Alerta de medalha: Alemanha faz dobradinha na dupla feminina do bobsled em Beijing 2022

Laura Nolte e Deborah Levi dominaram toda a prova e são ouro, enquanto Mariama Jamanka e Alexandra Burghardt terminam com a prata. Veterana norte-americana Elana Meyers Taylor e Sylvia Hoffman ficam com o bronze.

Daniel Perissé
Foto: Getty Images

A Alemanha fez uma dobradinha na dupla feminina do bobsled em Beijing 2022: Laura Nolte e Deborah Levi terminaram com o ouro, enquanto Mariama Jamanka e Alexandra Burghardt foram prata.

Os EUA, com Elana Meyers Taylor e Sylvia Hoffman, fecharam o pódio com o bronze.

Nolte dirigiu o trenó e terminou a prova com um tempo total de 4min03s96 somando as quatro descidas.

"Não consigo acreditar. Estou sem palavras," disse ela pouco após a prova.

Apesar da pouca diferença no tempo final total em relação às suas compatriotas (vantagem de apenas 0s77), o domínio da dupla foi total. As norte-americanas ficaram mais atrás, com 1s52 em relação às vencedoras.

Foi a segunda medalha de ouro consecutiva da Alemanha no evento: em 2018, Jamanka venceu ao lado de Lisa Buckwitz.

Vitórias em todas as baterias

Nolte e Levi terminaram em primeiro lugar todas as três baterias iniciais - a mais apertada delas foi a primeira, em que a diferença entre elas e o trenó de Jamanka foi de apenas seis segundos.

Para a quarta e última bateria, a vantagem construída ao longo da prova dava a elas um pouco mais de tranquilidade, já que eram as últimas a sair e já sabiam qual resultado era necessário.

Com isso, elas marcaram 1min01s21, contra 1min01s20 das segundas colocadas - mas isso não foi suficiente para perder o ouro.

"Cometi um erro no fim, mas sabia que tínhamos vencido ao final da curva 6," comentou Nolte.

O resultado foi a redenção da alemã, que terminou em um frustrante quarto lugar no monobob feminino.

“Depois do monobob, eu pensei que aquilo não poderia acontecer no 2-woman. Posso fazer muito melhor e vou mostrar isso ao mundo - e conseguimos isso,” ressaltou.

Alegria para Meyers Taylor com bronze

A conquista do bronze foi motivo de muita alegria para Elana Meyers Taylor. Agora com cinco medalhas, ela se tornou a mulher negra mais premiada em todos os Jogos de Inverno.

"Isso (o feito) é muito legal. Há muitas pessoas que vieram antes de mim. Vonetta Flowers (primeira atleta negra na história a ganhar um ouro nos Jogos Olímpicos de Inverno) é a razão pela qual estou aqui, e a (patinadora de velocidade) Shani Davis, e até Erin Jackson. Temos um longo legado de atletas negros nos Jogos de Inverno e esperamos que isso siga assim," disse a atleta de 37 anos.

Meyers Taylor foi escolhida como uma das porta-bandeiras da equipe dos Estados Unidos na Cerimônia de Abertura, mas acabou ficando fora por ter dado positivo para COVID-19. Agora ela terá uma nova chance de fazer o mesmo, mas na Cerimônia de Encerramento.

“É uma honra tão grande, estou muito animada para isso. Existem tantos atletas que poderiam ter sido escolhidos e o fato que eles reconheceram a importância de ter sido escolhida para a abertura e agora me dar a chance de ir novamente, no encerramento... não consigo nem achar palavras para o que isso significa para mim, mal posso esperar para estar lá e viver essa experiência."

Disputa do 4-man fecha o bobsled em Pequim

No dia 20 de fevereiro, o 4-man será uma das últimas provas nos Jogos Olímpicos de Inverno. A terceira bateria acontece às 9h30 locais (22h30 do dia 19 em Brasília) e a quarta às 11h20 (0h20 do dia 20 em Brasília).

Os tempos das três primeiras descidas serão somados. Os 20 quartetos com os menores tempos disputarão a quarta e última descida. O Brasil ocupa a 20ª colocação, e a liderança é da equipe do alemão Francesco Friedrich.

Em território brasileiro, é possível acompanhar todas as emoções de Beijing 2022 ao vivo pelos canais Globo/Sportv e pelo Olympics.com.

Caso não esteja no Brasil, clique aqui para saber como assistir.

ASSINE PARA PARTICIPAR AINDA MAIS!

Receba notícias de snowboard, vídeos, destaques dos Jogos Olímpicos de Inverno e muito mais.