Nicole Silveira ganha a terceira seguida na Copa América e termina etapa invicta

Em busca de vaga no skeleton nos Jogos de Inverno Beijing 2022, a brasileira não deu chances às adversárias em Whistler, Canadá, e somou 225 pontos no ranking. Silveira segue na cidade para a primeira fase da Copa Intercontinental no próximo fim de semana.

Sheila Vieira
Foto: IBSF

A pista de gelo de Whistler, no Canadá, ficou pequena para Nicole Silveira. A brasileira, que tenta classificar o Brasil para os Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 no skeleton feminino, dominou as três primeiras provas da Copa América entre 7 e 9 de novembro de 2021.

Além de vencer nos três dias, Silveira evoluiu durante a competição. Sua única descida no domingo foi de 54s51, tempo que ela superou na segunda (54s22 e 54s36) e na terça (53s85 e 53s91).

Nicole Silveira (centro) posa com as canadenses Madison Charney e Hallie Clarke na etapa de Whistler da Copa América de skeleton, em novembro de 2021.
Foto: IBSF

As vitórias dão a Silveira valiosos 225 pontos no ranking da IBSF (Federação Internacional de Bobsled e Skeleton). Em Beijing 2022, o skeleton feminino terá 25 vagas, com 11 delas destinadas a países que levam apenas uma atleta, que seria o caso do Brasil.

Antes de Whistler, Silveira já havia obtido um resultado expressivo no evento-teste de Beijing 2022, com a oitava colocação em Yanqjing.

Se prosseguir neste ritmo, a brasileira conseguirá a classificação com tranquilidade, com o potencial de atingir um dos melhores resultados do país na história dos Jogos de Inverno. A snowboarder Isabel Clark, nona colocada no snowboard cross em Turim 2006, detém a melhor marca brasileira no evento.

Silveira segue em Whistler para a primeira perna da Copa Intercontinental, nos dias 13 e 14 de novembro. A seguir, a brasileira volta à disputa da Copa América, em Park City, nos EUA. A partir de dezembro, ela vai à Europa e encara a elite mundial do skeleton na Copa do Mundo.

Marina Tuono, do monobob, terminou em sexto lugar nas três etapas. A brasileira, que terminou a última temporada na terceira colocação do ranking, enfrentou problemas em sua preparação. Seu trenó teve a entrega atrasada tanto em Lake Placid, onde ela estava treinando, quanto em Whistler, e chegou apenas no último dia de treino classificatório.

A dupla brasileira do bobsled 2-man, Edson Bindilatti e Erick Vianna, ficou em nono, décimo primeiro e sétimo lugares nos três dias, respectivamente.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual