Patinação de velocidade em pista curta Olímpica em Beijing 2022: Cinco coisas que você precisa saber

Beijing 2022 vai introduzir um novo evento na patinação de velocidade em pista curta na história dos Jogos Olímpicos de Inverno: o revezamento entre equipes mistas. Saiba mais sobre os eventos em pista curta, atletas para acompanhar e outras informações importantes para a competição aqui.

Will Imbo
Foto: 2018 Getty Images

A patinação de velocidade em pista curta é uma das três disciplinas de patinação nos Jogos de Inverno, ao lado da patinação artística e da patinação de velocidade. Mas ao contrário da patinação de velocidade, na pista curta os competidores correm um contra o outro - não contra o relógio. Como resultado, as corridas em pista curta são cheias de estratégia, bravura, habilidade e entusiasmo.

A competição terá nove eventos no total, incluindo o revezamento misto por equipes, que fará a sua estreia Olímpica.

Dê uma olhada na nossa prévia para a patinação de velocidade em pista curta em Beijing 2022, incluindo a história da modalidade, os prováveis medalhistas, informações sobre o local da competição e mais.

Os destaques da patinação de velocidade em pista curta em Beijing 2022

A pista curta é um tanto caótica, com os patinadores a lutarem constantemente por uma posição.

É apropriado, portanto, que sobre a pista nos últimos dois Jogos Olímpicos de Inverno (Sochi 2014 e PyeongChang 2018), nenhum patinador foi capaz de defender o seu título - exceto a equipe feminina da República da Coreia nos 3000m do revezamento.

Dado o fato de que a República da Coreia é a nação mais bem-sucedida na patinação de velocidade em pista curta na história Olímpica (seus patinadores venceram 6 medalhas de 24 possíveis em PyeongChang), faz sentido sugerir que os patinadores da República da Coreia estarão novamente no pódio em Pequim. Todos estarão de olho na equipe feminina dos 3000m, se elas vão alcançar o tricampeonato Olímpico.

Um dos destaques da supracitada equipe feminina da República da Coreia para ficarmos de olho em Pequim é Choi Min-Jeong (KOR). Choi também é dona de um segundo ouro nos 1500m em PyeongChang e é a atual detentora do recorde Olímpico nos 500m.

Entretanto, a atual campeã nos 500m feminino é a grande patinadora em pista curta na história Olímpica: Arianna Fontana (ITA). A italiana assegurou o ouro nos 500m, a prata no revezamento dos 3000m e bronze nos 1000m em PyeongChang, o que deu a ela um total de oito medalhas em quatro Jogos. Se ela puder conquistar mais uma medalha em Pequim, ela será a mais bem-sucedida atleta na história da patinação de velocidade em pista curta da história.

Mesmo que Choi e Fontana sejam as principais competidoras nesta modalidade, todos os olhos vão estar na sensação neerlandesa Suzanne Schulitng (NED). A atleta de 23 anos venceu os 1000m em PyeongChang, e ouro em cada evento no Campeonato do Mundo de 2021 (incluindo a competição geral, a qual ela venceu com 136 pontos, enquanto que a segundo colocada, Courtney Sarault (CAN), fez apenas 58 pontos). Schulting pode ter dificuldades para realizar o mesmo feito em Pequim, mas não restam dúvidas de que ela estará entre as favoritas à medalha - não importa o evento que participar.

Campeão Olímpico nos 500m em 2018 e detentor do recorde mundial Wu Dajing (CHN) (que também conquistou a prata com seus colegas chineses no revezamento de 5000m nos Jogos de 2018), é um favorito para manter o seu título, enquanto que os irmãos magiares Shaolin Sandor e Shaoang Liu (HUN) (integrantes da vencedora equipe húngara do revezamento nos 5000m em PyeongChang) também são uma grande ameaça. Shaolin venceu os 1000m e terminou em segundo em relação ao seu irmão no total geral durante o Campeonato do Mundo em 2021, enquanto que Shaoang alcançou o ouro nos 500m e a prata nos 100m. Ambos foram medalhistas de prata por equipes pela Hungria nos 5000m.

Programação da patinação de velocidade em pista curta Olímpica em Beijing 2022

A competição acontecerá de 5 a 16 de fevereiro de 2022.

Local da patinação de velocidade em pista curta Olímpica em Beijing 2022

Todos os eventos de patinação de velocidade em pista curta acontecerão no Estádio Indoor da Capital, que foi usado para receber o torneio de voleibol nos Jogos Olímpicos de Verão de 2008. O recinto também receberá a competição de patinação artística nos Jogos de Inverno de 2022.

O estádio possui uma capacidade para 18.000 espectadores.

Formato da competição Olímpica da patinação de velocidade em pista curta em Beijing 2022

A patinação de velocidade em pista curta compreenderá um total de nove eventos nos Jogos Olímpicos de Inverno - quatro para homens, quatro para mulheres e um evento de equipes mistas

Masculino

  • 500m
  • 1000m
  • 1500m
  • 5000m revezamento de equipes

Feminino

  • 500m
  • 1000m
  • 1500m
  • 3000m revezamento de equipes

Os dois primeiros colocados/equipes de cada bateria classificam-se para uma próxima, chegando em uma final, onde os patinadores competirão por medalhas.

Revezamento por equipes mistas

O revezamento por equipes mistas fará a sua estreia Olímpica após ter sido introduzido no programa da Copa do Mundo de patinação de velocidade em pista curta durante a temporada 2018-2019. O evento consiste de uma corrida de 2000m, em que duas mulheres e dois homens de um país se alternam para completar 18 voltas. Cada patinador corre duas vezes, nesta sequência: mulher - mulher - homem - homem - mulher - mulher - homem - homem.

O traçado destes eventos possui 111,12 metros (contra os 400m da patinação de velocidade). Patinadores de velocidade em pista curta largam em grupos, no sentido anti-horário e o tempo é contado até o milésimo de segundo.

História Olímpica da patinação de velocidade em pista curta

As origens da patinação de velocidade em pista curta nos levam ao ano de 1905, quando atletas nos Estados Unidos e no Canadá costumavam competir em eventos conduzidos com largadas em grupo em traçados ovais. No entanto, devido à falta de pistas de 400m em ambos os países, muito norte-americanos optaram por praticar a patinação em pistas de gelo comuns.

Mas a patinação de velocidade em um traçado menor levou mais desafios aos patinadores, incluindo curvas mais apertadas e retas mais curtas. Ao mesmo tempo, novas técnicas e táticas começaram a levar os patinadores a buscarem cada vez mais sucesso em um traçado menor.

O aumento da popularidade no esporte levou os dois países a competirem um contra o outro, anualmente, e em 1932, os organizadores dos Jogos Olímpicos de Inverno de Lake Placid, com o consentimento da União Internacional de Patinação (sigla ISU em inglês para International Skating Union), concordou em seguir essas regras para os eventos de patinação de velocidade do programa.

Em 1967 a ISU declara a patinação de velocidade em pista curta um esporte oficial, mas as competições internacionais não são conduzidas até 1976. O esporte só foi incluído no programa Olímpico em Albertville em 1992, quando fez sua estreia com dois eventos individuais e dois revezamentos. Desde os Jogos Olímpicos de 2006, em Turim, o programa desta disciplina incluiu oito eventos (que vão se expandir a nove com a inclusão do revezamento de equipes mistas em Pequim).

A República da Coreia é a principal nação na patinação de velocidade em pista curta nos Jogos, com 48 medalhas ao todo (incluindo 24 ouros). China e Canadá estão em segundo e terceiro respectivamente, com 33 medalhas cada (China tem 10 medalhas de ouro contra nove do Canadá).

Victor An, que competiu pela Federação Russa, e Arianna Fontana são as mais bem-sucedidas patinadoras de velocidade em pista curta na história Olímpica, com oito medalhas cada. An, entretanto, conquistou seis medalhas de ouro contra uma de Fontana, mas a italiana pode dar a volta no quadro de medalhas se ela conquistar o pódio em qualquer evento em Pequim.

SEJA OLÍMPICO, GANHE TUDO ISSO.

Eventos esportivos ao vivo gratuitos. Acesso ilimitado a séries. Notícias e destaques olímpicos sem igual