Campeonatos Mundiais de Curling 2021: Suécia e Suíça entre os países classificados para Beijing 2022

Confira quais equipes de curling se classificaram para Beijing 2022 e os principais resultados e histórias dos Campeonatos Mundiais masculino, feminino e de duplas mistas no Canadá e na Escócia.

Sheila Vieira
Foto: 2018 Getty Images

Depois de todos os Campeonatos Mundiais de curling serem cancelados em 2020, as melhores equipes do mundo finalmente puderam entrar no rinque entre abril e maio de 2021 para disputar as primeiras vagas para os Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022.

Os Mundiais masculino e feminino, ambos em Calgary, no Canadá, e o campeonato de duplas mistas, em Aberdeen, na Escócia, definiram a classificação de seis das 10 vagas nos torneios Olímpicos masculino e feminino, assim como sete dos 10 lugares disponíveis nas duplas mistas. Com o país-sede China também assegurado em todas as competições, as vagas remanescentes serão decididas em um Evento de Classificação Olímpica em dezembro, com data e cidade-sede a serem confirmadas.

Devido à pandemia, as equipes do curling têm apenas dois eventos para conquistar a classificação Olímpica (o Campeonato Mundial de 2021 e o Evento de Classificação Olímpica) para Beijing 2022. Mesmo assim, a maioria dos times favoritos conseguiu aproveitar a primeira chance. Confira os resultados, equipes classificadas e principais histórias dos Campeonatos Mundiais de curling de 2021:

Suécia tricampeã no masculino

  • Data do Mundial: 2 a 11 de abril de 2021.
  • Onde: Parque Olímpico do Canadá, Calgary, Canadá.
  • Pódio: Suécia (ouro), Escócia (prata), Suíça (bronze).
  • Equipes classificadas para Beijing 2022: Suécia, Grã-Bretanha (classificada pela Escócia), Suíça, Federação Russa de Curling, Estados Unidos, Canadá e China (como país-sede).

A equipe sueca, capitaneada pelo duas vezes medalhista Olímpico e pentacampeão mundial Niklas Edin, ganhou seu terceiro Campeonato Mundial consecutivo, consolidando sua posição como favorita para Beijing 2022.

A Suécia se tornou o primeiro país, além do 36 vezes campeão mundial Canadá, a vencer três títulos seguidos. As duas nações dominaram as últimas 11 edições do Campeonato Mundial, com a Noruega como exceção em 2014. Por todos esses números, os suecos parecem estar em ótima forma para conquistar sua esperada medalha de ouro Olímpica inédita na competição masculina do curling.

"Foi provavelmente a competição mais dura da história do Campeonato Mundial. […] Estávamos em ótima forma depois de ganhar o Mundial dois anos atras, e super animados e ansiosos para disputar o Mundial ano passado, então ele foi cancelado. Não sabíamos se ainda seríamos tão bons [este ano]. Geralmente ficamos bem confiantes entrando em eventos como esse, mas não poderíamos realmente saber se nossa forma e vontade de vencer ainda eram as mesmas, então acho que vencer esse [título] parece irreal."

- Niklas Edin (SWE), após se tornar o primeiro skip a vencer cinco títulos mundiais, para o worldcurling.org

Com sua melhor performance no Campeonato Mundial desde a prata em 2012, a vice-campeã Escócia, capitaneada por Bruce Mouat, classificou a Grã-Bretanha para Beijing 2022. Liderada por Peter de Cruz, a Suíça completou o pódio, repetindo o resultado de PyeongChang 2018 e continuando como forte candidata para Beijing 2022. A equipe suíça venceu os atuais campeões Olímpicos, os Estados Unidos, na fase de play-off.

A surpresa da competição foi a Federação Russa de Curling (quarto lugar), que busca sua primeira medalha Olímpica no curling, enquanto os anfitriões canadenses, nação de maior sucesso da história do esporte, não conseguiram alcançar as semifinais, mas estarão em Pequim.

Suíça domina no feminino

  • Data do Mundial: 30 de abril a 9 de maio de 2021.
  • Onde: Parque Olímpico do Canadá, Calgary, Canadá.
  • Pódio: Suíça (ouro), Federação Russa de Curling (prata), Estados Unidos (bronze).
  • Equipes classificadas para Beijing 2022: Suíça, Federação Russa de Curling, Estados Unidos, Suécia, Canadá, Dinamarca e China (como país-sede).

Líder do ranking mundial e tricampeã Olímpica, a equipe feminina da Suécia não brilhou em Calgary e terminou em quarto lugar. Porém, o título da Suíça está longe de ser uma surpresa. Capitaneada por Silvana Tirinzoni, as suíças ganharam seis das últimas nove edições do torneio, agora duas seguidas. A questão que fica é se elas conseguirão repetir este sucesso nos Jogos Olímpicos, nos quais a Suíça possui duas medalhas de prata (Salt Lake City 2002 e Turim 2006).

Como no torneio masculino, a Federação Russa de Curling se consolidou como candidata a uma inédita medalha Olímpica no esporte, ao repetir a prata do Campeonato Mundial de 2017. A capitã Anna Kovaleva, no entanto, não vai se contentar com qualquer medalha: 

“Sim, estamos felizes [de levar a prata], trabalhamos muito para este resultado, mas ano que vem nos vamos para o ouro.”

- Anna Kovaleva (ROC), após a prata no Mundial, para o worldcurling.org

Outra equipe em busca de seu primeiro pódio Olímpico são os EUA, tendo vencido sua primeira medalha no Mundial desde 2006. Apesar de estar garantido em Beijing 2022, o Canadá, 17 vezes campeão mundial, não alcançou as semifinais. Esta foi apenas a terceira vez que ambos os times canadenses, masculino e feminino, não chegaram à final do Campeonato Mundial (desde 1979, quando o torneio feminino começou).

A Dinamarca também se assegurou nos Jogos de Inverno, fazendo outros times fortes, como a Escócia (representando a Grã-Bretanha), a República da Coreia (prata em PyeongChang 2018 e terceira no ranking mundial) e o Japão (bronze em PyeongChang) irem para o tudo ou nada no evento de classificação Olímpica em dezembro.

Escócia campeã nas mistas em casa

  • Data do Mundial: 17 a 23 maio de 2021.
  • Onde: Curl Aberdeen, Aberdeen, Escócia.
  • Pódio: Escócia (ouro), Noruega (prata), Suécia (bronze).
  • Equipes classificadas para Beijing 2022: Grã-Bretanha (classificada pela Escócia), Noruega, Suécia, Canadá, Itália, Suíça, República Tcheca e China (como país-sede).

Jennifer Dodds e Bruce Mouat (GBR) asseguraram seu primeiro título mundial, com apenas uma derrota na semana inteira. Porém, a dupla norueguesa, Kristin Skaslient e Magnus Nedregotten, fez da final uma boa disputa. O compasso foi necessário para determinar que a última pedra escocesa estava mais perto do botão, fazendo os anfitriões vencerem por 9-7.

Com as três melhores duplas em cada um dos grupos da fase classificatória asseguradas nos Jogos de Inverno, as nações em quarto lugar, República Tcheca e Estados Unidos, tiveram que se enfrentar em um jogo especial de classificação para os Jogos Olímpicos. Os tchecos bateram os americanos por 8-6 para conquistar a última vaga para os Jogos disponível no torneio. Em dezembro, saberemos quem serão as outras duas duplas que irão a Beijing 2022.