Seleção brasileira passa pela Argentina e disputa semifinal do Mundial Masculino de Vôlei

Um ano após ficar de fora do pódio Olímpico ao perder para os vizinhos sul-americanos, equipe brasileira dá o troco nas quartas de final, com mais um show de Leal e vitória por 3x1. A seleção luta por uma vaga em uma sexta final consecutiva em Mundiais neste sábado, 10 de setembro, contra a atual bicampeã Polônia.

Sheila Vieira | Criado em 8 de setembro
Foto: Volleyball World

Pela sétima vez consecutiva, o Brasil disputará as semifinais do Campeonato Mundial Masculino de Vôlei de 2022. A seleção tricampeã Olímpica derrotou a Argentina por 3 sets a 1 pelas quartas de final nesta quinta-feira, 8 de setembro, em Gliwice, na Polônia, com parciais de 25-16, 23-25, 25-22 e 25-21.

A semifinal será neste sábado, 10 de setembro, contra a Polônia, que derrotou os EUA por 3x2. O Brasil tentará disputar a sexta final consecutiva em Mundiais.

O clássico sul-americano repetiu o duelo pela medalha de bronze dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, no qual os argentinos deixaram os brasileiros de fora do pódio pela primeira vez desde Sydney 2000.

Novamente, o maior pontuador da partida foi Yoandy Leal, com 25 ataques certeiros. "A gente jogou muito bem hoje. Estou muito feliz. Tinha essa ferida da Olimpíada, que foi muito dolorida", disse Leal ao Sportv após a partida.

MAIS | Bruninho: 'Podem achar utopia, mas acreditamos no título'

Leal ataca em jogo contra a Argentina no Mundial Masculino de vôlei.
Foto: Volleyball World

'Evoluímos muito desde a Liga Mundial'

O Brasil fez uma mudança em relação à escalação inicial do jogo das oitavas de final: Lucarelli começou como titular, no lugar de Rodriguinho. A equipe também teve o levantador Fernando Cachopa, os centrais Flávio e Lucão, o ponteiro Leal e o oposto Wallace no início do jogo.

Depois de fazer 20 pontos contra a República Islâmica do Irã, Leal entrou embalado diante da Argentina e marcou 10 pontos apenas no primeiro set. Sem conseguir marcar o ponteiro brasileiro, a equipe argentina teve dificuldades para reagir e perdeu a parcial por nove pontos de diferença.

Já no segundo set, a Argentina reagiu, com destaque para o central Agustín Loser. Leal caiu de rendimento, marcando apenas dois pontos. A terceira parcial também foi decidida ponto a ponto, com o levantador Bruninho sendo mais acionado para contribuir com o saque e o bloqueio.

Bruninho permaneceu no quarto set, parcial um pouco mais confortável para o Brasil, especialmente na reta final. 

"No final do terceiro set, as coisas estavam iguais, estávamos com dificuldade no bloqueio. Tivemos cabeça para buscar. Se você entra na 'porradaria', você erra mais. Talvez fizemos nossa melhor partida do ano hoje", comentou Lucão ao Sportv.

"A VNL (Liga das Nações) foi um baque, perdemos o Alan que estava sendo uma referência. O nível do voleibol está muito igual. Nas quartas, todos os times podem ser campeões. A gente entrou no jogo para se divertir, colocar em prática o que treinamos. Evoluímos muito desde a Liga Mundial", acrescentou o central.

Semifinais do Mundial Masculino de Vôlei: horário de onde assistir

As duas partidas acontecem no próximo sábado, 10 de setembro, em Katowice, na Polônia.

  • Brasil x Polônia: 13:00 no horário de Brasília
  • Itália x Eslovênia: 16:00 no horário de Brasília

Os canais SporTV transmitem o Mundial de vôlei para o Brasil.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual