Patinação artística Olímpica em Beijing 2022: Cinco coisas que você precisa saber

Tudo que você precisa saber sobre a competição de patinação artística nos Jogos de Inverno Beijing 2022, incluindo atletas para ficar de olho, informações sobre local de competição e mais!

Will Imbo
Foto: Handout image supplied by OIS/IOC. Olympic Information Services OIS. This image is offered for editorial use only by the IOC. Commercial use is prohibited.

A patinação artística é um dos esportes mais populares dos Jogos de Inverno – alguns poderiam dizer que é um sinônimo dos Jogos, já que é o esporte mais antigo do programa de Inverno.

A patinação artística foi disputada pela primeira vez nos Jogos de Verão de Londres 1908 e novamente em 1920 na Antuérpia, antes de ser permanentemente transferida para o programa dos Jogos Olímpicos de Inverno, cuja primeira edição foi em 1924, em Chamonix, na França.

Nos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 há cinco eventos na competição de patinação artística – individual masculino, individual feminino, duplas, dança no gelo e o evento em equipes.

Aqui você encontrará nossa previa da patinação artística em Beijing 2022, incluindo a história do esporte, os principais patinadores para ficar de olho, informações sobre o local de competição e mais!

Principais patinadores artísticos Olímpicos em Beijing 2022

A competição de patinação artística é uma das mais duras dos Jogos de Inverno – um mero erro, e a chance de medalha de um competidor vira pó. Para levar o ouro, você precisa ser perfeito. Hanyu Yuzuru (JPN) tem sido exatamente isso nas duas últimas edições dos jogos, vencendo o ouro em Sochi (2014) e em PyeongChang (2018) no individual masculino. Duas vezes campeão mundial (2014 e 2017) e considerado um dos melhores patinadores artísticos da história, ele certamente será o homem a ser batido em Pequim, no momento em que ele tentará seu terceiro título consecutivo no individual masculino, um feito inédito desde 1928.

O concorrente mais próximo de Yuzuru provavelmente será o também duas vezes campeão mundial (2018 e 2019) e medalhista de bronze Olímpico em 2018 no evento em equipes, Nathan Chen (USA).

Outro nome para ficar de olho no individual masculino é o medalhista de prata no individual masculino em PyeongChang e duas vezes medalhista de prata mundial (2017 e 2018) Uno Shoma (JPN) – o primeiro patinador a cravar com sucesso um salto com quatro giros em uma competição internacional.

Alina Zagitova (ROC) e Evgenia Medvedeva (ROC) venceram ouro e prata respectivamente no individual feminino em PyeongChang, mas nenhuma delas foi incluída na lista da Federação Russa de Patinação Artística para a temporada 2021-2022. Na possível ausência delas, fique de olho nas japonesas Satoko Miyahara e Rika Kihira em Pequim.

Miyahara ficou em quarto lugar nos Jogos Olímpicos de 2018, ganhou prata e bronze no Campeonato Mundial em 2015 e 2018 e tem quatro títulos nacionais. Kihiria, de 18 anos, deve fazer sua estreia Olímpica em Beijing 2022. Apesar de ainda não ter medalhas no Mundial, ela é bicampeã japonesa (2019, 2020) e campeã da final do Grand Prix de 2018 - sem mencionar que fez história ao ser a primeira mulher a completar a combinação axel triplo Toeloop.

Não subestime a americana Bradie Tennell também. Ela foi bronze em Pyeonghang no evento de equipes e é bicampeã americana (2018, 2021).

A competição de duplas em Beijing 2022 deve ser uma disputa bem aberta, especialmente devido à aposentadoria dos atuais campeões Olímpicos Bruno Massot e Aljona Savchenko (GER). Os medalhistas Olímpicos de prata em 2018 e bicampeões mundiais (2017 e 2019) Wenjing Sui e Cong Han (CHN), assim como os três vezes medalhistas Mundiais (2018 e 2019 prata, 2017 bronze) e bicampeões europeus (2017 e 2018) Evgenia Tarasova e Vladimir Morozov (ROC), são fortes candidatos para buscar o ouro.

Gabriella Papadakis e Guillaume Cizeron (FRA), medalhistas Olímpicos de prata em 2018 e tetracampeões mundiais, estão entre os favoritos para vencer a competição de dança no gelo.

Programação da patinação artística Olímpica em Beijing 2022

A competição de patinação artística será realizada entre 4 de fevereiro e 20 de fevereiro de 2022.

Local de competição da patinação artística Olímpica em Beijing 2022

A competição de patinação artística será realizada no Capital Indoor Stadium em Pequim. A arena é um local de competição de legado dos Jogos de Verão de 2008, que sediou a competição de voleibol. Além de sediar a patinação artística, a competição de pista curta também será no Capital Indoor Stadium.

O estádio, que tem capacidade para 18.000 pessoas, continuará sendo usado para competições esportivas e eventos culturais e de entretenimento.

Formato de competição da patinação artística Olímpica em Beijing 2022

A competição de patinação artística em Beijing 2022 terá cinco eventos:

Individual masculino

Individual feminino

Duplas

Dança no Gelo

Evento em Equipes

Cada evento tipicamente consiste em rotinas longa e curta que ajudam a determinar a pontuação do competidor. Em cada rotina, o patinador recebe dois tipos de pontuação: a pontuação dos elementos técnicos (TES) e a pontuação dos componentes do programa (PCS).

O PCS é baseado principalmente na apresentação, enquanto o TES leva em conta a dificuldade e realização da rotina (elementos como giros e saltos). A rotina curta (também conhecida como programa curto) serve como classificação – somente os patinadores com as maiores pontuações nessa parte da competição avançam para o programa longo (também conhecido como patinação livre ou programa livre). Os patinadores então recebem uma pontuação combinada dos programas curtos e livre para determinar o vencedor geral.

Há um total de 144 vagas disponíveis para atletas se classificarem para a competição de patinação artística em Beijing 2022.

História Olímpica da patinação artística

A patinação artística evoluiu de uma maneira prática de se movimentar no gelo à mistura elegante de arte e esporte que é hoje.

Os neerlandeses são considerados os pioneiros da patinação. Eles começaram usando canais para manter comunicação ao patinar de uma vila para a outra desde o século 13. A patinação então se espalhou através do canal para a Inglaterra, e logo os primeiros clubes e rinques artificiais começaram a tomar forma. Entre os entusiastas da patinação estavam reis da Inglaterra, Maria Antonieta, Napoleão III e o escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe.

Dois americanos são responsáveis pelas maiores evoluções da história do esporte. Em 1850, Edward Bushnell, da Filadélfia, revolucionou a patinação quando introduziu os patins com lâminas de aço, permitindo manobras complexas e giros. Jackson Haines, um mestre bailarino morando em Viena na década de 1860, acrescentou elementos do balé e da dança para acrescentar o toque da graça ao esporte.

A patinação artística é um dos esportes mais antigos no programa dos Jogos Olímpicos de Inverno. Foi disputada nos Jogos de Londres 1908 e novamente em 1920 na Antuérpia. Masculino, feminino e duplas foram os três eventos disputados até 1972. A dança no gelo foi adicionada ao programa em 1976, enquanto o evento misto por equipes fez sua estreia na Olimpíada de Inverno em Sochi 2014.

Os Estados Unidos têm sido a nação mais bem-sucedida na patinação artística nos Jogos de Inverno, com 51 medalhas (incluindo 15 ouros). Na verdade, os Estados Unidos venceram pelo menos uma medalha em cada edição dos Jogos desde que a patinação artística participa, exceto duas.

A Rússia aparece em seguindo com 26 medalhas (14 ouros), com a antiga União Soviética em terceiro com 24 medalhas.

Tessa Virtue e Scott Moir (CAN) são os atletas mais condecorados da história da patinação artística Olímpica, com um total de cinco medalhas, incluindo dois ouros na dança no gelo e um ouro no evento por equipes. Gillis Grafström (SWE) venceu o maior número de medalhas em um único evento, ganhando quatro (incluindo três ouros) no individual masculino. Sonja Henie (NOR) é a patinadora mais bem-sucedida no individual feminino, com três ouros.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual
Assine aqui Assine aqui