Skate em Tóquio 2020: Park e Street fazem sonhar

Quem são os skatistas de Tóquio 2020? Quais as diferenças entre Park e Street? Contamos tudo sobre a estreia Olímpica do skate.
Ed Knowles & Gonçalo Moreira

O Skate estará nos Jogos Olímpicos pela primeira vez em sua história em Tóquio 2020, que vai acontecer em 2021. O Brasil parte com ambição nas disciplinas de street e park. Quando se inicia a competição e onde será realizada?

Descubra o essencial sobre o skate Olímpico em Tóquio 2020.

Street skaters Leticia Bufoni of Brazil and Nyjah Huston of USA get hyped for the Olympics with some themed sunglasses

Os melhores skatistas Olímpicos em Tóquio 2020

Street

Entre os candidatos às primeiras medalhas no skate estão vários brasileiros. No Street as meninas podem fazer história, sobretudo após a exibição de luxo no Dew Tour, em Des Moines (Iowa, EUA), onde a campeã mundial Pâmela Rosa venceu e a precoce Rayssa Leal completou a dobradinha. O Brasil só falhou a tripla já que a experiente Leticia Bufoni terminou na 4ª posição atrás da holandesa Roos Zwetsloot.

Pâmela, Rayssa e Leticia dominam o top 5 do ranking mundial antes do Campeonato Mundial agendado para 6 de junho, em Roma (Itália), onde apuramento Olímpico ficará fechado. A maior oposição em Tóquio 2020 poderá vir da nipônica Aori Nishimura ou da holandesa Candy Jacobs.

Nos homens o panorama é um pouco menos favorável ao Brasil devido à forte oposição do americano Nyjah Huston, pentacampeão mundial e fenômeno de popularidade com 4,5 milhões de seguidores no Instagram. Em teoria o melhor colocado para sonhar com o pódio na Olimpíada é Kelvin Hoefler, que também venceu o Mundial em 2018 e continua a ser o melhor atleta canarinho no ranking, mantendo-se no topo do Street desde que trocou Guarujá (São Paulo) por Los Angeles.

O pódio em Tóquio poderá até juntar Brasil e Portugal. O teenager sensação da capital portuguesa, Gustavo Ribeiro, é 3º no ranking mundial e tem tido uma ascensão meteórica no circuito. Curioso é o facto de Gustavo poder contar nos Jogos com o irmão gêmeo Gabriel, que está na luta por uma vaga.

A lista dos melhores skatistas Olímpicos em Tóquio 2020 é ainda composta por talento japonês. Yuto Horigome, nascido em Tóquio, terminou como vice-campeão em 2019.

Park

No segmento feminino de Park a ambição canarinha corresponde ao talento de Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp, três amigas que juntas são mais fortes e que em Tóquio 2020 vão repetir o que já fizeram no Campeonato Mundial: estreia num grande cenário internacional competindo juntas!

Olhando para o ranking mundial o favoritismo às medalhas recai no Japão, que tem a 1ª e a 2ª classificadas, Misugo Okamoto e Sakura Yosozumi. O país-sede pode até vir a dominar o Park indiretamente, já que a britânica Sky Brown nasceu em Miyazaki e tem mãe japonesa e pai britânico. A prodígio de 12 anos espera apresentar-se nos Jogos sem problemas físicos após sofrer uma forte queda no verão de 2020.

Uma das heroínas de Sky, Lizzie Armanto, cresceu na Califórnia, mas escolheu representar a Finlândia nos Jogos. Lizzie é a única mulher a completar o infame loop 360 de Tony Hawk.

A prova masculina de Park promete equilíbrio. Heimana Reynolds terminou 2020 como o homem mais bem classificado no skate park e o compatriota americano Tom Schaar também está altamente cotado.

O ouro desperta também a cobiça do Brasil. O paulista Luiz Francisco foi o primeiro a classificar para as Olimpíadas e é preciso ter em conta o campeão mundial de 2018, o catarinense Pedro Barros, que confirmou a presença em Tóquio 2020 no recente Dew Tour junto com o companheiro de seleção Pedro Quintas.

Formato competitivo do skate em Tóquio 2020

Street

Como o próprio nome indica, o formato Street é talvez a forma mais natural de skate, já que este é um esporte de rua. É também na rua que milhões de praticantes de todo o mundo têm o primeiro contacto com a discplina estreante no programa Olímpico.

Nos Jogos este segmento terá um tempo limite para cada atleta, mas esta é a única restrição em termos da competição. O desafio é utilizar as várias zonas espetáculo disponíveis no percurso, elementos urbanos como corrimões, escadas, paredes ou rampas. Alguns fatores serão essenciais para pontuar as atuações dos atletas: dificuldade das manobras, altura, velocidade, originalidade e execução.

Park

O skate park tem suas raízes firmemente nas piscinas drenadas que os patinadores usaram pela primeira vez na área de Venice Beach, em Los Angeles, quando o skate surgiu.

As ”smoth bowls” têm inclinações de curvas íngremes, o que significa que os patinadores podem atingir alturas enormes e ter a liberdade de montar uma corrida como bem entenderem.

Novamente, os competidores são pontuados pela dificuldade e originalidade de suas manobras.

Agenda Olímpica do skate em Tóquio 2020

Domingo 25 de julho

Street masculino

Segunda-feira 26 de julho

Street feminino

Quarta-feira 4 de agosto

Park feminino

Quinta-feira 5 de agosto

Park masculino

História do skate Olímpico

Tóquio 2020 marcará a primeira aparição do skate nos Jogos Olímpicos. Também foi proposto fazer parte do programa em Paris 2024.

O esporte fez uma aparição nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2014 em Nanjing.

Street skateboarder Nyjah Huston doing a demo at the Youth Olympic Games at Buenos Aires

Local de skate Olímpico em Tóquio 2020

O Ariake Urban Sports Park, em Tóquio, sediará a primeira competição Olímpica de skate.