Itália de Paola Egonu domina seleção brasileira e vence Liga das Nações Feminina de Vôlei

Equipe brasileira perde por 3 a 0 e termina com vice-campeonato da competição pela terceira vez. Time masculino começa disputa da fase final em 20 de julho.

Sheila Vieira
Foto: FIVB

Liderada pela MVP Paola Egonu, a Itália dominou o Brasil na decisão da Liga das Nações Feminina de Vôlei por 3 a 0 neste domingo, 17 de julho, em Ancara, na Turquia. As parciais foram de 25-23, 25-22 e 25-22.

Este é o primeiro título da campeã europeia Itália na Liga das Nações, que era dominada pelos EUA até então. Já o Brasil termina com o vice-campeonato pela terceira vez seguida. Em Tóquio 2020, a seleção brasileira foi medalha de prata, enquanto a Itália foi sexta colocada.

Com um time renovado, com novidades como Kisy, Julia Bergmann e Ana Cristina, o Brasil teve como pilares da campanha o desempenho de Carol na rede e de Gabi na recepção. As duas foram eleitas para a seleção do campeonato.

O próximo desafio do time comandado por José Roberto Guimarães é o Campeonato Mundial, de 23 de setembro a 15 de outubro, nos Países Baixos e na Polônia.

Já a seleção brasileira masculina de vôlei disputa a fase final da Liga das Nações a partir de 20 de julho, com o duelo de quartas de final contra os EUA.

MAIS | Veja datas e horários da fase final masculina

Os três sets da decisão tiveram um roteiro parecido, com a Itália dominando as ações, sem dar espaço para o Brasil. Por mais que a equipe brasileira subisse de rendimento no final das parciais, não foi o suficiente para evitar o 3 a 0.

Egonu marcou 21 pontos da partida, mas a oposta Bosetti também teve grande mérito no triunfo italiano, com 11 pontos. Já do lado do Brasil, Kisy brilhou mais uma vez, com 14 pontos. Estreante em Liga das Nações, Julia Bergmann não rendeu o seu melhor e marcou apenas três pontos.

"Foi um jogo muito estranho. Nenhum dos dois times conseguiu se colocar ao máximo. Foram erros em demasia, poucas defesas e ralis", comentou o técnico José Roberto Guimarães ao Sportv.

"Cometemos erros nos momentos decisivos do jogo, quando estávamos buscando, a gente não conseguiu realizar os pontos importantes", acrescentou.

Zé Roberto também ressaltou que fica um legado desta competição, com a renovação da seleção.

"Foi bom para entender o que precisamos fazer para melhorar. Estou triste pelo jogo, mas feliz pela geração, pela luta dessas meninas. Sabemos que precisamos trabalhar muito para chegar no nível da Itália, na defesa e no bloqueio", disse.

Na disputa da medalha de bronze, a Sérvia venceu a Turquia também por 3 a 0.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual