Brasil supera o Uruguai pela Copa América Feminina com mais dois gols de Adriana

Brasileiras venceram as uruguaias por 3 a 0 no segundo jogo pela Copa América Feminina. Adriana de novo marcou dois gols e é a artilheira do torneio, com quatro. Brasil lidera o grupo B com 6 pontos. Próximo jogo será contra a Venezuela, dia 18. Competição dá duas vagas para os Jogos Paris 2024.

Virgílio Franceschi Neto
Foto: 2022 Getty Images

A Seleção Brasileira venceu o Uruguai por 3 a 0 em mais uma partida pela Copa América Feminina. Duas vitórias em dois jogos, depois dos 4 a 0 na estreia sobre a Argentina. Adriana repetiu a dose e fez mais dois gols. É a artilheira do torneio, com quatro. Debinha, que também tinha marcado diante da Argentina, fez mais um e fechou o placar.

RELEMBRE: Adriana faz dois e Brasil vence a Argentina na estreia da Copa América Feminina

Um jogo em que as uruguaias impuseram forte marcação, fazendo as brasileiras se movimentarem ainda mais, ao estilo do que pede a treinadora Pia Sundhage. No decorrer da partida a equipe colocou volume de jogo e construiu o placar. Uma vitória importante na caminhada dentro da competição, que dá duas vagas para os Jogos Olímpicos Paris 2024.

Saiba mais como foi esta segunda vitória da Seleção pela Copa América Feminina.

Adriana comemora com Bia Zaneratto o terceiro gol do Brasil sobre o Uruguai, pela fase de grupos da Copa América Feminina 2022.
Foto: 2022 Getty Images

Primeiro tempo: com paciência o Brasil abriu o placar

Os primeiros 45 minutos de jogo foram de domínio absoluto das brasileiras, com Lorena tendo algum perigo aos 11 minutos em um voleio de Pizarro, bem defendido pela goleira brasileira. Apesar da forte marcação, sobretudo na parte central do campo, a Seleção conseguiu criar boas oportunidades, com Bia Zaneratto, Ary Borges e Debinha.

Com paciência e bola no chão, o Brasil encontrou o caminho do gol aos 32 minutos, em uma bela jogada de Antonia pela direita, que limpou duas zagueiras e cruzou rasteiro. Na primeira trave, Debinha se atrasou e não concluiu, mas na segunda Adriana veio em cheio para empurrar a bola para o fundo das redes em seu terceiro gol na Copa América Feminina. Brasil 1 a 0.

Aos 41 minutos, Ary Borges teve duas chances dentro da área, sem conseguir capitalizar. Cinco minutos depois, Bia Zaneratto levou duas marcadoras pela esquerda, o que deixou Debinha livre pelo meio para receber o passe e fazer o gol, cara a cara com Olivera. Ampliada a vantagem, 2 a 0 e fim do primeiro tempo, em que o Brasil teve 60% de posse de bola e 13 finalizações, contra apenas quatro do Uruguai.

Um segundo tempo que começou intenso, mas terminou lento

Logo no início da etapa complementar, um gol de encher os olhos. Aos três minutos, Rafaelle desde o campo de defesa, em passe profundo, acionou Debinha pela esquerda, que rolou cruzado para Adriana fazer o segundo dela no jogo e o quarto no torneio. Brasil 3 a 0.

O segundo tempo começou bem, mas ficou só naquilo. Depois disso o jogo ficou lento, às vezes violento (foram seis cartões ao todo, três para cada equipe) e com poucas chances dos dois lados. Aos 25 minutos, em boa jogada pela direita, a atacante uruguaia Birizamberri carimbou a trave esquerda de Lorena. Aos 32, a volante Ximena Velazco entrou forte em Angelina e foi expulsa.

Mesmo com superioridade numérica, a Seleção brasileira não soube transformar as oportunidades em gol. Fim de jogo e vitória por 3 a 0, em mais um resultado positivo para o Brasil.

Após a partida, Adriana, artilheira do torneio com quatro gols, falou para as redes da CONMEBOL (Confederação Sul-americana de futebol): "A gente sabia que ia ser um jogo difícil. Favoritas ou não, não tem jogo fácil. Estou feliz com as oportunidades e os gols que têm acontecido."

Em entrevista para o Sportv, a capitã Rafaelle, comentou: "As uruguaias jogaram fechadas, mas tínhamos que colocar o nosso jogo, sermos rápidas e conseguimos marcar. Temos um time bem agressivo e meninas rápidas, procuramos manter a posse e atacar com velocidade...a nossa zaga é bem composta, não tomou nenhum gol até agora e espero que continue assim."

Bia Zaneratto tem se destacado com excelentes assistências para gol. Sobre a rapidez do time em se reorganizar, a atacante comentou para o Sportv: "É importante a gente se movimentar, criar os espaços e fazer os gols. Acho que estamos conseguindo fazer isso."

Ficha técnica

URUGUAI 0: 13 Olivera (C); 15 Martínez (4 Felipe), 3 Farías, 16 Lorena González, 7 Tregartten (22 Ramondegui) ; 8 Velazco, 18 Pion (14 Pilar González); 5 Bermúdez (9 Pamela González), 20 Gómez, 10 Birizamberri e 11 Pizarro (21 Aquino). Treinador: Ariel Longo.

BRASIL 3: 1 Lorena; 15 Tainara (3 Kethellen), 4 Rafaelle (C), 13 Antonia, 6 Tamires; 8 Angelina (14 Duda Sampaio), 17 Ary Borges (5 Duda Santos); 21 Kerolin (10 Duda), 11 Adriana; 9 Debinha (19 Gio Queiroz) e 16 Bia Zaneratto. Treinadora: Pia Sundhage.

Arbitragem: Zulma Quiñonez (PAR); Laura Miranda (PAR) e Nadia Weiler (PAR).

Gols: Adriana aos 32' (Brasil 1 a 0), Debinha aos 45' + 1' (Brasil 2 a 0); Adriana aos 48' (Brasil 3 a 0).

Cartões:

  • Brasil: Antonia (Amarelo); Duda (Amarelo); Rafaelle (Amarelo).
  • Uruguai: Velazco (Amarelo, Vermelho); Aquino (Amarelo).

Demais resultados da segunda rodada

Grupo A

  • Paraguai 3 x 2 Chile
  • Bolívia 0 x 3 Colômbia

Grupo B

  • Argentina 4 x 0 Peru

Próximos jogos

O Brasil lidera o grupo B com 6 pontos e volta a campo para o terceiro jogo contra a Venezuela, na segunda-feira, dia 18 de julho, às 18:00 (hora de Brasília).

As venezuelanas estrearam com vitória de 1 a 0 sobre o Uruguai, e farão o segundo jogo no torneio nesta sexta-feira, dia 15, contra o Peru.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual