Estados Unidos e França vencem seus jogos e farão a final Olímpica

Norte-americanos podem conquistar quarto ouro consecutivo, enquanto os franceses vão para a terceira final na história, novamente contra os Estados Unidos

Virgílio Franceschi Neto
Foto: 2021 Getty Images

A Saitama Super Arena recebeu na madrugada e manhã desta quinta-feira as semifinais do torneio masculino de basquete dos Jogos Tóquio 2020 em 2021.

Entre as quatro equipes em busca da medalha de ouro, a única que perdeu na fase de grupos foi a americana, na estreia contra a França. Justamente os Estados Unidos - entre os semifinalistas - são os que já conquistaram o título Olímpico (vão em busca do tetracampeonato consecutivo). A França foi medalhista de prata em Londres 1948 e Sydney 2000.

Para Eslovênia e Austrália, estavam em jogo suas primeiras medalhas Olímpicas em campeonatos masculinos de basquete.

Kevin Durant (USA) cumprimenta seus companheiros na vitória sobre a Austrália nos Jogos Tóquio 2020 em 2021
Foto: 2021 Getty Images

Estados Unidos x Austrália

Os norte-americanos fizeram a primeira cesta e foi o único momento em que estiveram na frente do marcador no primeiro tempo todo. Depois disso só deu Austrália, em uma excelente atuação de Miller. Chegaram a abrir 15 pontos de vantagem com quatro minutos do segundo quarto.

Quinze pontos. Muitos achavam que a possibilidade de mais um ouro para os norte-americanos terminaria aí.

Ledo engano.

Com menos de 10 minutos de bola em jogo, aos quatro minutos do terceiro período, os Estados Unidos já estavam nove pontos na frente do marcador! Com arremessos certeiros de três, dura marcação e jogo ofensivo de muita classe, uma virada tal como já tinha acontecido no jogo contra a Espanha.

Mantiveram-se assim até o fim, abriram 19 pontos de vantagem e quase chegaram à contagem centenária: 97 a 78, placar final.

"Não podemos, não podemos começar jogos assim e estar 15 pontos atrás no placar. Nos colocamos em uma situação bem difícil, mas continuamos juntos para fechar o primeiro tempo igual a igual. Não entramos em pânico e no terceiro quarto colocamos uns arremessos de três pontos e continuamos agressivos no jogo. Nós os respeitamos, sabemos quanto é difícil vencer uma equipe como essa e agora vou para a medalha de ouro, tenho um propósito. É para causar arrepios, não? Sinto isso desde o primeiro dia de treinamento e sinto ainda mais isso agora."

-Kevin Durant, após o jogo e sobre a próxima partida, que valerá a medalha de ouro

Vai ser a terceira final Olímpica de Kevin Durant, que já quebrou um recorde na vitória sobre a República Tcheca, o de maior cestinha da seleção masculina dos Estados Unidos em Jogos.

França x Eslovênia

O duelo europeu da outra semifinal foi bem mais equilibrado. Ambas as equipes chegaram terminando em primeiro lugar invictas em seus grupos.

Em jogo que teve arbitragem brasileira (Guilherme Locatelli), nem franceses, nem eslovenos fizeram mais que oito pontos de vantagem. A Eslovênia abriu essa diferença no primeiro quarto. A França virou o placar e fez isso no terceiro período com parcial de 29 a 21.

O último quarto foi muito disputado, com os eslovenos encostando no placar, mas os franceses mantendo ainda uma ligeira liderança.

O minuto final foi repleto de emoções. Com o cronômetro a menos de 60 segundos para o fim, o armador Luwawu-Cabarror (FRA) acerta um tiro de três pontos. Tranquilidade? Não. Prepelic (SLO) devolve três pontos para a Eslovênia e fica a apenas um atrás no placar, tendo a posse da bola nos últimos segundos.

Última bola (menos de dez segundos para zerar o cronômetro)!

Prepelic com ela, infiltra no garrafão e tenta a bandeja. Nicolas Batum (FRA), em leitura perfeita, faz o toco e evita o que seria a virada e vitória dos eslovenos. No rebote, tempo esgotado e vitória da França, 90 a 89.

Toco que coloca os franceses em mais uma final Olímpica.

Assim como em Londres 1948 e Sydney 2000, mais uma decisão pelo ouro contra os Estados Unidos.

"Na última bola a Eslovênia veio com tudo e o Nicolas (Tatum) foi certeiro no toco. Lembraremos desse lance para sempre. Foi um jogo duro. A vitória foi excelente, mas nós temos que voltar e jogar contra os Estados Unidos pelo ouro. Vai ser um grande desafio. Sabemos que eles querem a revanche".

-Guerschon Yabulese (FRA), sobre o jogo

Lance de França x Eslovênia, durante a semifinal dos Jogos Tóquio 2020 em 2021
Foto: 2021 Getty Images

Grande final

A decisão do torneio Olímpico masculino de basquete entre Estados Unidos e França está agendada para sexta-feira (6) às 23:30 pelo horário de Brasília.

As duas equipes já se enfrentaram nestes Jogos, na estreia de ambas na fase de grupos, com a vitória da França por 83 a 76.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual