Apresentamos Saeid Fazloula: O velocista refugiado de canoagem em direção aos Jogos Olímpicos de Tóquio

Nascido no Irã, Saeid Fazloula agora treina na Alemanha com o apoio de uma Bolsa para Atletas Refugiados do COI e tem Tóquio 2020 na sua mira.
Ken Browne

Saeid Fazloula é um atleta de canoagem que treina em Karlsruhe com o apoio de uma Bolsa do COI para Atletas Refugiados.

Ele foi forçado a fugir do Irã em 2015, arriscando tudo para abrir caminho através da rota dos Bálcãs para a Alemanha.

Ele chegou como um exímio remador: Três vezes vice-campeão asiático enquanto competia sob a bandeira iraniana, mas teve que lutar muito para ter uma chance de fazer parte da segunda Equipe Olímpica de Refugiados do COI.

Com um histórico de conquistas sob a bandeira iraniana, seu status oficial foi complicado e Fazloula teve que fazer campanha durante anos para conquistar o direito de representar os refugiados nas Olimpíadas de Tóquio.

A Federação Internacional de Canoagem teve mesmo que mudar seus regulamentos, pois antes de sua situação não existiam regras sobre como os atletas que tiveram que deixar seu país por razões políticas ou religiosas poderiam ser autorizados a participar de eventos.

Apesar de Fazloula ter deixado sua família para trás no Irã, felizmente ele encontrou uma "nova" no Rheinbrüder Karlsruhe canoagem e caiaque clube, e juntos eles trilharam um caminho que torna a competição em Tóquio 2020 neste verão uma possibilidade real.

Fazloula encontrou muito amor na Alemanha, um grupo de amigos, apoiadores, treinadores e funcionários que estavam dispostos a investir tempo e energia para ajudá-lo a realizar seu sonho.

Sem a ajuda de seu treinador, mentor e figura paterna Detlef Hofmann junto com muitos outros, o praticante de caiaque de 28 anos não estaria na disputa por um lugar Olímpico hoje.

Seu caso incluiu o testemunho de que o atleta nascido no Irã é "um modelo para a integração comunitária bem sucedida", como relatado no site oficial da Federação Internacional de Canoagem.

Quando chegou a notícia de que Saeid havia recebido uma das Bolsas de Estudo do COI para Atletas Refugiados no Dia do Refugiado, em junho de 2019, foi uma alegria e um alívio para todos, inclusive para o próprio atleta.

"Eu me sinto aliviado. Tem sido um caminho longo e difícil. Tanta gente lutou comigo e por mim". Gostaria de agradecer a todos vocês hoje", disse o atleta de 28 anos.

É claro que conseguir a bolsa de estudos não garante um lugar na equipe final de refugiados em Tóquio 2020 no verão de 2021, Fazloula é um dos 37 titulares de bolsas de estudo para atletas refugiados em disputa.

A composição da equipe será anunciada em junho de 2021 e a Fazloula está focado exclusivamente nesse único objetivo, trabalhando mais do que nunca em treinar todos os dias.

"Você só poderá ser muito bem sucedido recebendo muito amor de outras pessoas", disse ele ao jornal alemão Deutschlandfunk.