Alerta de medalha: Sui Wenjing e Han Cong dão ouro aos anfitriões na patinação artística de pares em Beijing 2022

Dupla da República Popular da China supera concorrentes do ROC e conquista ouro quatro anos após a prata em PyeongChang 2018. Tarasova/Morozov e Mishina/Galliamov completam pódio.

Foto: 2022 Getty Images

O desfecho da patinação artística em Beijing 2022 foi uma festa caseira. Sui Wenjing e Han Cong, da República Popular da China, conquistaram as últimas medalhas do esporte, nos pares, neste sábado, 19 de fevereiro, no Estádio Indoor da Capital.

A pontuação final de Sui a Han foi de 239.88. Os chineses tiraram a maior nota tanto no programa curto (em que estabeleceram recorde) quanto no livre. Enfim veio a consagração de Sui e Han, que haviam sido medalhistas de prata em PyeongChang 2018 e também no Mundial de 2021.

A prata e o bronze ficaram com o ROC. Evgenia Tarasova e Vladimir Morozov somaram 239.25 e e Anastasia Mishina e Aleksandr Galliamov, 237.71.

Mishina e Galliamov estavam invictos desde o Mundial de 2021.

Desde o início da temporada 2015/16, Sui e Han estiveram no pódio em todas as competições internacionais que disputaram.

Esta foi a primeira vez em 60 anos que os pares encerram o programa competitivo da patinação artística nos Jogos de Inverno. A mudança foi feita justamente para dar um gran finale aos anfitriões em Pequim.

Os chineses são o NOC (Comitê Olímpico Nacional) de maior sucesso neste evento desde Salt Lake City 2002, com sete medalhas. Sui e Han são o segundo par chinês a levar o ouro, após Shen Xue e Zhao Hongbo em Vancouver 2010.

"Nós passamos por muita coisa, de não sermos considerados favoritos no início. As pessoas diziam que éramos 'zebras', porque nossos corpos não eram 'feitos' para patinação artística. Tradicionalmente, esperam que os homens sejam altos e as mulheres pequenas", disse Sui.

"Se não há caminho para nós, nós construímos nosso próprio caminho e assim criamos nossa história", completou a patinadora.

Morozov também ficou contente com a prata. "Não sentimos muito estresse. Acho que patinamos como um só, então foi bem tranquilo para nós. Trabalhamos por anos para esta medalha, então significa muito", afirmou.

Já Mishina mira a próxima competição contra os chineses. "Queremos revanche contra eles. Claro, isso depende se nossos rivais continuarão patinando", declarou.

Galliamov, por sua vez, exaltou os campeões. "Os que terminaram em primeiro e segundo fizeram apresentações verdadeiramente fantásticas. São rivais de muito valor e somos gratos por competir com esses atletas lendários. Não são os primeiros Jogos deles e também estamos felizes de ter a honra de competir com eles".

NOTÍCIAS DA PATINAÇÃO ARTÍSTICA POR E-MAIL.

Receba notícias de patinação artística, vídeos, destaques dos Jogos Olímpicos de Inverno e muito mais.