Itália e Noruega se garantem na final das duplas mistas do curling em dia de emoções em Beijing 2022 

Italianos e noruegueses garantem vaga na decisão em uma jornada Olímpica que ainda teve o primeiro ouro no salto de esqui por equipes, uma bela história de superação no snowboard e Valieva voltando a brilhar na patinação artística

Daniel Perissé
Foto: 2022 Getty Images

Itália e Noruega se garantiram na final de duplas mistas do curling nos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 nesta segunda-feira, 7 de fevereiro, um dia que viu ainda a vitória do canadense Max Parrot no snowboard slopestyle masculino três anos após superar um câncer, o triunfo da Eslovênia na primeira edição do salto de esqui por equipes mistas e mais uma fantástica atuação de Kamila Valieva, que deu ouro ao ROC na patinação artística.

Italianos e noruegueses na decisão do curling

Os últimos confrontos da primeira fase do torneio de duplas mistas do curling de Beijing 2022 foram realizados nesta segunda-feira, garantindo a Suécia como quarta e última colocada - Itália, Grâ-Bretanha e Noruega já estavam garantidos desde as disputas de ontem.

Os surpreendentes italianos, que venceram seus nove confrontos na etapa inicial, encararam os suecos, que só passaram de fase nos critérios de desempate diante do Canadá. E mais uma vez Amos Mosainer e Stefania Constantini não deram chance para os rivais, pontuando em praticamente todos os ends e vencendo por tranquilos 8 a 1.

Seus adversários na disputa pelo ouro serão a dupla da Noruega. Kristin Skaslien e Magnus Nedregotten superaram Bruce Moat e Jennifer Dodds de virada por 6 a 5. Os britânicos chegaram a estar vencendo por 4 a 2, mas uma jogada feita por Skaslien no sexto end garantiu a vantagem para os noruegueses.

Amanhã acontecem as partidas pelas medalhas no Centro Nacional Aquático, conhecido nestes Jogos como "Cubo de Gelo". A disputa pelo bronze, entre Suécia e Grã-Bretanha, será às 14:05 locais (3h05 de Brasília), enquanto Itália e Noruega duelam às 20h05 (9h05 de Brasília)

Valieva brilha e ROC é ouro na patinação artística por equipes

A patinadora Kamila Valieva voltou a ser destaque, ajudando o ROC a garantir o ouro no primeiro pódio da patinação artística em Beijing 2022. Com apenas 15 anos de idade, ela se tornou a primeira mulher a executar não só um, mas dois saltos quádruplos em Jogos Olímpicos no programa longo individual feminino do evento por equipes.

A prata ficou com a equipe dos Estados Unidos, enquanto o Japão foi bronze.

Primeiro ouro da Suíça em Pequim é no downhill masculino

Às vésperas de completar 35 anos de idade, Beat Feuz ganhou um presentão de aniversário ao levar o ouro no downhill masculino. Foi o primeiro ouro da Suíça em Beijing 2022.

O pódio foi completado pelo francês Johan Clarey, cuja prata também o colocou como atleta mais velho medalhista no esqui alpino, aos 41 anos, e pelo austríaco Matthias Mayer, que havia sido ouro no mesmo evento em Sochi 2014 e no Super-G há quatro anos.

Curiosamente, os três medalhistas têm mais de 30 anos: Feuz (34), Clarey (41) e Mayer (31).

Canadense fecha com ouro ciclo de superação

Para Max Parrot, talvez fosse inimaginável pensar em conquistar a medalha de ouro Olímpica em Beijing 2022 no fim de 2018, após ter um diagnóstico de linfoma Hodgkin. Mas ele conseguiu: o canadense acabou campeão no snowboard slopestyle masculino.

Com 90.96 na segunda descida da final, o atleta de 27 anos conquista sua segunda medalha Olímpica, após a prata em PyeongChang 2018, nesta segunda-feira, 7 de fevereiro, no Parque de Neve de Genting.

O adolescente Su Yiming, da República Popular da China, levou a prata, enquanto Mark McMorris, também do Canadá, obteve seu terceiro bronze consecutivo em Jogos de Inverno.

Sueca vence slalom gigante; Shiffrin é eliminada

No slalom gigante feminino do esqui alpino, a sueca Sara Hector acabou obtendo a medalha de ouro, seguido pela italiana Federica Brignone, que ficou com a prata, e por Lara Gut-Behrami, da Suíça, que foi bronze.

A americana Mikaela Shiffrin, que defendia o título Olímpico, cometeu um erro durante sua primeira descida e ficou fora da segunda corrida, que definia as medalhistas.

A portuguesa Vanina Guerilot acabou em 43º lugar.

Wust: ouro e recorde Olímpico na patinação de velocidade

A neerlandesa Ireen Wust faturou o ouro na prova dos 1500m da patinação de velocidade feminina, com direito a novo recorde Olímpico (1min53s28).

A prata foi para a japonesa Miho Takagi, com uma marca de 1min53s72, e o bronze ficou com Antoinette de Jong, também dos Países Baixos, que fez 1min54s82.

Alemã Herrmann ganha o biatlo 15km feminino individual

O evento dos 15km feminino individual do biatlo terminou com vitória de Denise Herrmann, da Alemanha. Ela acabou com um tempo geral de 44min12s7, à frente da francesa Anais Chevalier-Bouchet e da norueguesa Marte Olsbu Roeiseland.

Essa é a segunda medalha Olímpica de Hermann. A alemã, de 33 anos, havia sido bronze em outra modalidade, o esqui cross-country, no revezamento 4x5km em Sochi 2014.

Além disso, a equipe alemã segue como única a vencer o biatlo individual feminino mais de uma vez: Herrmann se junta a Antje Harvey-Misersky, ouro em Albertville 1992, e Andrea Henkel, primeira colocada em Salt Lake City 2002.

Arianna Fontana, dez medalhas Olímpicas

A italiana Arianna Fontana chegou à incrível marca de dez medalhas Olímpicas em Jogos de Inverno ao vencer a final dos 500m na patinação de velocidade em pista curta feminina.

Fontana consegue, ainda, o bicampeonato Olímpico no evento. A segunda colocada, medalhista de prata, foi a neerlandesa Suzanne Schulting, e o bronze acabou com a canadense Kim Boutin.

Polêmica na decisão dos 1000m na patinação em pista curta

Não faltou confusão na final dos 1000m masculino da patinação de velocidade em pista curta. Ren Ziwei, da República Popular da China, terminou com o ouro mesmo após terminar em segundo por conta da eliminação do húngaro Liu Shaolin Sandor, que acabou punido ao tocar em Ziwei ao tentar trocar de pista.

A prata ficou com Li Weilong, também do país anfitrião, e o bronze com Liu Shaoang, irmão de Liu Shaolin.

Eslovênia domina saltos de esqui por equipes mistas

A equipe da Eslovênia sobrou na disputa dos saltos de esqui por equipes mistas pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos de Inverno, vencendo a prova com ampla superioridade sobre os demais.

O quarteto formado por Nina Kriznar, Timi Zajc, Ursa Bogotaj e Peter Prevc obteve a impressionante marca de 1001.5 pontos, à frente do ROC, que ficou com a prata, e o Canadá, bronze.

Nova goleada do Canadá no hóquei no gelo

A equipe canadense de hóquei no gelo venceu hoje o ROC por "apenas" 6 a 1, em partida válida pelo grupo A - foi a primeira partida nestes Jogos em que o time não chegou aos dois dígitos em gols. O próximo duelo do Canadá é diante do rival Estados Unidos, às 12h10 locais de amanhã (1h10 em Brasília).

Pela mesma chave A, a Suíça bateu a Finlândia por 3 a 2. Canadenses e americanas lideram com os mesmos nove pontos, mas as primeiras levam vantagem nos critérios de desempate.

O grupo B teve dois jogos, com a Suécia batendo a República Popular da China por 2 a 1 e as tchecas perdendo para as dinamarquesas por 3 a 2. O Japão, que não jogou hoje, segue liderando, com sete pontos.

Brasileira faz bons treinos no skeleton

Principal nome do Brasil em Beijing 2022, Nicole Silveira deixou boa impressão nos primeiros treinos oficiais de skeleton no Centro de Esportes de Pista de Yanqing nesta segunda-feira.

Nicole foi quarta colocada no primeiro treino, com tempo de 1min02s47, 13 centésimos atrás da líder, a alemã Jacqueline Loelling. No segundo, ficou em sexto, com 1min02s81, 63 centésimos mais lenta que Zhao Dan, da República Popular da China.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual