Judocas brasileiras conquistam quatro medalhas no Grand Slam de Tbilisi

As medalhistas Olímpicas Mayra Aguiar, Ketleyn Quadros e Rafaela Silva alcançaram o pódio na Geórgia, junto a Tamires Crude. Classificação Olímpica do judô começa na próxima etapa.

Sheila Vieira
Foto: Gabriela Sabau/IJF

As judocas brasileiras se destacaram no Grand Slam de Tbilisi, na Geórgia, no primeiro fim de semana de junho de 2022. Quatro atletas do país subiram ao pódio, com duas pratas e dois bronzes.

As pratas na Geórgia foram da três vezes medalhista Olímpica de bronze, Mayra Aguiar (78kg) e da medalhista Olímpica de bronze Ketleyn Quadros (63kg). Já os bronzes foram conquistados pela campeã Olímpica Rafaela Silva (57kg) e por Tamires Crude (63kg). Os resultados deixaram o país em nono na classificação geral.

Mayra superou a francesa Audrey Tcheumeo na semifinal por ippon e parou diante da alemã Anna-Maria Wagner, atual campeã mundial, na decisão, por waza-ari. A prata coloca Mayra na sétima posição do ranking, fazendo com que ela seja cabeça de chave no próximo evento.

Ketleyn e Tamires subiram ao pódio no meio-médio (63kg), ambas perdendo para a israelense Inbal Shemesh. Na final, a cabeça de chave 1 Ketleyn foi superada com um waza-ari. Aos 34 anos, ela sobe para a quarta colocação no ranking mundial.

“Eu estou muito feliz com esse resultado. É um passinho à frente rumo ao Mundial que já é logo ali. Então, está sendo a construção dessa vaga e eu estou feliz. Espero que traga mais confiança para as próximas competições”, comentou Ketleyn à CBJ.

Tamires Crude comemorou o seu melhor resultado da carreira, que a coloca no top 50 do mundo. “Estou extremamente feliz. Esse choro, que já foi de tristeza, agora é só de alegria e de acreditar. Independentemente das circunstâncias, se manter firme e acreditar no processo”, disse a judoca à CBJ.

Rafaela Silva subiu ao pódio em Grand Slam pela primeira vez desde 2019 ao derrotar a francesa Priscilla Gneto, na sexta-feira (3). O resultado fez a campeã Olímpica na Rio 2016 retornar ao top 10 de sua categoria.

“Estou muito feliz com meu processo. Espero que seja uma virada de chave e engate mais medalhas nas próximas competições. Independentemente da cor, são esses pontos que vão me dar a classificação Olímpica”, disse Rafaela à CBJ.

A próxima etapa do Circuito Mundial IJF será o Grand Slam de Ulaanbaatar, na Mongólia, de 24 a 26 de junho, evento que iniciará a classificação Olímpica para os Jogos Paris 2024.

PARIS 2024 | Veja como será a classificação para o judô

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual