Lendário Brian McKeever em momento doce nos Jogos Paralímpicos de Inverno Beijing 2022

Canadense do esqui cross-country venceu a 16ª medalha de ouro do seu histórico e igualou o recorde masculino de títulos conquistados em Jogos Paralímpicos de Inverno.

Ken Browne
Esqui Nórdico Adaptado
Foto: 2022 Getty Images

Brian McKeever continua se despedindo em estilo.

O maior atleta do Canadá em Jogos Paralímpicos de Inverno, que em Pequim participa pela última vez no evento que o colocou na história do esporte mundial, somou a medalha de ouro número 16 à sua coleção. O último título de Brian McKeever chegou na distância de meio fundo do esqui cross-country para atletas com deficiências visuais, na véspera da conclusão de Beijing 2022.

Ao lado do guia Graham Nishikawa, o atleta de 42 anos fez algo impressionante, já que até hoje o único homem capaz de vencer 16 medalhas de ouro em Jogos Paralímpicos de Inverno era o alemão Gerd Schoenfelder, lenda do Para esqui alpino.

Em Pequim, o atleta de 42 anos conseguiu vencer pela terceira vez uma prova, após dominar os eventos para atletas com deficiências visuais: o sprint e a prova de fundo, que aconteceram em Zhangjiakou.

McKeever varreu as três competições onde participou pelos quartos Jogos Paralímpicos consecutivos: 20km estilo clássico, sprint 1,5km e 12,5km estilo livre.

Ao longo da carreira contabiliza 20 pódios em uma carreira brilhante em Jogos Paralímpicos desde a estreia em Salt Lake City 2002. Mas atenção: o canadense ainda pode ultrapassar Schoenfelder em caso de vitória no revezamento por equipes, no domingo.

“Vou continuar a não pensar neles [recordes] e encarar prova a prova e [tentar] saborear o momento", explicou recentemente.

Tudo correu bem a McKeever na prova de sábado (dia 12), que até teve tempo para um dos momentos dos Jogos Paralímpicos quando ajudou o rival Nishikawa a levantar do gelo após o japonês ter caído no final da prova esgotado pelo esforço.

"O Graham [guia] fez um trabalho incrível. Acertamos logo desde o início. Dava para ver; era o ritmo certo. Penso que foi porque hoje me deram o dorsal correto", brincou o canadense que partiu com o número 16... no dia da conquista da 16ª medalha de ouro.

Conhecimento dos efeitos da altitude ajudou Brian McKeever

O canadense saiu com o dorsal 16, sendo o último atleta a entrar em ação na distância de meio fundo do esqui cross-country para atletas com deficiências visuais.

McKeever e Nishikawa terminaram em 33 minutos, 6,6 segundos e ambos foram premiados com o ouro. Quase um minuto depois chegou o sueco Zebastian Modin (33:59.1) e logo a seguir o ucraniano Dmytro Suiarko (34:08.1), prata e bronze, respetivamente.

O canadense passou a liderar a corrida por volta do km 6, ultrapassando o estadunidense Jake Adicoff e nunca mais olhou para trás no evento que tem um total de 12,5km de extensão.

"Falamos muito sobre ritmo. Em altitude, o ritmo é o aspeto mais importante. Se você rebentar em altitude não tem caminho de volta."

"Tal como alguns atletas que cresceram em altitude, sei o que significa rebentar quando você está aqui. Ir além da zona vermelha em altitude é o caminho sem retorno. A gente esteve sempre em sintonia durante o aquecimento e ontem também."

O conhecimento dos efeitos da altitude ajudou Brian McKeever a chegar na medalha de ouro.

Brian McKeever em Milano-Cortina 2026?

Dominar os Jogos Paralímpicos de Inverno uma vez mais leva à inevitável questão: teremos Brian Mckeever em Milano-Cortina 2026?

"Já há muito tempo que fazemos isto. Desde os tempos de juniores, também treinamos juntos há muito tempo e somos amigos desde sempre", disse o atleta após a prova.

"Ao longo dos anos, inevitavelmente, fomos ficando mais velhos. Já temos mais cabelos brancos e dores... Estamos quebrando! Ainda adoramos esquiar juntos, mas tem se vindo a tornar cada vez mais duro. Penso que se em quatro anos estivermos aqui terá que ser com bengala!".

Ser recordista de títulos masculinos Paralímpicos é algo que diverte Mckeever: "Provavelmente voltaremos, mas tenho a certeza que treinando ou encerando esquis."

Poderá McKeever fechar com o recorde absoluto de ouros?

Por agora, ainda falta um evento antes da despedida do esquiador canadense dos Jogos Paralímpicos de Inverno. E pode ser uma saída ainda mais épica. Poderá McKeever fechar com o recorde absoluto de ouros?

Caso vença o revezamento, que acontece este domingo, dia 13 de março, ele se tornará o atleta masculino com mais medalhas de ouro em Jogos Paralímpicos de Inverno com 17 medalhas.

“A gente está contente por estar aqui. Após 20 anos fazendo isso, é uma honra fazer parte dos Paralímpicos. Por isso vamos sair para nos divertirmos, para sermos notados e para continuar aproveitando este lindo clima que temos tido, esperando colocar um ponto final em um dia divertido."

O momento Superbowl de Brian McKeever

Enquanto um dos rostos mais reconhecidos dos Jogos Paralímpicos de Inverno Beijing 2022, McKeever foi protagonista em um comercial que passou durante o famoso "half time show" do Superbowl 2022. Aí contou sua história e sobre como venceu 10 das 16 medalhas de ouro ao lado do irmão mais velho Robin.

Com 19 anos Brian foi progressivamente perdendo a visão por sofrer da doença de Stargardt, mas nunca deixou de treinar ao lado do irmão Robin, que passou a ser seu guia e foi assim que juntos competiram nos Jogos Paralímpicos até 2014.

Foi o momento Superbowl de Brian McKeever! Os irmãos canadenses sabem que juntos são mais fortes - #StrongerTogether.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual