Kevin Durant e Luka Doncic lideram 5 ideal de Tóquio 2020

Kevin Durant foi o MVP do torneio Olímpico onde os EUA venceram o ouro. Luka Doncic saiu sem medalha, mas foi o craque europeu mais destacado. Conferimos os quintetos ideais das provas masculina e feminina do basquete em Tóquio 2020.

Gonçalo Moreira
Foto: 2021 Getty Images

Sem surpresa, os dois nomes grandes à partida para Tóquio 2020 justificaram o estatuto de estrelas e lideram o melhor quinteto. O tricampeão Olímpico Kevin Durant (EUA) foi eleito o MVP comandando os eternos candidatos ao ouro ao 16º título em Jogos Olímpicos com 10 atletas estreantes no torneio. Luka Doncic (Eslovênia) também esteve intratável, mas só o astro do Brooklyn Nets saiu dos Jogos com a medalha de ouro, aliás, Doncic saiu sem medalha após perder (107-93) na disputa do bronze com a Austrália de Patty Mills.

Os números de Kevin Durant em finais Olímpicas, onde foi sempre o melhor marcador, são para aplaudir de pé:

  • Tóquio 2020: 29 pontos
  • Rio 2016: 30 pontos
  • Londres 2012: 30 pontos

O outro destaque individual foi Luka Doncic, que assinalou a estreia da Eslovênia em Jogos Olímpicos anotando 48 pontos contra a Argentina e fez um torneio incrível: média de 23 pontos por jogos, 9,6 rebotes, 9,5 assistências! O encontro mais duro para Luka Doncic foi a semifinal contra a França, onde comandou o jogo com um triplo-duplo – 16 pontos, 10 rebotes e 18 assistências, mas a seleção balcânica perdeu por 90-89. Na história dos Jogos Olímpicos foi apenas a terceira vez que um atleta conseguiu um triplo-duplo.

O nível de Luka Doncic em Tóquio 2020 levou os Dallas Mavericks a ampliarem seu contrato até 2027 por valores reportados de 207 milhões de dólares.

Ricky Rubio, Patty Mills e Rudy Gobert completam o quinteto ideal

Com tanta qualidade procedente da NBA e das melhores Ligas europeias, não foi fácil deixar de fora os irmãos Gasol, o herói francês das semifinais Nicolas Batum, os campeões da NBA Khris Middleton e Jrue Holiday ou o atirador esloveno Klemen Prepelic.

No entanto, o nível do quinteto ideal em Tóquio 2020 foi superlativo. E como armador só poderíamos ter Ricky Rubio, da Espanha, que nas quartas de final fez das melhores exibições vistas em Tóquio 2020: 38 pontos frente aos EUA nunca ninguém tinha conseguido desde que os profissionais da NBA participam nos Jogos Olímpicos (Barcelona 1992)!

Ao lado de Ricky Rubio o ala-armador só poderia ser Patty Mills. Após perder na Rio 2016 o bronze por um ponto para a Espanha, desta vez a Austrália tirou a pedra do sapato. Com 42 pontos e 9 assistências de Patty Mills os “aussies” derrotaram a Eslovênia de Doncic e fizeram as pazes com os Jogos Olímpicos.

O homem grande do quinteto ideal é francês. Rudy Gobert, pivô dos Utah Jazz, manietou a Itália nas quartas de final (22 pontos e 9 rebotes), voltou a ser dominador nas tabelas na semifinal contra a Eslovênia com 16 rebotes e 4 bloqueios, finalizando uns playoffs de sonho com 16 pontos e 8 rebotes na final contra os EUA.

  1. Armador: Ricky Rubio (Espanha/Minnesota Timberwolves)
  2. Ala-Armador: Patty Mills (Austrália/Brooklyn Nets)
  3. Ala: Luka Doncic (Eslovênia/Dallas Mavericks)
  4. Ala-Pivô: Kevin Durant (EUA/Brooklyn Nets)
  5. Pivô: Rudy Gobert (França/Utah Jazz)

O basquete volta em Paris 2024!

Ricky Rubio marcado por Kevin Durant nas quartas de final
Foto: 2021 Getty Images

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual