Jorginho, Palmieri e Tolói na final da Eurocopa: relembre outros brasileiros que jogaram o torneio

Desde Donato em 1996, torneio europeu de seleções de futebol viu brasileiros campeões como Marcos Senna em 2008 e Pepe em 2016.  

Virgílio Franceschi Neto
Foto: 2021 Getty Images

Itália e Inglaterra fazem domingo (11) a final da Eurocopa, no estádio de Wembley, em Londres. Em campo, 5 títulos de Copa do Mundo FIFA (Itália em 1934, 1938, 1982 e 2006; Inglaterra em 1966). Nos Jogos a Itália tem a medalha de ouro no futebol masculino de 1936, enquanto que a Grã-Bretanha (Comitê Olímpico Nacional que a Inglaterra faz parte) venceu as competições de 1900, 1908 e 1912.

Jorginho (foto de capa), Emerson Palmieri e Rafael Tolói são brasileiros que jogarão a decisão do campeonato europeu de seleções pela Itália em função dos antepassados - que vieram de lá -, algo que não é incomum. Amphilóquio Guarisi, o Filó, foi o primeiro brasileiro campeão mundial de futebol, pela Squadra Azzurra (como é conhecida a seleção italiana), em 1934.

O Olympics.com relembra alguns brasileiros que disputaram a Eurocopa:

Donato

O volante carioca revelado pelo América foi contratado pelo Atlético de Madrid e por lá ficou 5 temporadas. Consagrou-se no Deportivo La Coruña, quando foi convocado para a Eurocopa de 1996 pelo treinador, Javier Clemente. Tem ao todo 12 jogos pela "La Roja".

Paulo Rink

Muito lembrado pela história que fez no Athletico Paranaense, em 1997 foi contratado pelo Bayer Leverkusen. Sua participação na Bundesliga (principal escalão do futebol alemão) rendeu a convocação para a Alemanha, pelo treinador Rudi Völler. Disputou a Eurocopa de 2000, ocasião em que a equipe não passou da fase de grupos.

Marcos Senna

O volante paulista revelado pelo Rio Branco, de Americana/SP, foi para o espanhol Villarreal em 2002, tendo ficado na equipe até 2013. Um dos maiores nomes daquele clube, sem dúvida alguma e é atualmente seu diretor de Relações Institucionais. O treinador da seleção espanhola, Luís Aragonés, o convocou para a Copa do Mundo FIFA de 2006 e permaneceu no plantel para a Eurocopa de 2008, torneio que a Espanha foi a campeã. Com isso, tornou-se o primeiro brasileiro vencedor do torneio.

"Quando a gente entra em campo, esquece de qualquer coisa do lado de fora. Nada mesmo. Não pude jogar pelo Brasil, só pensava em fazer o melhor pela minha seleção, pela Espanha. Depois da Copa de 2006, a Euro 2008 acabou sendo a competição mais importante de que participei. E jogar a final é especial, o máximo na minha carreira e lembro com muito carinho."

-Marcos Senna, para o jornal "Extra", sobre jogar pela seleção da Espanha e vencer a Eurocopa de 2008

Deco e Pepe

Como não se lembrar deles? Fizeram história não somente dentro do futebol de clubes de Portugal, pelo FC Porto, mas também pela seleção das Quinas. Deco foi vice-campeão da Eurocopa de 2004 e fez parte do plantel que alcançou a 4ª colocação na Copa do Mundo FIFA 2006. Na história tem 75 internacionalizações, tendo feito 5 gols.

Já o zagueiro Pepe em quase 15 anos por Portugal tem 119 jogos, fez 7 gols e venceu a Eurocopa de 2016.

"Meus pais e toda minha família vivem no Brasil. É lógico que tenho uma ligação muito forte com meu estado, com Maceió... Foi ali que nasci. A verdade é que tenho um carinho muito grande por Portugal. Foi o país que me abriu as portas para ser o Pepe que sou hoje, para poder levar meu nome a todas as pessoas. Mas ainda tenho um carinho grande pelo Brasil. Toda minha família está lá."

-Pepe, para o globoesporte.com, sobre o Brasil

Deco entre Davids e Seedorf, durante jogo da Eurocopa, em 2004
Foto: 2004 Getty Images

Kevin Kurányi

Com mãe panamenha e pai alemão de origem magiar, o atacante nascido em Petrópolis começou a carreira no local Serrano. Foi para o futebol alemão ainda jovem e foi destaque no Stuttgart e no Schalke 04. Joachim Löw o convocou para a Eurocopa de 2008. No torneio, os alemães ficaram com o vice-campeonato ao perderem a decisão para a Espanha.

Kevin Kurányi em ação pela seleção da Alemanha
Foto: Bongarts