Nicole Silveira encerra importante ano dos brasileiros nos esportes de inverno

Brasileira teve dificuldades na pista de Sigulda, na Letônia, terminando na 24ª colocação. 2021 foi um ano de resultados importantes para o Time Brasil no gelo e na neve.

Sheila Vieira
Foto: GETTY IMAGES

Com a participação de Nicole Silveira na etapa de Sigulda, Letônia, da Copa do Mundo de skeleton, em 31 de dezembro, o Brasil encerra o ano de 2021 nos esportes de inverno com boas perspectivas, a pouco mais de um mês dos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022, em Pequim, na China.

Nicole terminou na 24ª colocação em Sigulda, uma pista em que já encontrou dificuldades no passado. O resultado é bem abaixo do inédito nono lugar que a brasileira obteve em Winterberg, na Alemanha. Porém, o deslize não apaga o ano histórico de Nicole no esporte que começou a praticar há apenas três anos.

A brasileira foi campeã da Copa América de skeleton e oitavo lugar no evento-teste de Pequim. Correu de igual para igual com atletas que estão na elite do skeleton há muitos anos e mostrou que o Brasil pode sonhar com um novo melhor resultado nos Jogos de Inverno - que no momento é o nono lugar de Isabel Clark no snowboard cross em Turim 2006.

As pistas de gelo também tiveram a seleção brasileira de bobsled encaminhando a classificação para Pequim durante a Copa América, no 4-man e no 2-man. A equipe mostrou grande superação após perder um de seus membros, Odirlei Pessoni, que faleceu em um acidente no primeiro semestre.

Um dos grandes destaques do ano brasileiro nos esportes de inverno foi Marina Tuono, que terminou a temporada 2020/21 no terceiro lugar do ranking mundial no monobob, evento que estreia nos Jogos Olímpicos em Pequim.

Marina Tuono compete na etapa de Park City do circuito de monobob em janeiro de 2021.
Foto: Girts Kehris/IBSF

De olho em Milano-Cortina 2026

O Brasil também teve importantes avanços no curling, disputando o classificatório para o Pré-Olímpico pela primeira vez, avançando aos playoffs nas duplas mistas. A equipe masculina também venceu seus primeiros jogos da história no America's Challenge e disputará o Pré-Mundial no mês de janeiro, tentando a classificação inédita para o Campeonato Mundial.

Apesar de não terem tentado a classificação para Pequim, os patinadores de velocidade João Victor Silva e Larissa Paes tiveram uma importante evolução em 2021, disputando torneios internacionais de ponta. João Victor foi quinto lugar na saída em massa na categoria neo-sênior da Copa do Mundo juvenil. Olhando para o futuro, as possibilidades para Milano-Cortina 2026 são animadoras.

Anne Shibuya (BRA) lança pedra no torneio de duplas mistas do classificatório para o Pré-Olímpico, em Erzurum, na Turquia, em outubro de 2021.
Foto: WCF/ Umit Uzun

Encontro de gerações na neve

Nos esportes na neve, o Brasil contou com nomes experientes e jovens promessas. No primeiro semestre, o país conquistou suas primeiras vagas para Pequim no Mundial de esqui cross-country, com a equipe liderada pela sete vezes atleta Olímpica Jaqueline Mourão.

O cross-country brasileiro terá duas mulheres e um homem em Pequim. A disputa é interna por quem vai ocupar essas vagas. Manex Silva, de 22 anos, que disputou os Jogos Olímpicos da Juventude Lausanne 2020, luta pela vaga masculina com o veterano Steve Hiestand, de 37.

A quarta vaga veio no esqui alpino masculino. Michel Macedo obteve a prata em evento em Sunday River, nos EUA, e segue como favorito para voltar aos Jogos de Inverno no esporte.

O Brasil também ganhou bons reforços em 2021: os esquiadores de estilo livre Sabrina Cass (moguls) e os irmãos Sebastian e Dominic Bowler (halfpipe e slopestyle), que defendiam os EUA anteriormente.

No snowboard, Augustinho Teixeira, de apenas 16 anos, já tem um top 30 em Copa do Mundo e luta por vaga nos Jogos de Inverno.

Augustinho Teixeira (BRA) durante o classificatório do halfpipe do snowboard no GP de Copper Mountain, Colorado (Estados Unidos), no início de dezembro.
Foto: 2021 Getty Images

Vem aí...

O novo ano começa com tudo nos esportes de inverno, com as últimas disputas antes da data final de classificação Olímpica em 16 de janeiro. Em 4 de fevereiro, começam os Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual