Mundial Masculino de Vôlei: o que esperar de Brasil x República Islâmica do Irã

Invicta na fase de grupos, seleção brasileira encara a República Islâmica do Irã após realizar mudanças na equipe titular. Saiba como acompanhar a partida nesta terça-feira, 6 de setembro.

Sheila Vieira
Foto: FIVB

Agora é tudo ou nada para a seleção brasileira masculina de vôlei no Campeonato Mundial 2022, disputado na Polônia e na Eslovênia. A equipe enfrenta a República Islâmica do Irã pelas oitavas de final nesta terça-feira, 6 de setembro, às 16:00 (horário de Brasília).

Em jogo está o sonho de uma sexta final de Mundial consecutiva para o Brasil. Uma missão que pode parecer mais difícil após o quarto lugar em Tóquio 2020 e a derrota nas quartas de final da Liga das Nações deste ano. Mas enquanto a seleção estiver viva na competição, será possível lutar.

A campanha no Mundial começou com um susto diante de Cuba, que resultou em uma virada, dando confiança ao time comandado por Renan dal Zotto. O levantador Fernando Cachopa conquistou a titularidade – a confirmar se continuará na fase final – e o central Flávio Gualberto também se destacou nas vitórias por 3x0 contra Japão e Catar.

Aos 29 anos, o mineiro Flávio é o principal bloqueador da seleção no Mundial, com oito pontos. “Hoje sou muito feliz de estar aqui, realizando o meu sonho, alcançar este lugar que estou. Tudo pelo que passei, abrir mão de tantas coisas, e estar representando o Brasil em um Mundial faz tudo valer a pena”, afirmou.

Flávio Gualberto ataca sob o olhar de Fernando Cachopa.
Foto: FIVB

Renan Dal Zotto: 'Todo jogo é uma guerra'

Após disputar a fase de grupos na Eslovênia, a seleção vai a Gliwice, na Polônia, para a partida de oitavas de final. Flávio já jogou no país, que conquistou os dois últimos títulos da competição.

“Uma coisa que posso falar com toda certeza é que a torcida polonesa é apaixonada por voleibol. Sempre lotam os ginásios, vibram, cantam é sempre um espetáculo. E todas as vezes que viemos jogar aqui as arquibancadas estão sempre cheias e eles costumam nos apoiar, exceto, é claro, quando jogamos contra a Polônia”, comentou o central.

A respeito da próxima partida, Flávio lembra que os iranianos costumam dar trabalho ao Brasil. “É uma equipe muito forte fisicamente, tem um grande oposto que sempre pontua bem nos jogos, é uma das peças que teremos que ter mais atenção no confronto”, opinou.

Dal Zotto também destaca o poder de ataque iraniano. “Contam com atacantes fortíssimos e tem um ótimo poder de saque. A nossa equipe precisa jogar com equilíbrio, e não depender somente de um fundamento”, disse o treinador. “Todo jogo é uma guerra.”

Caso vença o confronto, o Brasil enfrenta Sérvia ou Argentina, que também se enfrentam na terça-feira.

Jogos de oitavas de final do Mundial Masculino de Vôlei

  • Eslovênia 3x1 Alemanha
  • Itália 3x1 Cuba
  • EUA x 3x2 Turquia
  • Polônia 3x0 Tunísia
  • Países Baixos 0x3 Ucrânia
  • França x Japão
  • Sérvia x Argentina
  • Brasil x República Islâmica do Irã

Brasil x Irã: horário e onde assistir

A partida será às 16h (horário de Brasília), com transmissão do Sportv 2 para o Brasil.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual