Ícone das Cerimônias de Abertura, Pita Taufatofua arrecada fundos para Tonga após erupção vulcânica e tsunami

O atleta de Tonga, que foi aos Jogos Olímpicos três vezes, arrecada fundos para esforços de socorro ao país por crowdfunding, após o desastre natural que aconteceu em 15 de janeiro. O Olympics.com conversou com Taufatofua.

Sanjeev Palar

Pita Taufatofua, o atleta Olímpico de verão e de inverno que ganhou fama como porta-bandeira de Tonga em Cerimônias de Abertura, tem pedido a pessoas em todo mundo para se juntarem e fazerem o possível para ajudar as pessoas do seu país.

Os primeiros aviões com ajuda externa chegaram a Tonga em 20 de janeiro, cinco dias após a nação do Pacífico ser devastada por uma erupção vulcânica, seguida por um tsunami, no sábado. Graças aos esforços de Taufatofua e outros, meio milhão de dólares foram arrecadados para esforços de socorro pelo seu crowdfunding.

"Tonga é atingida por uma erupção vulcânica, coberta em cinzas e então vem um tsunami e nos atinge também. Os últimos dias foram devastadores", disse Taufatofua ao Olympics.com, na Austrália, nesta quinta.

"Assim que comecei a ver as filmagens de todas as ondas chegando, eu sentei e pensei, 'vai ser catastrófico para nossa ilha. Vamos precisar de ajuda'.

"Então criei a página no GoFundMe e o alvo inicial era ajudar hospitais e escolas, qualquer local afetado desse tipo, e então ver qual era a necessidade".

Tonga e famílias isoladas do mundo

A comunicação com as 169 ilhas da Polinésia que formam o Reinado de Tonga, 36 delas não habitáveis, foi inicialmente difícil depois da erupção do vulcão e do tsunami que veio a seguir. Formas básicas de telecomunicação foram restabelecidas, permitindo que um pouco de informação seja mandada para o resto do mundo.

Taufatofua disse que parte de sua família o contatou para confirmar que estava bem, mas que ainda não ouviu de seu pai.

"Recebemos apenas uma mensagem de um primo meu em Haapai [ilha principal]. A mensagem foi no sentido de 'As ondas passaram pela casa. A casa ainda está de pé. Todo mundo está bem'. E não conseguimos mandar mensagem de volta".

"Meu pai naquela mesma hora estava em Tongatapu e não tenho notícias dele desde o dia anterior à erupção." - Pita Taufatofua

Com a primeira ajuda agora chegando do exterior, Taufatofua espera que as comunicações possam ser restabelecidas, e permanece positivo.

"Talvez isso seja parte de ser um atleta Olímpico ou provavelmente só de ser tonganês. Quando os tempos são difíceis é quando você tem que dar o máximo.

"Tenho que continuar lutando. Tenho que continuar dando entrevistas. Tenho que continuar buscando o mundo e trabalhando para arrecadar fundos. Estamos tentando fazer o que podemos".

Atualização em 25 de janeiro de 2022: o pai de Taufatofua foi encontrado em segurança.

Crowdfunding e o apoio a Tonga

Taufatofua competiu na Rio 2016, sendo o primeiro tonganês a se classificar para os Jogos Olímpicos no taekwondo. Ele ganhou manchetes ao entrar na Cerimônia de Abertura no Brasil vestindo um traje tradicional do Tonga, sem camisa.

Ele repetiu o visual na temperatura congelante da Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018, onde competiu no esqui cross-country, e em Tóquio 2020, novamente no taekwondo.

O atleta de 38 anos é grato por poder usar seu perfil global para fazer este apelo ao seu país.

"Apenas me sinto tão honrado e abençoado a respeito dos Jogos Olímpicos e ter tido uma plataforma para fazer isso. Começou a pegar tração agora. As pessoas estão nos apoiando de todo o mundo".

Com a meta de um milhão de dólares australianos (725 mil dólares americanos), o crowdfunding de Pita Taufatofua está recebendo mais doações, com mais de 50% da meta sendo coletada nos quatro primeiros dias. O atleta ficou impressionado com a resposta positiva de seus esforços até o momento.

"Recebi uma mensagem de, acredite, uma senhora no Japão. Ela disse 'Você acenou para mim em Tóquio nos Jogos. Você acenou para mim e agora estou retornando o favor'. Eu senti e pensei - eu acenei. Preciso começar a acenar para todo mundo".

"Pessoas em todo mundo podem doar para qualquer esforço de ajuda, o meu ou dos outros. Se eles podem espalhar a notícia, compartilhar as imagens de Tonga, isso significaria muito para nós, para que os governos vejam que há 170 ilhas cobertas por cinzas.

"Para aqueles que não podem doar, compartilhem. Falem sobre Tonga, falem com quem vocês conhecem de Tonga e do Pacífico e diga que você está nos apoiando".

A chama Olímpica ainda brilha

O tonganês não competirá em Beijing 2022 em fevereiro e passará as próximas semanas focando no socorro ao país.

"Agora meu foco é em garantir que podemos ajudar a reconstrução de Tonga e só então minhas energias voltarão para os Jogos Olímpicos", ele compartilhou, sugerindo um retorno às competições para sua nação, com os Jogos Olímpicos de 2032 sediados na cidade em que ele mora, Brisbane, na Austrália.

Taufatofua é grato por todo o apoio que ele tem recebido da comunidade Olímpica e de todo o mundo, especialmente nas redes sociais.

"Para todos ao redor do mundo, quero apenas demonstrar minha gratidão. O volume que estamos começando a ver no nosso site de arrecadação e nas mensagens... as pessoas estão dizendo aos tonganenses que 'Nós vemos vocês, nós nos importamos'.

"Tem sido fenomental. Só quero dizer obrigado. Obrigado por espalhar a notícia. Obrigado por compartilhar com seus governos sobre nosso pequeno país e por checar como as pessoas de Tonga estão".

"A todo o povo de Tonga, nós estamos com vocês. Não estávamos lá, mas estamos aqui, trabalhando, dando o nosso melhor... estamos na posição de poder ajudar e fazer parte do processo de reconstrução".

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual