O que nós aprendemos: destaques do Basquete nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Desde Luka Doncic e o jogo de conto de fadas da Eslovênia até o inevitável estilo Thanos do time americano, dê uma olhada nos momentos mais memoráveis do Basquete em Tóquio 2020, veja a recapitulação de quem levou as medalhas, e o que esperar para Paris 2024.  

Foto: 2021 Getty Images

O torneio de basquete nos Jogos Olímpicos raramente desaponta, e em Tóquio não foi exceção.

Além de alguma ação emocionante nos torneios femininos e masculinos, nós vimos história sendo feita em toda parte na Super Arena Saitama.

Kevin Durant eclipsou Carmelo Anthony como o melhor pontuador Olímpico na história do time masculino americano, Eslovênia e Bélgica participaram do seu primeiro torneio Olímpico, e Sue Bird e Diana Taurasi consolidaram seus status como duas das melhores jogadoras de basquete de todos os tempos ao conquistarem sua quinta medalha de ouro Olímpica.

Abaixo, nós damos uma olhada nos momentos mais memoráveis da competição do basquete em Tóquio 2020, fazemos uma recapitulação de quem ganhou as medalhas, e em quem ficar de olho na Olimpíada de Paris 2024, que acontecerá em apenas três anos!

Os Top Cinco Momentos de Tóquio 2020 em 2021

Aqui estão alguns dos destaques dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que aconteceram em 2021.

1 - A França derrota os EUA no 1º dia

O time masculino americano teve um treinamento um tanto quanto difícil em preparação para Tóquio 2020, sofrendo derrotas para Nigéria (foi a primeira vez que uma nação africana derrotou o time americano no basquete) e para a Austrália. Mas muitos poucos fãs do time dos EUA - ou qualquer pessoa que prestou atenção nos últimos três Jogos Olímpicos - ficaram muito preocupados com o jogo de abertura Olímpico contra a França.

Claro, a França tinha talentos da NBA na sua lista na forma de Rudy Gobert, do Utah Jazz, e Evan Fournier, do New York Knicks, mas não no mesmo nível que seus oponentes; a lista americana conta com múltiplos campeões da NBA, sendo a seleção do primeiro time toda desse torneio, o Jogador da Defensiva do Ano e All-Stars.

Resumindo, os EUA eram favoritos quanto sua composição, e era esperado que defendessem as medalhas de ouro que eles conquistaram em Pequim 2008, Londres 2012 e no Rio 2016.

A França, entretanto, não recebeu o memorando.

Depois de um primeiro tempo que parecia estar indo de acordo com o planejado para os EUA, liderando por oito pontos, a França melhorou o jogo no segundo tempo. Os Les Bleus dominaram o ataque americano e também o placar (a França superou os EUA por 42-36) e deixou que o jogo quente de Fournier rolasse (maior pontuador, 28 pontos) para conquistar a famosa vitória de 83-76 que mandou ondas de choque por todo o mundo do basquete.

A derrota foi a primeira dos EUA nas Olimpíadas desde Atenas 2004 - que tinha até então uma sequência de 25 vitórias consecutivas.

Quando questionado se os jogadores dos EUA tiveram problemas para se ajustar às regras internacionais, Gobert disse ao Olympics.com:

“Quer dizer, há muitas nuances, especialmente na forma como eles chamam o flagrante (faltas antidesportivas). Eles chamam de flagrante se acharem que não é um jogo com a bola. Na NBA, a menos que você esteja realmente tentando machucar alguém, eles não ligam. Acho que alguns desses caras (dos EUA) vão se acostumar com isso durante o torneio. Acho que eles vão ficar cada vez melhores.”.

E assim as palavras de Gobert provaram ser verdadeiras, já que os EUA iriam ganhar o resto de seus jogos na Olimpíada; incluindo a vitória sobre a França na final.

Ainda assim, que maneira de abrir o torneio masculino em Tóquio 2020! Mas talvez a França e seus torcedores desejassem ter enfrentado os EUA pela primeira vez no jogo da medalha de ouro, em vez de na fase de grupos. Mesmo assim, a França voltou para casa com prata; sua primeira medalha olímpica desde Atenas 2004 (também de prata).

2 - Luka Doncic e a estreia Olímpica incrível da Eslovênia

Depois que o Dallas Mavericks foi expulso dos playoffs da NBA de 2021 na primeira rodada, Doncic se juntou à seleção masculina da Eslovênia para o importante Torneio de Qualificação Olímpica (OQT) em Kaunas, na Lituânia.

Apesar da presença de Doncic, a Lituânia ainda era a favorita para vencer o torneio em sua própria quadra para conquistar o bilhete dourado que a faria se classificar para Tóquio 2020 como um dos quatro vencedores do OQT.

No entanto, na final, Doncic registrou um triplo-duplo monstruoso (31 pontos, 11 rebotes, 13 assistências) enquanto a Eslovênia derrotou a Lituânia por 96-85 e avançou para o primeiro torneio olímpico de basquete da história do país.

E mais um vez eles chegaram ao Japão, Junaki ("Os heróis") provaram que eles não estavam lá simplesmente para inventar números, ganhando todos os três jogos do seu grupo (incluindo as vitórias impressionantes sobe a Espanha e a Argentina), para avançar para a fase eliminatória. Doncic provou porque ele é um das maiores estrelas no NBA e frequentemente é mencionado como o futuro ganhador do MVP durante o torneio, igualando a segunda maior pontuação olímpica em um único jogo da história (48 pontos em uma vitória por 118-100 sobre a Argentina) e se tornando o primeiro jogador desde LeBron James em 2012 a registrar um triplo-duplo nos Jogos, durante uma derrota na semifinal para a França (16 pontos, 10 rebotes, 18 assistências).

Doncic e Eslovênia acabaram perdendo em Tóquio por um ponto na semifinal contra a França, antes de serem derrubados pela Austrália na disputa pela medalha de bronze.

É provável que seja muito cedo para ver se Doncic retornará para a próxima tentativa da Eslovênia de se classificar para as Olimpíadas em 2024, mas com base em sua estreia em Tóquio, os europeus estarão objetivando com razão o pódio em Paris.

Basquete Feminino do Japão
Foto: 2021 Getty Images

3 - A corrida do Japão pela medalha de ouro

Antes de Tóquio 2020, o melhor resultado do time feminino japonês nos Jogos Olímpicos foi um quinto lugar em Montreal em 1976.

Ainda assim, o Japão participou dos Jogos em casa depois de uma forte performance na Copa da Ásia FIBA 2019, onde elas ganharam o ouro. Esse boa forma continuou na Olimpíada, com o time derrotando as medalhistas de prata de Londres 2012, a França, a caminho de conseguir o segundo lugar no grupo e para progredir para a oitava de final.

Na quarta de final, elas encararam a estreante Olímpica, a Bélgica, em um jogo demorado, com a liderança oscilando entre os dois lados, antes da jogada de três pontos da Hayashi Saki dar ao Japão uma liderança de 86-85 faltando 30 segundos para acabar o jogo. A última jogada de Kim Mestdagh veio por trás e o Japão conseguiu ir para a semifinal.

Mais uma vez elas encararam a França, mas agora o jogo não foi nem um pouco apertado como foi na vitória japonesa por 74-70 na fase em grupos. Graças a uma performance inacreditável da Machida Rui (que fez 18 assistências no torneio, um novo recorde Olímpico em um só jogo), o Japão deslizaram para um 87-71, ganhando vantagem no primeiro jogo delas pela medalha de ouro.

Apesar de o Japão não ter conseguido impedir os EUA de conseguir o sétimo título Olímpico consecutivo deles, eles trouxeram para casa a sua primeira medalha na competição (prata) e foi uma das (se não a) melhor performance em time em Tóquio 2020.

4 - Sue Bird e Diana Taurasi fazem história

Bird e Taurasi são duas das melhores jogadoras que já jogaram Basquete; e essa afirmação era verdade bem antes de Tóquio 2020, mas o sétimo título Olímpico consecutivo do time americano solidificou o lugar inevitável da dupla no Corredor da Fama do Basquete.

Quando o time feminino americano subiu ao topo do pódio durante a apresentação da medalha depois de sua vitória sobre o Japão, Bird e Taurasi (que são duas das 11 jogadoras que ganharam o ouro Olímpico, a Copa Mundial FIBA, o título WNBA e o título do NCAA) foram apresentadas a sua quinta medalha de ouro Olímpica - o maior número de medalhas já ganhas por qualquer jogador de Basquete de qualquer gênero na história dos Jogos.

Foi o ponto culminante adequado para ambas as carreiras olímpicas femininas, já que é improvável que qualquer uma delas faça parte da equipe dos EUA para o Paris 2024.

5 - Kevin Durant no topo das tabelas de pontuação dos EUA

Claro, os EUA perderam alguns jogos de exibição no aquecimento para a Olimpíada e até mesmo não resistiram na partida de abertura de Tóquio 2020 contra França, mas depois desses tropeços no caminho estava na hora de Kevin Durant e o time masculino americano voltarem ao trabalho.

Durant se tornou o principal artilheiro na história do basquete Olímpico masculino americano durante o torneio, depois de passar Carmelo Anthony que fez 336 pontos no último jogo em grupo dos EUA contra a República Tcheca (Durant terminou com 23 pontos juntamente com os oito rebotes e seis assistências.).

Kevin Durant (2)
Foto: 2021 Getty Images

A estrela do Brooklyn Nets teve uma performance incrível na partida pela medalha de ouro contra a França, marcando 29 pontos junto com seis rebotes, com Durant se juntando ao Anthony como os únicos jogadores três vezes medalhistas de ouro Olímpicos na história do basquete Masculino.

Ao final do jogo contra a França, Durant tinha estendido sua carreira Olímpica para um total de 435 pontos e se tornou o primeiro jogador a marcar 100 pontos ou mais em três torneios Olímpicos.

Se Durant decidir se juntar ao time americano em Paris 2024, ele teria a oportunidade de ganhar uma quarta medalha de ouro e seria o único jogador homem mais bem sucedido na história Olímpica.

Uma última olhada

Tóquio 2020 viu a aposentadoria internacional de três lendas do basquete: Pau, Marc Gasol e Luis Scola.

Scola estava competindo em seu quinto Jogos Olímpicos, tendo ganhado ouro em Atenas em 2004 e bronze quatro anos mais tarde em Pequim.

Entretanto, a Argentina perdeu para a Austrália na quarta de final no Japão sinalizando o fim da carreira icônica do atleta de 41 anos com o Albiceleste.

Depois da derrota, Scola, de 41 anos - que foi retirado do jogo com menos de um minuto restante diante de uma ovação em pé de todos dentro da Saitama Super Arena - disse: "Tem sido divertido. É hora de novos rostos aparecerem. É nossa hora de ir.".

Scola estava se referindo a ele mesmo assim como aos dois irmãos Gasol, que também anunciaram sua aposentadoria internacional mais cedo no dia em que a Espanha perdeu para os EUA na partida da quarta de final.

Pau Gasol, 41, aproveitou sua carreira brilhante com o time nacional espanhol, ganhando 11 medalhas em três diferentes competições internacionais, incluindo o ouro em 2006 na Copa do Mundo da FIBA e três medalhas Olímpicas (prata em 2008 e 2012, bronze em 2016).

Marc Gasol, 36, terminou sua carreira nacional com nove medalhas, incluindo duas na Copa do Mundo assim como uma prata Olímpica em 2008 e em 2012.

Olá Paris 2024

O time americano retornará à Paris 2024 tanto na competição feminina quanto na masculina como campeões reinantes, e podem trazer variados jogadores incríveis com eles para a França para defender seu título Olímpico.

Do lado masculino, Durant pode tentar sua quarta medalha de ouro, o que faria dele o jogador mais bem sucedido da história das Olimpíadas. Os EUA também tem vários jogadores jovens interessantes exercendo seu trabalho na NBA, incluindo Ja Morant do Memphis Grizzlies e Zion Williamson do New Orleans Pelicans.

Fora dos EUA, todos os olhares caírão sobre a Eslovênia (se eles se qualificarem, claro), e mais especificamente sobre Luka Doncic, para ver se eles conseguem se sair melhor do que se saíram em Tóquio para conquistar a primeira medalha Olímpica para seu país no basquete.

Do lado feminino, ainda existe a chance de Taurasi retornar para buscar sua sexta medalha de ouro - apesar de que Bird confirmou que Tóquio 2020 seriam seus últimos Jogos Olímpicos. Mas não é como se os EUA fossem ficar com menos talentos para selecionar, com ambas A'Ja Wilson, estrelando em sua estreia Olímpica em Tóquio e Breanna Stewart mostrando porque ela é umas das melhores jogadoras depois de conquistar sua segunda medalha de ouro (para combinar com seus dois títulos da WNBA e da Liga Mundial).

Quando e onde assistir online os replays do basquete no Olympics.com

Nós cuidamos disso para você. Os replays estão aqui.

Quando irão os principais jogadores de basquete competir em seguida?

A maior liga feminina já retornou - a WNBA voltou à ação na quinta, 12 de agosto, seguindo a pausa feita para acomodar os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Para os homens, a nova temporada da NBA está marcada para iniciar dia 19 de outubro, enquanto a primeira semana da EuroLeague começa no dia 30 de setembro.

Lista completa de medalhas do Basquete em Tóquio 2020 em 2021

Competição Feminina

Ouro: EUA

Prata: Japão

Bronze: França

Competição Masculina

Ouro: EUA

Prata: França

Bronze: Austrália

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual