Alerta de medalha: Irene Schouten vence terceiro ouro em Beijing 2022, agora na largada em massa feminina da patinação de velocidade

Neerlandesa ultrapassou nos metros finais da pista a canadense Ivanie Blondin, prata, para ganhar mais uma prova nestes Jogos de Inverno. Bronze ficou com Francesca Lollobrigida, da Itália.

Daniel Perissé
Foto: 2022 Getty Images

Com direito a ultrapassagem nos metros finais da prova, a neerlandesa Irene Schouten venceu a largada em massa feminina da patinação de velocidade em Beijing 2022, à frente da canadense Ivanie Blondin, prata, e da italiana Francesca Lollobrigida, bronze.

A chegada da prova foi emocionante: pouco depois da última curva, Schouten deixou para trás Lollobrigida e partiu para cima de Blandin, que patinava rumo à vitória. Correndo por fora, a neerlandesa conseguiu ultrapassá-la e levou para casa seu terceiro ouro nesta edição dos Jogos.

“Meu sonho era ser chamada de campeã Olímpica depois desses Jogos, e agora sou três vezes campeã. Estou vivendo esse sonho," afirmou Schouten, que terminou em primeiro também nos 3000 e 5000m.

A patinadora de 29 anos, que tem parte de sua família em Holambra, no estado de São Paulo, ganhou ainda um bronze na perseguição por equipes feminino.

Prova com diversas candidatas ao ouro

O equilíbrio mostrado nos metros finais da prova estava também na relação de atletas qualificadas para a decisão - para se ter uma ideia, a japonesa Takagi Nana, que buscava defender o ouro obtido em PyeongChang 2018, foi eliminada na semifinal, ao tomar um tombo na curva final.

Eram quatro campeãs mundiais entre as finalistas: Schouten (vencedora em 2015 e 2019), Blondin (2016 e 2020), Kim Boreum, da República da Coreia (2017), e a também neerlandesa Marjike Groenewoud (2021).

Um detalhe para o duelo particular entre Blondin, com cinco medalhas em Mundiais, e Schouten, com quatro. Ambas também tinham obtido um título de etapa da Copa do Mundo e um triunfo em uma corrida da Copa do Mundo nesta temporada.

Mudança de estratégia no decorrer da prova

Schouten disse ainda que sua estratégia inicial era ficar junto de sua compatriota Groenewoud, mas como ela caiu, foi preciso mudar o plano de jogo.

“Geralmente eu patino com minha companheira de equipe, mas ela perdeu o controle e bateu, então tive que mudar e ir por conta própria. Estou feliz que meu plano deu certo," contou a neerlandesa.

De fato, funcionou: na reta final do Oval Nacional, ela correu por fora e superou Blondin por muito, muito pouco - seu tempo foi de 8min14s73, contra 8min14s79 da canadense.

“(A largada em massa) É um jogo. Nem sempre o mais rápido vence, você precisa de alguma sorte. Hoje eu tive sorte. Fui rápida, mas também tive alguma sorte," destacou.

Canadense sem arrependimento

Mesmo tendo terminado com a prata, Ivanie Blondin era só alegria após a prova.

"Estou muito feliz. Estou no pódio e esse era meu objetivo. Acho que tinha de ter sido mais paciente na volta final. Talvez tenha relaxado um pouco cedo. Achei que tinha garantido a vitória. A última volta foi um pouco maluca," disse a canadense.

Com o resultado de hoje, o Canadá se junta aos Países Baixos como únicas nações a terem obtido uma medalha em cada um dos sete eventos da patinação de velocidade feminina Olímpica:

"É muito bom conquistar uma medalha individual, minha estrada tem sido longa. Estou muito contente de, neste momento, levar uma medalha de volta ao meu país."

Sobre dividir o pódio com Schouten e Lollobrigida, ela afirmou:

"Antes da prova, tinha dito que seria maravilhoso que nós três estivéssemos no pódio, já que o dividimos tantas vezes nos últimos anos.

Fim da patinação de velocidade em Pequim

As largadas em massa feminino e masculino - esta vencida pelo belga Bart Swings -, realizadas neste sábado, marcaram o fim da programação da patinação de velocidade em Beijing 2022.

Confira os resultados e o calendário da modalidade aqui.

A PATINAÇÃO DE VELOCIDADE COMEÇA AQUI!

Receba notícias de patinação de velocidade, vídeos, destaques dos Jogos Olímpicos de Inverno e muito mais.