, ela disse.

Manex Silva (Brasil), esqui cross-country

Nascido no Acre e residente da Espanha desde criança, Manex Silva tem 19 anos e já pode ser considerado o melhor esquiador de cross-country da história do país. Ele foi top 40 nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Lausanne 2020 e se tornou o primeiro brasileiro a baixar a marca de 100 pontos FIS (no cross-country, quanto menos pontos, melhor).

O desempenho de Manex fez com que ele seja o primeiro brasileiro a se classificar para os Jogos de Inverno pelo critério A, o mais difícil, possibilitando que ele participe de todas as provas individuais do programa Olímpico.

"Ainda é difícil acreditar que estou prestes a disputar os Jogos Olímpicos. Eu estava no ônibus (do aeroporto para a Vila) pensando: estou na China! É um país muito longe, tudo muito diferente e vou precisar de uns dias para acostumar. Mas estou feliz de ter chegado até aqui”, comentou o esquiador ao chegar em Pequim.

Manex estreia dia 6 de fevereiro no esquiatlo (15:00 locais, 4:00 de Brasília), depois disputa o sprint masculino no dia 8 (16:50 locais, 5:50 de Brasília), 15km no dia 11 (15:00 locais, 4:00 de Brasília) e largada em massa 50km no dia 19 (14:00 locais e 3:00 de Brasília).

Eduarda Ribera (Brasil), esqui cross-country

A rondoniense Duda Ribera chegou a Pequim às pressas, substituindo Bruna Moura, que sofreu um acidente de carro antes da viagem para os Jogos de Inverno. Aos 17 anos, ela é a segunda mais jovem da história do Brasil no evento (atrás de Evelyn Schuler, do esqui alpino, em Albertville 1992).

Irmã do vice-campeão mundial no para esqui cross-country em 2022, Cristian Ribera, Duda também esteve em Lausanne 2020, terminando em 72ª no sprint em 73ª no cross-country cross. Ela também obteve dois top 10 na Copa dos Bálcãs em janeiro de 2022, em Zlatibor, na Sérvia.

“Quero aproveitar ao máximo todas as oportunidades que estão chegando pra mim mesmo sendo tão nova. Estar ao lado das melhores do mundo vai me deixar um pouco nervosa, mas vou dar o meu melhor por todo mundo e curtir todos os momentos aqui”, afirmou Duda.

Ao lado de Jaqueline Mourão, que fará sua oitava participação Olímpica, Duda compete no dia 8 de fevereiro às 16:00 locais (5:00 de Brasília) no sprint, dia 10 no 10km às 15:00 locais (4:00 de Brasília) e no dia 16 no sprint por equipes às 17:00 (6:00 de Brasília).

Eduarda Ribera na Vila Olímpica de Pequim.
Foto: Alexandre Castello Branco/COB

Vanina Guerillot (Portugal), esqui alpino

De origem francesa, a esquiadora alpina de 19 anos Vanina de Oliveira Guerillot é mais uma atleta a defender sua nação materna. Em 2018, ela estreou na Copa do Mundo, o circuito mais nobre do esqui, onde encontrou seu ídolo, a americana Mikaela Shiffrin. “Acho que ela ganhou a corrida aquele dia, ela veio me ver e disse estava feliz que pessoas jovens estavam correndo. Acho que é a [minha] melhor memória", ela contou.

A esquiadora também foi 39ª no slalom no Mundial de Are, na Suécia, em 2019, e 24ª no combinado no Mundial juvenil de Narvik, na Noruega, em 2021. “Espero mostrar o meu melhor esqui com as melhores do mundo", comentou Guerillot.

Assim como Manex Silva e Eduarda Ribera, Guerillot participou dos Jogos da Juventude Lausanne 2020. Ela terminou a prova do super-G na 28ª posição. “Acho que para não ter tanto estresse antes das corridas, antes dos Jogos, é uma experiência que vai me ajudar, sim”, comentou a portuguesa sobre a experiência na Suíça.

Guerillot competirá no slalom giante no dia 7 de fevereiro às 10:15 locais (2:15 de Lisboa) e no slalom dia 9, no mesmo horário.

Vanina Guerillot (POR) em ação durante a Copa do Mundo FIS de Esqui Alpino de 2019, em Flachau, na Áustria.
Foto: 2019 Getty Images

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual