Roger Federer, lenda do tênis, anuncia aposentadoria

O campeão de 20 Grand Slams, reconhecido mundial como um dos maiores nomes da história do esporte, fará sua despedida na Laver Cup, em Londres, na próxima semana.

Chloe Merrell | Criado em 15 de setembro

A lenda do tênis Roger Federer anunciou que a Laver Cup, evento que acontece em Londres na próxima semana, será sua despedida do tênis competitivo.

"A Laver Cup na próxima semana em Londres será meu último evento da ATP. Vou jogar mais tênis no futuro, com certeza, mas não em Grand Slams ou no circuito", escreveu o atleta de 41 anos em um post nas suas redes sociais.

"É uma decisão difícil, porque vou sentir falta de tudo que o circuito me deu. Mas ao mesmo tempo há muito a ser celebrado."

Reconhecido mundialmente como um dos melhores da história e o tenista mais popular entre os fãs, Federer se aposenta com 20 títulos de Grand Slam em simples, atrás apenas dos seus grandes rivais, Rafael Nadal (22) e Novak Djokovic (21). Ele também tem uma medalha Olímpica de ouro nas duplas em Beijing 2008 (com Stan Wawrinka) e uma prata em simples em Londres 2012.

A estrela suíça citou lesões como o principal motivo para sua aposentadoria. Ele não jogava desde Wimbledon 2021, quando perdeu nas quartas de final, e lutava contra problemas no joelho.

Roger Federer: os principais números da carreira

  • 20 títulos de Grand Slam em simples
  • Hexacampeão do Australian Open (2004, 2005, 2007, 2010, 2017, 2018)
  • Campeão de Roland Garros (2009)
  • Octacampeão de Wimbledon (2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009, 2012, 2017)
  • Pentacampeão do US Open (2004, 2005, 2006, 2007, 2008)
  • 31 finais de Grand Slam
  • Completou o Grand Slam em 2009 em Roland Garros
  • 103 títulos de ATP
  • Hexacampeão do ATP Finals (2003, 2004, 2006, 2007, 2010, 2011)
  • 310 semanas como número 1 do ranking, incluindo 237 semanas consecutivas
  • Medalhista Olímpico de ouro em duplas masculinas (com Stan Wawrinka) em Beijing 2008
  • Medalhista Olímpico de prata em simples em Londres 2012
  • Campeão da Copa Davis em 2014

Roger Federer: resumo da carreira

Nascido em 8 de agosto de 1981 na Basileia, na parte da Suíça que fala alemão, Roger Federer cresceu sendo boleiro do torneio local e contou com o apoio da família e da federação local para se desenvolver como tenista.

Federer estourou em 2003, quando ganhou seu primeiro título de Wimbledon aos 22 anos de idade. Dois anos antes, no entanto, ele havia vencido Pete Sampras no torneio, tornando claro o seu potencial.

Sua evolução se transformou em dominação, com três títulos de Slam em 2004, uma de suas melhores temporadas da carreira.

Em 2005, Rafael Nadal venceu Roland Garros pela primeira vez e tornou-se o maior rival de Federer. Os dois protagonizaram batalhas que marcaram a história do esporte, com Federer geralmente prevalecendo nas quadras rápidas e Nadal no saibro.

Por seis anos, Federer e Nadal ocuparam o top do ranking mundial, disputando diversas finais de Slam pelo caminho.

O embate mais lembrado é o da final de Wimbledon 2008, em que Nadal finalmente conseguiu superar Federer no torneio, após quatro horas e 48 minutos.

Mesmo com a ascensão de Nadal, Federer continuou em alta. Ele conquistou sua primeira medalha Olímpica no mesmo ano, em Beijing 2008, nas duplas, com Stan Wawrinka.

Outro momento marcante veio em 2009, quando o suíço enfim triunfou em Roland Garros, fechando o Grand Slam.

Em 2012, ele conquistou sua segunda medalha Olímpica em Londres 2012, perdendo na final para o britânico Andy Murray.

Sempre na elite do tênis, Federer começou a enfrentar lesões, especialmente em 2016, que o impediram que disputar a Rio 2016.

No entanto, em 2017, Federer teve um 'renascimento', voltando a vencer Slams. O suíço começou a fazer um calendário mais enxuto, geralmente pulando a temporada de saibro. Nesse ano, ele venceu Wimbledon pela oitava (recorde) e última vez, sem perder sets.

O triunfo diante de Nadal no Australian Open de 2018 fez os fãs acreditarem que ele poderia manter o posto de maior vencedor de Slams entre os homens. No entanto, este foi o seu último Major.

Com cada vez mais problemas físicos, especialmente no joelho, Federer tentou manter uma sequência de jogos no circuito, sem sucesso. Sua última partida, antes da despedida na Laver Cup, foi contra Hubert Hurkacz nas quartas de final de Wimbledon em 2021.

Por seu desempenho nas quadras e carisma, Federer foi um fenômeno de popularidade, cobiçado pelas maiores marcas do mundo e ovacionado por onde passou.

Em setembro de 2022, o tênis competitivo perde o seu maestro.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual