Últimas notícias Skeleton

Skeleton Olímpico em Beijing 2022: Cinco coisas que você precisa saber

O skeleton é um dos três esportes de pista no programa dos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022, ao lado do luge e do bobsled.

Com apenas seis medalhas na disputa, o skeleton tem o menor número de eventos nos Jogos de Inverno, o que significa que a disputa pelo pódio será bastante acirrada.

Abaixo vamos dar uma olhada em alguns dos atletas que podem conquistar medalhas, a história do esporte, bem como em seguir os passos com detalhes destes homens e mulheres que vão voar baixo.

Skeleton | Guia do Esporte - Lausanne 2020

Os principais atletas Olímpicos do Skeleton em Beijing 2022

Seis vezes campeão do mundo e duas vezes medalhista de prata, Martins Dukurs (LET) tem competido no skeleton desde 1998, fazendo dele o veterano no torneio masculino. O letão terminou em quarto nos Jogos de Inverno em PyeongChang e em 16º no Campeonato Mundial em 2021, mas não considere Dukurs fora da disputa em Pequim. Apesar de tudo, o “Superman” como é conhecido pelos seus adversários, tem o maior número de títulos em campeonatos do mundo na história do Skeleton.

Atual campeão Olímpico, Yun Sung-bin (COR) terminou em 17º na Copa do Mundo de 2021, prova que teve como vencedor Christopher Grotheer (ALE). O alemão conquistou o seu segundo título mundial depois de haver vencido também em 2020, e deve ser um favorito para o pódio em Pequim.

Todos os últimos três campeões Olímpicos no skeleton masculino foram do país anfitrião dos Jogos. Apesar de que a China pode conquistar uma medalha na prova, somente teve o seu primeiro atleta na história do skeleton Olímpico, nos Jogos de 2018, em PyeongChang (Wenqiang Geng, que terminou em 13º). Entretanto, ambos Geng e seu colega de equipe Yin Zheng possuem uma vantagem sobre os seus oponentes, uma vez que eles têm mais tempo para praticarem e tornarem-se mestres na pista que será usada para a competição do skeleton em Pequim.

Herói local Yun Sung-bin desliza confortamente para o ouro (M) | Skeleton

Todas as últimas três medalhistas de ouro no skeleton feminino nos Jogos de Inverno representaram a Grã-Bretanha, e por mais que a bicampeã Olímpica e detentora do ouro Elizabeth Yarnold (a mais bem sucedida atleta do skeleton de todos os tempos) tenha se aposentado das competições, vale a pena ficar de olho na compatriota de Yarnold, e medalhista de bronze de 2018, Laura Deas, que pode continuar em Pequim esta sequência de medalhas das britânicas.

Medalha de prata de 2018, Jacqueline Loelling (ALE) terminou em segundo no campeonato mundial de 2021, e viu sua compatriota Tina Hermann conquistar o seu quarto mundial e terceiro título consecutivo no skeleton. Ambas devem lutar pela medalha de ouro em Pequim.

Os destaques da China incluem a jovem Zhao Dan, que terminou em sétimo nos Jogos Olímpicos da Juventude em 2020, e Lin Huiyang, que conquistou o melhor resultado para a equipe feminina da China durante o Campeonato Mundial, quando terminou na 13ª posição.

Lizzy Yarnold: Meus Destaques de PyeongChang

Programação do skeleton Olímpico em Beijing 2022

A competição do skeleton Olímpico acontecerá de 10 a 12 de Fevereiro de 2022

Local do skeleton Olímpico em Beijing 2022

Todas as provas de pista acontecerão no Centro Nacional de Pistas de Yanqing, localizado em Xiaohaituo, uma área montanhosa em Yanqing, localizada a 74km a noroeste da capital chinesa.

A pista que será usada nas provas é primeira desta natureza no mundo e inclui uma volta de 360 graus. Sua distância é de 1615 metros, com um gradiente máximo de 18% e 16 curvas.

O recinto esportivo tem uma capacidade de 2.000 torcedores sentados e 8.000 em pé.

Formato da competição do skeleton Olímpico em Beijing 2022

A competição de skeleton nos Jogos Olímpicos de inverno compreenderá duas provas:

  • Simples Masculino
  • Simples Feminino

Um total de 50 vagas estão disponíveis para os atletas se classificarem e competirem no skeleton dos Jogos de Inverno.

Em cada evento os atletas competem no mesmo circuito, com cada competidor fazendo quatro corridas ao longo de dois dias. Essas quatro corridas são cronometradas até os centésimos de segundo e os tempos são somados. Feita a somatória, o atleta com o tempo mais rápido é o vencedor.

Zhao Dan da China muda para skeleton

História Olímpica do Skeleton

O esporte do skeleton tem suas raízes no mais popular dos passatempos de inverno: o trenó. Pela metade do século XIX, turistas britânicos e americanos construíram o primeiro trenó de corrida em Davos, em 1882, e assim começou o esporte do trenó.

Dois anos depois, em 1884, a famoso "Cresta Run" - uma pista natural de gelo para corrida de trenó - foi construído em St. Moritz, Suíça (o circuito passou a receber anualmente o campeonato "Grand National" a partir de 1885). Em 1887, o "Grand National" viu os primeiros competidores a correrem com a cabeça para frente.

Em 1892, um novo trenó feito todo de ferro foi introduzido, e alguns sustentam que a sua aparência de esqueleto deu ao trenó e ao esporte o nome ‘skeleton’.

O skeleton masculino foi introduzido pela primeira vez no programa Olímpico nos Jogos de 1928 em St. Moritz, e depois de novo na edição de 1948 (também em St. Moritz). Mas devido ao esporte apenas estar disponível no "Cresta Run" naqueles tempos, caiu no esquecimento, enquanto que o luge e o bobsleigh cresceram em popularidade. Entretanto, em 2002, o skeleton foi reinserido como evento masculino e feminino nos Jogos Olímpicos de Inverno de Salt Lake City em 2002, e permaneceu como parte do programa desde então.

Enquanto que a Grã-Bretanha tem mais medalhas (nove) na competição do skeleton nos Jogos de Inverno, o lugar no topo pertence aos Estados Unidos (oito medalhas), em virtude de os americanos terem quatro medalhas de prata, contra uma da Grã Bretanha. Ambos os países possuem três ouros, enquanto que nas medalhas de bronze os britânicos têm cinco e, os Estados Unidos, uma.

A Grã-Bretanha é o único país que foi medalhista em todas as vezes que o skeleton esteve presente nos Jogos Olímpicos, e venceu pelo menos uma medalha em cada uma das cinco vezes do skeleton feminino desde a sua introdução.

Elizabeth Yarnold (GBR) é a mais bem sucedida atleta na história do skeleton Olímpico, com duas medalhas de ouro.

Sliding Madness | Skeleton com James e Teddy